Espiritualidade nos escritos Joaninos

Antes de entrarmos no assunto sobre a espiritualidade nos escritos joaninos veremos primeiramente uma sucinta introdução sobre espiritualidade.

Introdução: O que é espiritualidade

É difícil ter uma definição específica para o tema espiritualidade, por causa da variedade de sentidos com que é aplicada e por causa das controvérsias dos estudiosos especializados sobre esse tema. Espiritualidade é algo pessoal, a maneira de ver as coisas e vive-las, é uma experiência diária, uma prática que se mostra nas atitudes, é uma vida de serviço para com o próximo, a marca da espiritualidade é o amor que se desdobra em atitudes e ela autentica a presença de Deus. A palavra espiritualidade está baseada na palavra hebraica ruach, esse termo é traduzido por espírito, vento, fôlego, essa palavra nos traz uma ideia de animar uma pessoa, de impulsionar, sustentar, nos leva a refletir que espiritualidade é algo prático e dinâmico. Espiritualidade é a pratica na vida real da fé religiosa de uma pessoa, envolve o que a pessoa crê e como ela exercita essa sua crença na sua vida diária.

No livro uma introdução à espiritualidade crista o autor (Aliester E. McGrath, pg 20), traz a seguinte definição “Espiritualidade refere-se à busca por uma vida religiosa autêntica e satisfatória, envolvendo a união de ideias específicas de determinada religião com toda a experiência de vida baseada em e dentro do âmbito dessa religião.” Devido ao materialismo e a crescente valorização aos bens materiais, nos últimos anos tem crescido o interesse pelo estudo geral da espiritualidade. Segundo inúmeras evidências a espiritualidade pessoal tem efeito terapêutico positivo sobre os indivíduos. Esse processo de espiritualidade não é fácil e não ocorre de uma hora para outra é demorado e dura a vida toda, o processo se inicia quando homens e mulheres se lançam no caminho do discipulado com Cristo.

A espiritualidade ao longo da história da igreja cristã trouxe benefícios e renovação para o povo de Deus, ela gera pessoas motivadas a buscarem uma vida de transformação e santidade e faz a igreja buscar o fervor que se perdeu durante a caminhada. No cristianismo espiritualidade significa viver um encontro real e pessoal com Jesus Cristo e experimentar sua presença diariamente através das praticas devocionais, diariamente somos supridos quando nos aprofundamos na experiência com Deus. Os ensinos joaninos, mesmo eles tendo sido escritos em épocas diferentes e para situações diferentes, a essência desses ensinos tem uma teologia profunda, rica e transformadora. A espiritualidade, ou vida cristã, é um dos temas centrais das epístolas neotestamentárias, sejam as paulinas, sejam as joaninas.

Na primeira epístola de João encontramos um excelente exemplo de ensino sobre a espiritualidade mais tipicamente elaborado de acordo com a tradição judaica, mas em profundo diálogo com a tradição de Cristo, e em contraste com as religiões helênicas, especialmente as de mistério, as religiões de mistério estavam entre as principais concorrentes da fé cristã, pois elas também propunham um caminho de salvação – mas um caminho dualista, baseado na ação humana e não na ação divina. João oferece uma teologia baseada no amor de Deus revelado em Cristo e experimentado por aquelas pessoas que creram nele, demonstrado na comunidade cristã de forma bastante concreta.

A epístola de João, como o evangelho (Jo 3.3) fala da entrada na vida cristã como um novo nascimento, o ser gerado por Deus, o ter a semente de Deus implantada em seu interior (1 Jo 2.29, 3.9, 4.7, 5.1). João se “utiliza” de uma linguagem conhecida pelos gnósticos para expressar a verdade cristã. Segundo os escritos de João para se ter uma vida cristã é necessário ter o novo nascimento. Pelo novo nascimento entramos em um novo relacionamento, tornamo-nos filhos de Deus (1 Jo 3.1). Ser Filho de Deus é fazer a vontade de Deus, amá-lo, servi-lo, romper com o pecado e seguir sua justiça. João utiliza uma linguagem que parece ser mística, quando emprega o uso de palavras como estar e permanecer. Deus está (permanece) nos crentes (1 Jo 4.16).

Aquele que guarda os seus mandamentos permanece (esta) em Deus, e Deus, nele. E nisto conhecemos que ele permanece (esta) em nós, pelo Espírito que nos deu. A palavra de Deus permanece (esta) neles, quando se conhece o que estava desde o início (Pai) (1 Jo 2.14). A palavra de João (permanecer e estar) se refere à conduta cristã, para a manifestação do amor. Estar (permanecer) em Cristo significa estar vivendo uma vida de amor, em comunhão com os irmãos, andar na luz e guardar os mandamentos, permanecendo na obediência da lei do amor.

Vida cristã é marcada pelo amor.

Amar a Deus e aos irmãos 1 Jo 4.21
Amar uns aos outros 1 Jo 3.11
Dar a vida pelos irmãos 1 Jo 3.16
Quem não ama permanece na morte 1 Jo 3.14
Somos nascido de Deus 1 Jo 4.7
Conhecemos a Deus 1 Jo 4.7
Deus permanece em nós quando amamos 1 Jo 4.12
Mesmo que a sociedade esteja perdida, nós temos que ter nossa vida centrada nos exemplos, conduta e ensinamentos de Jesus, pois somente dessa forma demonstraremos nossa espiritualidade cristã nesse mundo que se afunda.

Fonte Consultada: universodateologia.com.br


AGORA VOCÊ PODE ESTUDAR TEOLOGIA À DISTÂNCIA COM QUALIDADE!

Conheça o curso de Formação em Teologia! O melhor e mais acessível curso de teologia da atualidade.

Seja um Teólogo altamente capacitado!

CURSO FORMAÇÃO EM TEOLOGIA

Os alunos formados na Universalidade da Bíblia estão prontos para atuar no Brasil e no exterior como líderes, conferencistas, obreiros, professores da escola dominical, presidentes de ministérios, membros da diretoria em convenções, e ainda estarão plenamente habilitados para atuar nas áreas de administração eclesiástica, evangelismo, discipulado, liderança, supervisão, direção e aconselhamento pastoral através de gestão executiva integrada, programas de rádio, TV, internet, livros, revistas, seminários, congressos e eventos em geral.

.: AGREGUE CONHECIMENTO E COMENTE ABAIXO .: