Achados do período do Primeiro Templo

Achados do período do Primeiro Templo

Apesar destas considerações sobre a escassez de restos de materiais, em ocasiões excepcionais ao mandamento tais evidências são descobertas. Uma exceção à lei contra imagens esculpidas foi um óstraco proveniente de Ramote Raquel, da Idade do Ferro, que trazia pintado a figura de um indivíduo sentado num trono. O arqueólogo israelita Gabriel Barkay propôs que este poderia ser um quadro de Ezequias, rei de Judá. Outrossim, enquanto que os documentos em papiro são perecíveis, os selos que outrora estavam colados nestes documentos ainda existem. Escavações na Cidade de Davi revelaram numerosos destes selos (ou bulas) de barro nas ruínas de casas que foram queimadas pelo exército invasor babilónico no fim do período do Primeiro Templo. Além disso, há excelentes exemplos de inscrições mais duráveis desde o início da monarquia e o período do Primeiro Templo. A Bíblia observa que os profetas desses tempos às vezes escreviam em madeira ou metal (Is 8.1; Ez 37.16). Em Deir Alá, localizado no vale do Jordão, foi descoberta uma inscrição aramaica de meados do século VIII, mencionando o profeta bíblico Balaão (Nm 22— 24), escrita em tinta vermelha e preta no gesso. Entre as inscrições hebréias em pedra incluem-se o Calendário de Gezeí (século X a.C.) e inscrições do século VIII a.C., como a inscrição no Túnel de Siloé, a inscrição do Administrador do Rei e o óstraco de barro de Samaria, Arade e Laquis. Também há significativos achados inscritos em metal ou marfim, como os rolos de prata do século VII a.C. de Ketef Hinom e uma ponta de cetro em marfim na forma de romã. Os rolos de prata preservam o mais antigo texto bíblico conhecido (do livro de Números) e indica que provavelmente o texto bíblico foi escrito logo em seguida aos eventos que descreve. De acordo com a inscrição na ponta do cetro, é provável que tenha pertencido a um sacerdote que exerceu o sacerdócio no Primeiro Templo. Estas descobertas, embora escassas, mostram os tipos de achados que podem ser esperados e indicam que certamente há mais a ser encontrado. A localização mais promissora para tais evidências é um cume ao sul do atual monte do Templo em Jerusalém. Neste sítio de nove acres, a Jerusalém de Davi teve seu começo ao lado da cidade cananéia/jebusita que já tinha 2.000 anos de existência. Ainda chamada ‘Ir D avid (“Cidade de Davi”), as escavações feitas por Kathleen Kenyon e o arqueólogo israelita, Tigael Shiloh, definiram estruturas provavelmente mencionadas por Davi, como uma pilha de pedras de pouco mais de 15 metros de altura, chamada de Escadaria de Pedra, que poderia ter sido a Milo bíblica, sobre a qual Davi construiu a Fortaleza de Sião (2 Sm 5.7,9). O mais antigo elemento conhecido no sítio, um sistema de água conhecido como o Veio de Warren, acredita-se ter sido usado por Joabe, general de Davi, para capturar a cidade dos jebuseus (2 Sm 5.6-9; 1 Cr 11.4-7). E no verão de 1997, o arqueólogo israelita, Ronny Reich, descobriu na área meridional da Cidade Continue lendo

Aprenda a FALAR em INGLÊS utilizando a BÍBLIA!

Aprenda a FALAR em INGLÊS utilizando a BÍBLIA!

Olá, tudo bem? O amor e o interesse sinceros que você tem pelo evangelho de Jesus Cristo irão te ajudar a aprender Inglês mais rapidamente e de maneira mais fácil do que imagina E você pode contar com a gente… PARTICIPE AGORA DA MINI AULA GRÁTIS!   » Clique aqui Inglês para Cristãos que Amam a Bíblia Você vai falar Inglês com a Bíblia, mesmo que você seja iniciante ou se já tentou aprender de outras formas.. Agora você vai aprender inglês se aperfeiçoando na Palavra de Deus Becoming polyglot is difficult, but for God nothing is impossible. You will achieve your goals in the name of Jesus Christ. Conheça o Curso de Inglês que todo Cristão esperava…

Versículos bíblicos sobre disciplina

Versículos bíblicos sobre disciplina

Saibam, pois, em seu coração que, assim como um homem disciplina o seu filho, da mesma forma o Senhor, o seu Deus, o disciplina. (Deuteronômio: 8.5) Disciplinar é impor limites e mostrar o melhor caminho. Infelizmente, ninguém gosta de ser disciplinado ou repreendido, porém é extremamente necessário. Simplesmente porque todos nós cometemos erros e temos comportamentos inadequados, vez por outra. A pessoa que aceita e reflete quando repreendido, certamente colherá bons frutos deste comportamento. Entretanto, aquele que não aceita e não endireita os seus caminhos, com certeza pagará um preço alto pela sua insensatez. Meu filho não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem. (Provérbios: 3.11-12) Quem se nega a castigar seu filho não o ama, pois quem o ama não hesita em discipliná-lo. (Provérbios: 13.24) Discipline seu filho, pois nisso há esperança, não queiras a morte dele. (Provérbios: 19.18) Dedique à disciplina o seu coração e os seus ouvidos às palavras que dão conhecimento. (Provérbios: 23.12) A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe. (Provérbios: 29.15) Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, estamos sendo disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo. (1 Coríntios: 11.32) Filhos obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. “Honra teu pai e tua mãe”, este é o primeiro mandamento com promessa: “para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”. Pais, não irritem seus filhos, antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor. (Efésios: 6.1-4) Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: “Meu filho não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor corrige a quem ama e castiga todo aquele a quem aceita como filho”. Suportem as dificuldades, recebendo-as como correção, Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados e a repreensão é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor, mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados. (Hebreus: 12.5-11) Estes são os provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel. Eles ajudarão a experimentar a sabedoria e a disciplina, a compreender as palavras que dão entendimento, a viver com disciplina e sensatez, fazendo o que é justo, direito e correto, ajudarão a dar prudência aos inexperientes e conhecimento e bom senso aos jovens. (Provérbios: 1.1-4) Pois Continue lendo

“Precisamos nos expor para que outras pessoas sejam libertas”, diz ex-viciada em pornografia

“Precisamos nos expor para que outras pessoas sejam libertas”, diz ex-viciada em pornografia

Janaína Oliveira contou seu testemunho de libertação em vídeo ao yesHeis O vício em pornografia já não é apenas um problema do universo masculino, o consumo de pornografia por mulheres cresceu exponencialmente nos últimos anos. De acordo com o yesHeis, as brasileiras são as mulheres que mais acessam conteúdo pornográfico no mundo, lhes fazendo prisioneiras em uma prisão invisível. Foi o caso de Janaína Oliveira, uma radialista de 41 anos. Ela contou seu testemunho de libertação do vício em pornografia em vídeo no canal do yesHeis no YouTube. Janaina teve o primeiro contato com a pornografia aos oito anos quando encontrou revistas pornôs de seus irmãos mais velhos e começou a consumir de forma voraz. Ela diz que se escondia atrás do sofá da sala para assistir filmes eróticos que seus irmãos assistiam: “Eu já estava tão tomada por aquela compulsão ao ponto de eu achar que fazia parte daquele mundo pornográfico”. A radialista relata que pensava em pornografia o tempo e inteiro e vivia para isto. “Eu respirava aquilo 24h; saída de sala de reuniões do trabalho para poder consumir pornografia. Estando na igreja, eu não via a hora de sair para ir pra casa consumir”, relata Janaina. Ela conta que a compulsão era um segredo que não compartilhava com ninguém. E que quando tentou pedir ajuda, não encontrou apoio para que pudesse se abrir e falar sobre o problema com segurança. O retorno que ela recebia era que aquilo “era normal, que tava tudo bem, todo mundo faz” ou o extremo aposto: “precisa expulsar esse demônio que está na sua vida”. Sem conseguir ajuda, ela conta que foi se afundando cada vez mais. Começou a ficar muito sozinha, não tinha mais amigos e começou a questionar se era bom continuar vivendo. “Foi quando eu comecei a pensar em suicídio”, confessou Janaína. Janaina encontrou ajuda de verdade no projeto Socorre.me, um ministério de apoio para pessoas com compulsão em pornografia, onde recebeu auxílio de uma equipe confiável. Hoje, ela compreende que expor o problema é necessário e que não precisamos carregar o fardo pesado sozinhos: “Quando expomos essa situação ficamos envergonhados, mas essa vergonha é substituída pela libertação”. No Socorre.me Janaína conheceu verdadeiramente o amor de Jesus por ela. A paternidade de Deus preencheu por completo sua vida, não sobrando espaço para outra coisa. “Hoje eu tenho prazer em viver, eu estou feliz porque posso viver uma verdade”, comemora. Seu testemunho tem ajudado outras mulheres que estão passando por compulsão em pornografia e que nunca conseguiram conversar com alguém sobre o problema. Janaína afirma que muitas dessas mulheres relatam: “Eu passo por tudo isso e nunca vi uma mulher falando sobre”. Hoje, completamente liberta por Jesus, Janaína afirma que “precisamos nos expor para que outras pessoas sejam libertas”. Fonte: guiame.com.br Conheça o CURSO LIBERTOS DE UMA PRISÃO INVISÍVEL Público Alvo do Curso: Pessoas que tem o vício em pornografia.Pais que desejam orientar seus filhos.Pastores/líderes que recebem pedido de ajuda.Esposas/maridos cujo cônjuge precisa de ajuda.Todas as pessoas que queiram ajudar alguém que Continue lendo

Como a organização militar e a estrutura social influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a organização militar e a estrutura social influem na interpretação das passagens bíblicas

Organização militar  1. Por que Habacuque diz que os babilônios, “ … amontoando terra, as [cidades] tomam” (Hc 1.10)? Isso não quer dizer que eles juntavam entulho. A referência é à construção de rampas de terra junto a muralhas. Como muitas cidades eram edificadas no alto dos montes, a única forma de o inimigo atacá-las era amontoando terra e destroços para diminuir a diferença de nível. 2. Por que Paulo afirmou, em 2 Coríntios 2.14, que Deus “em Cristo sempre nos conduz em triunfo…”? No Império Romano, quando um general retomava vitorioso de uma batalha, ele marchava à frente de seus soldados pelas ruas de sua cidade natal, com os prisioneiros atrás. De forma semelhante, Deus está-nos conduzindo num cortejo espiritual glorioso, pelo fato de estarmos “em Cristo” . Estrutura social 1. Por que nos tempos bíblicos as pessoas às vezes jogavam pó sobre a cabeça (Jó 2.12; Lm 2.10; Ez 27.30; Ap 18.19)? Elas demonstravam assim o enorme pesar que sentiam; era como se estivessem numa sepultura, debaixo da terra. 2. Por que Deus declarou em Malaquias 1.2, 3: “ … todavia amei a Jacó, porém aborreci a Esaú…”? Existem duas explicações possíveis. Uma é que, no Oriente Médio da antigüidade, um indivíduo que fizesse um testamento empregava o verbo amar em referência ao herdeiro escolhido e aborrecer com respeito à rejeição legal de qualquer reivindicação de terceiros. (Semelhantemente, não dar importância ou odiar a sabedoria, como diz Provérbios 1.7, é o mesmo que rejeitá-la.) Outra possibilidade é que se trata de uma forma de comparação, em que o Senhor estava dizendo que amava a Jacó mais do que a Esaú. Vemos um paralelo disso em Gênesis 29.30, 31, onde lemos que Jacó amava Raquel e não amava (ou seja, odiava) Lia.  3. Por que José barbeou-se antes de ir ao encontro de Faraó (Gn 41.14)? Não era costume dos hebreus usar barba? Mas, como os egípcios não usavam barba, José simplesmente seguiu o costume do país. 4. Qual é o significado de “aliança de sal” (Nm 18.19; 2 Cr 13.5)? Não se sabe como o sal era utilizado naqueles pactos, mas o aspecto de conservação a ele associado pode indicar que as partes envolvidas desejavam a conservação de sua amizade. 5. Por que Jesus mandou os discípulos não cumprimentarem ninguém no caminho (Lc 10.4)? Ele não estava incentivando uma atitude anti-socíal; antes, desejava que não se atrasassem no cumprimento da missão. As saudações consumiam muito tempo: cada um se curvava várias vezes, repetia o cumprimento e então comentava os acontecimentos do dia. Em suma, está claro que o desconhecimento de tais costumes pode levar a um entendimento errado do significado dos textos. O estudante da Bíblia depara com muitos outros costumes ao lê-la. Assim sendo, é sábio manter-se atento a costumes raros que sejam mencionados e descobrir o significado das passagens para os que viviam na época. Os comentários normalmente ajudam a explicar esses costumes. Dentre os bons livros sobre costumes bíblicos figurem: W illiam L. C o Continue lendo

