Estudos Bíblicos Grátis

Os diferentes nomes de Deus em Gênesis 1 e 2  indicam autores diferentes ?

Os diferentes nomes de Deus em Gênesis 1 e 2 indicam autores diferentes ?

É verdade que ao longo dos 31 versículos de Gênesis 1 o único termo que se usa em referência a Deus é Elohim, e o nome que indica a pessoa do Senhor, i.e., Iavé, torna-se predominante no capítulo 2. Entretanto, essa distinção de vocábulos não demonstra evidência sólida de haver autores diferentes. Tal teoria foi primeiramente sustentada pelo médico francês Jean Astruc, nos idos de 1753. Achava ele que Gênesis 1 teria sido tirado de alguma fonte literária primitiva, produzida por Leia mais…

Escavações que fotografaram o passado

Escavações que fotografaram o passado

Antes que as escavações arqueológicas revelassem o mundo da Bíblia, ninguém tinha ideia de como se pareciam as pessoas descritas em suas páginas. Todavia, quando as descobertas começaram a ser reveladas, entre elas estavam estátuas, desenhos e pinturas que davam um “quadro” do tipo de pessoas que viveram durante os tempos bíblicos. Ainda mais incrível foi que os arqueólogos encontraram “figuras” das mesmas pessoas mencionadas na Bíblia. Entre elas, estavam as estátuas de faraós Leia mais…

A autoria do livro de Gênesis

A autoria do livro de Gênesis

Embora o Novo Testamento fale do Pentateuco em geral como “Moisés” ou “livro” ou “lei” de Moisés, em parte alguma indica especificamente o livro de Gênesis com esses termos. Por seu turno, o Pentateuco fala da decisiva participação de Moisés em sua produção, desde os seus primeiros registros da maldição lançada sobre Amaleque (Êx 17:14) e do livro da aliança do Sinai (Êx 24:3-7), até à escrita e preservação de sua final exposição da lei (Dt 31:24-26). Sob Deus, o cerne Leia mais…

A interpretação bíblica – Idade Média

A interpretação bíblica – Idade Média

“A Idade Média foi um deserto vasto no tocante à interpretação bíblica.” “Não houve concepções novas e criativas acerca das Escrituras.” A tradição da igreja ocupava lugar de relevo, juntamente com a alegorização das Escrituras. Na Idade Média, era comum o emprego de encadeamentos — cadeias de interpretações formadas a partir dos comentários dos pais da igreja. A maior parte dos encadeamentos medievais estava baseada nos pais latinos Ambrósio, Hilário, Agostinho e Jerônimo. Leia mais…

Os gêneros dos Evangelhos e do livro de Atos

Os gêneros dos Evangelhos e do livro de Atos

Tudo o que dissemos, até agora, pressupõe que os quatro evangelistas pensaram estar escrevendo história e biografia relativamente diretas. Isto é, certamente o que os Evangelhos e o livro de Atos parecem estar apresentando, e é a maneira dominante como os leitores interpretaram estas obras ao longo da História da Igreja. Mas será correta essa pressuposição? Na literatura do mundo mediterrâneo antigo, quais são os paralelos mais próximos a estes documentos, e o que podemos aprender das Leia mais…

De que maneira Gênesis 1 pode harmonizar-se com a evolução teística?

De que maneira Gênesis 1 pode harmonizar-se com a evolução teística?

Ao tratar dessa questão, devemos definir cuidadosamente nossos termos, visto que “evolução” é palavra usada com vários sentidos por diversos tipos de pessoas. Devemos fazer distinção entre evolução como filosofia e evolução como mecanismo descritivo do desenvolvimento das espécies de um estágio inferior, primitivo, para outros “mais elevados” ou mais complexos, no decurso da história geológica. Além disso, precisamos estabelecer o que se quer dizer por evolução teística. Daí estaremos Leia mais…

Escavações que recontaram antigas histórias

Escavações que recontaram antigas histórias

Você já se perguntou alguma vez por quê a Bíblia devia ter todas as boas histórias? Se as grandes histórias da criação e do dilúvio foram histórias reais, como a Bíblia as apresenta, não deveriam outras culturas antigas terem sabido destas histórias também? Esta suposição foi confirmada quando um número de textos cuneiformes antigos foram descobertos contendo paralelos mesopotâmios dos relatos bíblicos. Tecnicamente falando, esses textos não foram descobertos por arqueólogos Leia mais…

Interpretação Bíblica – Os pais da igreja dos séculos V e VI

Interpretação Bíblica – Os pais da igreja dos séculos V e VI

Sete nomes destacam-se entre os pais da igreja dos séculos V e VI, embora Jerônimo e Agostinho sejam os mais conhecidos. ” Jerônimo (c. 347-419) começou adotando a alegorização de Orígenes. Sua primeira obra exegética, Comentário sobre Obadias, foi alegórica. Posteriormente, porém, assumiu um estilo mais literal, depois de ter sido influenciado pela escola antioquina e pelos mestres judeus. O último comentário que escreveu foi sobre Jeremias e seguia a linha literal. Mas ele acreditava Leia mais…

A inscrição Behistun — Chave para o acadiano cuneiforme

A inscrição Behistun — Chave para o acadiano cuneiforme

O que a Pedra Roseta fez pelos hieróglifos egípcios, uma inscrição monumental no Irã (antiga Pérsia), fez pelo acadiano cuneiforme. Acadiano era uma língua semítica da Mesopotâmia, e seus dois principais dialetos (assírio e babilônio) foram usados para registrar os triunfos militares e contos religiosos dos grandes impérios mundiais da Assíria e Babilônia. Ambos estes impérios figuram proeminentemente na Bíblia como nações usadas por Deus para punir os israelitas por sua infidelidade Leia mais…

Definição de religião segundo o livro de  A. B. Langston

Definição de religião segundo o livro de A. B. Langston

A teologia está relacionada com a religião, assim como a botânica com a vida das plantas. Sem a vida das plantas não poderia haver botânica. Sem os astros, seria impossível a astronomia. De igual maneira, é impossível a existência da teologia sem a religião: aquela é uma conseqüente desta. E, portanto, necessário que tenhamos uma ideia clara da religião, pois dela depende a teologia. Sem o entendimento claro de uma, não se pode compreender bem a outra. Consideremos então a religião. 1.1. Leia mais…

Qualificações de Moisés como autor do Pentateuco

Qualificações de Moisés como autor do Pentateuco

Tendo em mente as referências bíblicas à educação acadêmica de Moisés, torna-se logo patente que ele possuía as qualificações exatas para empreender uma obra do porte da Torá. 1. Moisés recebeu excelente formação, como príncipe criado na corte do Egito (At 7.22), num país em que a cultura era superior a de qualquer outra nação do Crescente Fértil. Até mesmo os cabos dos espelhos e das escovas de dente eram adornados com inscrições hieroglíficas, bem como as paredes de todos Leia mais…

O sentido de “logos”.

O sentido de “logos”.

O vocábulo grego logos pode.ser traduzido por “razão”, “palavra” ou “discurso”. É empregado no prólogo do quarto evangelho como uma designação do Filho, que é a revelação do Pai.15 Muitos comentadores sustentam que essa palavra também é um título descritivo do Filho eterno no prefácio da primeira epístola. Assim, Moffatt translitera a palavra grega para o inglês e cunha a expressão “Logos da Vida”. Certamente se pode traçar um paralelo entre o evangelho e a epístola, Leia mais…