Versículos bíblicos sobre a culpa

Versículos bíblicos sobre a culpa

Tu bem sabes como fui insensato, ó Deus, a minha culpa não te é encoberta. (Salmos 69.5) A culpa se refere a responsabilidade pessoal de alguém, que tenha provocado algum dano a uma outra pessoa. Temos, também, o sentimento de culpa, que ocorre quando alguém se sente responsável por algo ruim que tenha acontecido. A Palavra de Deus diz que todos pecaram, não há um justo sequer. Porém, Deus em sua infinita misericórdia, enviou Seu filho, que morreu por nós, e levou consigo toda a culpa pelos nossos pecados. Nos dando a possibilidade de reatarmos a comunhão, que tínhamos perdido, com Ele. Tenham o cuidado de não praticar suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles. Se fizerem isso, vocês não terão nenhuma recompensa do Pai celestial. Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem honrados pelos outros. Eu lhes garanto que eles já receberam sua plena recompensa. (Mateus: 6.1-2) E não só isso, mas nós mesmos, que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo. (Romanos: 8.23) A tristeza segundo Deus produz um arrependimento que leva à salvação e não ao remorso, mas a tristeza segundo o mundo produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito. (2 Coríntios 7.9-10) Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. (1 Jo: 1.9) Ponha a sua esperança no Senhor, ó Israel, pois no Senhor há amor leal e plena redenção. Ele próprio redimirá Israel de todas as suas culpas. (Salmos: 130.7-8) Contudo, foi da vontade do Senhor esmagá-lo e fazê-lo sofrer e, embora o Senhor faça da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e prolongará seus dias e a vontade do Senhor prosperará em sua mão. Depois do sofrimento de sua alma, ele verá a luz e ficará satisfeito, pelo seu conhecimento meu servo justo justificará a muitos e levará a iniquidade deles. (Isaías: 53.10-11) Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades, o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. (Isaías 53.5-6) Se alguém pecar, fazendo o que é proibido em qualquer dos mandamentos do Senhor, ainda que não o saiba, será culpado e sofrerá as consequências da sua iniquidade. Do rebanho ele trará ao sacerdote um carneiro, sem defeito e devidamente avaliado, como oferta pela culpa. Assim o sacerdote fará propiciação em favor dele pelo erro Continue lendo

Ferramentas do Pregador

Ferramentas do Pregador

Seguem algumas dicas de ferramentas de apoio que foram importantes para o aprendizado de diversos pregadores e que também podem te ajudár! Descubra como se tornar um pregador eficaz, não somente nos púlpitos… mas em toda sua vida! “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. “(Marcos 16.15) Muitas pessoas gostariam de conhecer ferramentas para pregar e expor melhor a Bíblia… Claro que a leitura da Bíblia Sagrada e a ação do Espirito Santo são os fatores principais… Isso é indiscutível, porém precisamos nos preparar um pouco mais para fazer com que todo o conjunto nos torne mais qualificados para pregar a palavra. Para que um pregador esteja de fato preparado para ministrar a Palavra de Deus, ele precisa conhecer as ferramentas essenciais para interpretação e exposição das Escrituras Sagradas. Conheça abaixo as Melhores Ferramentas para Pregadores da Palavra de Deus: CURSO DE HERMENÊUTICA E EXEGESE | COMPREENDENDO E INTERPRETANDO  A  BÍBLIA A exegese tem a função de dar clareza ao texto, analisando o seu significado de forma objetiva e profunda, sendo que essa especificidade pode-se dar tanto a um texto, quanto a uma frase, ou a uma palavra. Isso denota extrair do texto aquilo que ele significa de forma literal. » Saiba mais aqui KIT PREGADOR COMPLETO Conheça as ferramentas e técnicas para preparar sermões e se tornar um exímio pregador da palavra de Deus. Curso completo mais ferramentas exclusivas. » Saiba mais aqui KIT + DE 2000 ILUSTRAÇÕES, ESBOÇOS E SERMÕES Enriqueça sua pregação com esse Kit único. Todo pregador deve tê-lo em sua biblioteca para preparar os melhores e mais impactantes sermões. » Saiba mais aqui CURSO DE MEMORIZAÇÃO DA BÍBLIA Você já tentou lembrar de um versículo ou fatos da Bíblia e não conseguiu? Este método vai te ajudar a memorizar tudo da Bíblia! Técnicas simples que farão diferença! » Saiba mais aqui KIT HEBRAICO E GREGO Saber utilizar as línguas originais em que foi escrita a Bíblia é imprescindível para o estudante da Bíblia. Só assim conseguirá ir muito mais fundo no estudo da Palavra. » Saiba mais aqui COMBO ACADÊMICO EM TEOLOGIA Um combo formado por três dos nossos produtos teológicos que vão te capacitar a se tornar um melhor estudioso e pregador da Palavra de Deus. » Saiba mais aqui

A maldição de Canaã à escravidão e como ela é vista aos olhos de Deus.

A maldição de Canaã à escravidão e como ela é vista aos olhos de Deus.

A razão por que Noé amaldiçoou seu filho Cam foi que ele zombou de seu pai, a quem também desonrara, ao vê-lo nu, no estupor de uma forte bebedeira. Cam deveria ter cuidado de seu genitor com todo respeito, ainda que, bêbado (aparentemente nunca antes havia provado uma gota de álcool), se fizesse de tolo. Devemos notar com o máximo cuidado que apenas um dos filhos de Cam, especificamente Canaã, foi escolhido para sofrer as consequências do pecado da maldição lançada contra o pai. Gênesis 9.25 cita Noé, que teria dito: “Maldito seja Canaã! Escravo de escravos [heb., ‘eḇed ‘ a ḇādîm] será para seus irmãos”. Cam tinha outros filhos, além de Canaã, a saber, Cuxe, Mizraim e Pute (Gn 10.6); entretanto, a penalidade foi aplicada apenas a Canaã, o ancestral das cananeus da Palestina, e não a Cuxe e Pute, que provavelmente se tornaram os ancestrais dos etíopes e dos povos negros da África. O cumprimento dessa maldição fez-se à época da vitória de Josué (cerca de 1400 a.C.) e também por ocasião da conquista da Fenícia e dos demais povos cananeus pelos persas. É provável que estes fossem descendentes de Jafé, mediante Madai. Parece que essa é a mais antiga ocorrência da palavra ‘eḇed, no sentido de “escravo”, nas Escrituras. No que concerne ao status moral da escravidão nos tempos antigos, devemos reconhecer que era praticada por todos os povos antigos de que temos registros históricos: egípcios, sumérios, babilônios, assírios, fenícios, sírios, moabitas, amonitas, edomitas, gregos, romanos, e todos os demais. A escravidão fazia parte da vida e da cultura antigas, tanto quanto o comércio, os impostos e os cultos no templo. Só depois do surgimento de um conceito mais elevado do ser humano e de sua dignidade inata como pessoa criada à imagem de Deus, o qual permeou o mundo em decorrência dos ensinos da Bíblia, é que surgiu também um forte sentimento na cristandade contra a escravidão. Passou-se a questionar a razão da existência do escravo. Não se tem conhecimento de um movimento equivalente favorável à abolição da escravatura em nenhuma civilização não-cristã. Em Gênesis 9.25 ‘eḇed é palavra usada no sentido de um povo estar politicamente sujeito a outro, estrangeiro, mais poderoso. De acordo com a lei de Moisés, os escravos hebreus deveriam ser libertos após seis anos de cativeiro; jamais seriam obrigados a servir a vida inteira, a menos que por vontade própria escolhessem permanecer escravos, por amor a seus patrões (Êx 21.2-7). Havia casos em que eles eram dignos de grandes honradas e assim tratados; os nobres eram chamados em geral “servos” (‘ a ḇādîm) do rei — um título honorífico, algo a que Paulo faz referência ao falar de si mesmo como “escravo de Jesus Cristo”. Nos tempos do NT, os escravos que aceitavam a Cristo eram considerados verdadeiros irmãos dos outros cristãos livres e co-herdeiros do Reino de Deus. Eram admoestados a servir seus senhores com toda a fidelidade, com todo o respeito e de boa vontade, como se servissem ao Continue lendo

Versículos bíblicos sobre problemas conjugais

Versículos bíblicos sobre problemas conjugais

Seja bendita a sua fonte! Alegre-se com a esposa da sua juventude.(Provérbios: 5.18) Vivemos tempos difíceis e os relacionamentos, em geral, estão se deteriorando. E este tipo de anomalia está atingindo, também, os casais. Por conta disso, o número de divórcios aumenta a cada dia, pelos motivos mais diversos. Deus, quando criou o homem e a mulher, o fez para eles se completarem e viverem juntos para sempre. Infelizmente, a intolerância que reina no mundo atual, está jogando por terra todo este plano. O filho tolo é a ruína de seu pai e a esposa briguenta é como uma goteira constante. (Provérbios: 19.13) Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casa com uma mulher briguenta. (Provérbios: 21.9) A esposa briguenta é como o gotejar constante num dia chuvoso, detê-la é como deter o vento, como apanhar óleo com a mão. (Provérbios 27.15-16) Desfrute a vida com a mulher a quem você ama, todos os dias desta vida sem sentido que Deus dá a você debaixo do sol, todos os seus dias sem sentido! Pois essa é a sua recompensa na vida pelo seu árduo trabalho debaixo do sol. (Eclesiastes: 9.9) Foi dito: “Aquele que se divorciar de sua mulher deverá dar-lhe certidão de divórcio”. Mas eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de sua mulher, exceto por imoralidade sexual, faz que ela se torne adúltera e quem se casar com a mulher divorciada estará cometendo adultério. (Mateus: 5.31-32) Alguns fariseus aproximaram-se dele para pô-lo à prova. E perguntaram-lhe: “É permitido ao homem divorciar-se de sua mulher por qualquer motivo”? Ele respondeu: “Vocês não leram que, no princípio, o Criador os fez homem e mulher e disse: Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher e os dois se tornarão uma só carne’? Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe”. Perguntaram eles: “Então, por que Moisés mandou dar uma certidão de divórcio à mulher e mandá-la embora? Jesus respondeu: “Moisés lhes permitiu divorciar-se de suas mulheres por causa da dureza de coração de vocês. Mas não foi assim desde o princípio. Eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de sua mulher, exceto por imoralidade sexual, e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério”. (Mateus 19.3-9) Aos casados dou este mandamento, não eu, mas o Senhor: que a esposa não se separe do seu marido. Mas, se o fizer, que permaneça sem se casar ou, então, reconcilie-se com o seu marido. E o marido não se divorcie da sua mulher. Aos outros eu mesmo digo isto, e não o Senhor: se um irmão tem mulher descrente, e ela se dispõe a viver com ele, não se divorcie dela. E, se uma mulher tem marido descrente, e ele se dispõe a viver com ela, não se divorcie dele. Pois o marido descrente é santificado por meio da mulher e a mulher descrente é santificada Continue lendo

Rei Davi – Mito ou Monarca Famoso?

Rei Davi – Mito ou Monarca Famoso?

A pessoa do rei Davi agiganta-se nas páginas do Antigo e Novo Testamentos, sendo mencionada cerca de 1.048 vezes. No Antigo Testamento ele é o assunto primário de 62 capítulos e o autor de 73 salmos. No Novo Testamento, figura proeminentemente em ambos os lados da genealogia de Jesus e no lugar onde este nasceu (Mt 1.1,6,17,20; Lc 2.4,11; 3.31), pois “Cristo é Filho de Davi” (Lc 20.41), que herdará “o trono de Davi, seu pai” (Lc 1.32). E, recentemente, baseado nas conquistas históricas do rei Davi, Jerusalém celebrou seu 3.000° aniversário da conquista feita por Davi da cidade dos jebuseus (2 Sm 5.7-25). Com tal ênfase em Davi nas Escrituras, para muitos causa surpresa saber que até há pouco tempo todos os livros que lidam com a história da Terra Santa tinham de admitir que nenhum rastro de Davi jamais aparecera nos registros arqueológicos. Era típico haver declaração como esta de uma das maiores autoridades em arqueologia bíblica, senhora Kathleen Kenyon — palavras proferidas há apenas dez anos: Para muitas pessoas parece surpreendente que Davi e Salomão ainda permaneçam desconhecidos fora das páginas do Velho Testamento ou de fontes literárias diretamente derivadas do texto sagrado. Nunca foi encontrada alguma inscrição extrabíblica, quer da Palestina ou de país vizinho, que contivesse referência a eles. O mito do rei Davi Esta falta de evidência leva muitos estudiosos críticos a duvidarem que um Davi histórico alguma vez tenha existido. Revisionistas históricos (ou minimalistas) argumentaram que o “mito Davi” tinha sido invenção literária tirada de várias tradições heroicas para explicar a formação da monarquia de Israel. Em certo desenvolvimento deste mito, de acordo com os críticos, uma escola sacerdotal circunjacente ao Templo tinha procurado base teológica para o próprio conceito de governo divino. Tratava-se do conceito de um rei ideal (Davi) comparado com um rei imperfeito (Saul). De acordo com os críticos, Saul, é claro, não existiu, mas serviu junto com Davi como modelos teológicos contrastantes da escolha do homem (Saul) versus a escolha de Deus (Davi). Mesmo assim, as frequentes loucuras de Davi mostraram a superioridade de uma teocracia (governo de Deus) sobre uma monarquia (governo do homem). Sem evidência material para ajudar a dar carne a estas figuras, Davi e Salomão permaneceram para muitos como não mais que inspiradoras personagens de livros de história. Por que não podemos encontrar mais? Com frequência, as pessoas ficam confusas sobre o motivo de tão pouco ter sido recuperado do período mais antigo da monarquia — os tempos de Saul, Davi e Salomão. Uma importante razão para a falta de evidência pode ser que muito pouco tenha sido escavado nas áreas relacionadas aos reinados desses monarcas. Israel é um pixagigantesco, e em lugares como Hebrom e Jerusalém, onde se esperaria que fosse encontrada a maioria das evidências deste período, antagônicas reivindicações religiosas e desassossego político tornam virtualmente impossível para os arqueólogos o acesso a alguns dos sítios mais promissores. Nas áreas em que foram escavadas, há outras razões para a escassez de restos arqueológicos de Continue lendo

Versículos bíblicos sobre a preguiça

Versículos bíblicos sobre a preguiça

A preguiça leva ao sono profundo e o preguiçoso passa fome.(Provérbios: 19.15) A preguiça é um comportamento condenado pela Palavra de Deus. Ela se caracteriza pela falta de disposição em trabalhar ou em efetuar as tarefas com morosidade. A pessoa preguiçosa dificilmente conseguirá conquistar alguma coisa, porque o esforço é básico para isso. O livro de Provérbios contém diversos versículos que abordam esse tema. Cuida dos negócios de sua casa e não dá lugar à preguiça. (Provérbios: 31.27) Por causa da preguiça, o telhado se enverga, por causa das mãos indolentes, a casa tem goteiras. (Eclesiastes 10.18) Até quando você vai ficar deitado, preguiçoso? Quando se levantará de seu sono? (Provérbios: 6.9) O preguiçoso deseja e nada consegue, mas os desejos do diligente são amplamente satisfeitos. (Provérbios: 13.4) O preguiçoso põe a mão no prato e não se dá ao trabalho de levá-la à boca! (Provérbios: 19.24) Observe a formiga preguiçoso, reflita nos caminhos dela e seja sábio! (Provérbios: 6.6) Como o vinagre para os dentes e a fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o enviam. (Provérbios: 10.26) O preguiçoso não aproveita a sua caça, mas o diligente dá valor a seus bens. (Provérbios: 12.27) O caminho do preguiçoso é cheio de espinhos, mas o caminho do justo é uma estrada plana. (Provérbios: 15.19) O preguiçoso não ara a terra na estação própria, mas na época da colheita procura e não acha nada. (Provérbios: 20.4) O preguiçoso morre de tanto desejar e de nunca pôr as mãos no trabalho. (Provérbios: 21.25) O preguiçoso diz: “Há um leão lá fora! ” “Serei morto na rua! ” (Provérbios: 22.13) Como a porta gira em suas dobradiças, assim o preguiçoso se revira em sua cama. (Provérbios: 26.14) O preguiçoso coloca a mão no prato, mas acha difícil demais levá-la de volta à boca. (Provérbios: 26.15) O preguiçoso considera-se mais sábio do que sete homens que respondem com bom senso. (Provérbios: 26.16) As mãos diligentes governarão, mas os preguiçosos acabarão escravos. (Provérbios: 12.24) Um dos seus próprios profetas chegou a dizer: “Cretenses, sempre mentirosos, feras malignas, glutões preguiçosos”. (Tito: 1.12) Passei pelo campo do preguiçoso, pela vinha do homem sem juízo, havia espinheiros por toda parte, o chão estava coberto de ervas daninhas e o muro de pedra estava em ruínas. (Provérbios: 24.30-31) O preguiçoso diz: “Lá está um leão no caminho, um leão feroz rugindo nas ruas! ” (Provérbios: 26.13) Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. (Hebreus: 5.11) Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos. (1 Tessalonicenses: 5.14) Pois ouvimos que alguns de vocês estão ociosos, não trabalham, mas andam se intrometendo na vida alheia. (2 Tessalonicenses: 3.11) Agora, então, escute, criatura provocadora, que age despreocupada e preguiçosamente em sua segurança, e diz a si mesma: “Somente eu e mais ninguém. Jamais ficarei viúva nem sofrerei a perda de filhos”. (Isaías: 47.8)

Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Vida doméstica 1. Qual é o significado de Oséias 7.8: “Efraim […] é um pão que não foi virado”? Às vezes, um pão assa mais de um lado que de outro se não for virado. Parece que Oséias empregou essa ilustração para dizer que Efraim carecia de equilíbrio, dando mais atenção a determinadas coisas e deixando de atentar para outras. 2. Não foi falta de educação João encostar-se em Jesus na última ceia (Jo 13.23)? Não, eles se sentavam em sofás, não em cadeiras, na hora das refeições; por isso, naquela cultura, não era considerado falta de educação uma pessoa recostar-se em outra. 3. Por que Tiago disse que se ungissem os enfermos com óleo (Tg 5.14)? Existem dois verbos gregos com o sentido de esfregar, ou ungir. O primeiro é chriõ, que significa ungir num ritual. Não foi esse o termo que Tiago usou. O verbo em Tiago 5.14 é aleiphõ, cujo significado é esfregar com óleo. Assim sendo, Tiago não estava referindo-se a um ritual. Pelo contrário, ele falava de uma atitude refrescante e estimulante para com as pessoas doentes ou deprimidas. {Aleiphõ também é empregado em Mateus 6.17 com o sentido de passar óleo na própria cabeça [para refrescar-se], e em Lucas 7.46 em referência ao fato de a pecadora ter esfregado perfume nos pés de Jesus.) 4. Por que, em Lucas 9.59, o homem disse que queria enterrar o pai antes de seguir Jesus? Ele não quis dizer que o pai tinha acabado de morrer, mas que se sentia obrigado a esperar o pai morrer, mesmo que levasse vários anos, provavelmente, para receber a herança. Isso explica sua relutância em seguir Jesus. 5. Por que motivo Jó perguntou: “Por que houve regaço que me acolhesse?” (Jó 3.12)? Uma criança recém-nascida era colocada sobre os joelhos do avô, simbolizando que ela era sua descendente (Gn 48.12; 50.23). Afundado em tristeza, Jó estava questionando por que tinha nascido.  6. Por que as cinco virgens foram tolas por não terem levado azeite de reserva (Mt 25.1-13)? O motivo é que uma cerimônia de casamento podia durar até três horas e, assim, o azeite das lamparinas poderia acabar. As cinco virgens prudentes, por sua vez, “ … além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas” (v. 4), mostrando dessa forma que estavam preparadas.  7. Por que o Senhor falou da erva que é lançada no fogo (Mt 6.30)? Os fornos de barro, onde se assavam pães finos parecidos com panquecas, eram aquecidos pela queima do capim. Geografia 1. Por que Jesus teve de “atravessar a província de Samaria” (Jo 4.4)? Visto que os judeus não se davam com os samaritanos (v. 9), eles costumavam passar ao largo de Samaria quando iam da Judéia, no sul, para o norte. Os viajantes seguiam por uma estrada próxima do rio Jordão ou do mar Mediterrâneo. Mas Jesus atravessou Samaria e foi até Sicar a fim de encontrar-se com a mulher que ele, em sua onisciência, sabia que estaria lá. 2. Por que Davi fugiu Continue lendo

Versículos bíblicos sobre preocupação

Versículos bíblicos sobre preocupação

O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima. (Provérbios: 12.25) A preocupação não faz bem para ninguém, todos sabemos disso. Porém, infelizmente, mesmo sabendo disso, nos preocupamos o tempo todo. Existe, até, o perigo de a preocupação se tornar um hábito. Isso tem a ver, também, com a necessidade que o homem tem de ter tudo sob o seu controle. E a Palavra de Deus diz que, nenhum de nós pode acrescentar uma hora que seja a nossa vida, através da preocupação. Mas diz, também, para entregarmos a nossa vida ao Senhor, que Ele nos sustentará. O coração bem-disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos. (Provérbios: 17.22) Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. (Filipenses: 4.6-7) Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês. (1 Pedro: 5.6-7) Fui moço, e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem a sua semente a mendigar o pão. (Salmos 37.25) Quando a ansiedade já me dominava no íntimo, o teu consolo trouxe alívio à minha alma. (Salmos: 94.19) Mas antes de tudo isso, prenderão e perseguirão vocês. Então os entregarão às sinagogas e prisões e vocês serão levados à presença de reis e governadores, tudo por causa do meu nome. Será para vocês uma oportunidade de dar testemunho. Mas convençam-se de uma vez de que não devem preocupar-se com o que dirão para se defender. Pois eu lhes darei palavras e sabedoria a que nenhum dos seus adversários será capaz de resistir ou contradizer. (Lucas: 21.12-15) Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é aquele que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera. (Mateus: 13.22) Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal”. (Mateus: 6.34) Portanto, não se preocupem, dizendo: Que vamos comer, ou o que vamos beber, ou que vamos vestir, pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas, mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. (Mateus: 6.31-33) Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo, que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé. (Mateus: 6.28-30) Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que Continue lendo

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Em 180 um filósofo e teólogo cristão nascido provavelmente na Sicília, no século II chamado Panteno funda uma escola “gnóstico cristão” em Alexandria e ensinava o cristianismo como a verdadeira filosofia, pois desejava entrar no universo dos pensamentos pagãos para mostrar a superioridade da fé católica (universal). Por meio de suas explanações meticulosas e inspiradas, ele levou muitos pagãos para o cristianismo e consigo levou muitos cristãos para o paraíso teológico, pois apresentou o evangelho nos moldes do pensamento grego e harmonizou filosofia e cristianismo (estoicismo, platonismo) sendo pra ele a filosofia um veículo para ensinar sobre o cristianismo, tendo em seu rol de alunos Clemente. Para Clemente a filosofia foi um mestre para os gregos, como a lei o foi para os hebreus, preparando caminho para aqueles que são aperfeiçoados por Cristo. Nós Conhecemos Clemente pelo que restou de seus trabalhos escritos e os mais relevantes formam uma possível trilogia Exortação dos pagãos, o Instrutor e Misselâneas que ele nunca finalizou, ele foi o primeiro estudioso cristão era versado não apenas nas sagradas escrituras como também o conhecimento de seu tempo que inclui a filosofia grega e literatura clássica. Ele viveu e ensinou como um filósofo, usando as formas e a linguagem dos gnósticos de seu tempo, seu objetivo não era vencer argumentos, mas conquistar homens para Jesus e guiá-los para salvação. Era uma aventura arriscada, especialmente em Alexandria, onde a influência do gnosticismo valentiniano ainda pairava no ar. Clemente e Orígenes se mantiveram leais a mensagem essencial de Pedro e Paulo mesmo quando a apresentavam na forma de filosofia, pois os gnósticos ao lidar com o cristianismo deixaram o evangelho em pedaços e outro ponto também que divergiam dos gnósticos era o aspecto sobre “o comportamento cristão”, pois os hereges não estavam interessados no aperfeiçoamento do caráter. Existia um conflito entre Clemente e os hereges gnósticos, pois os valentinianos rejeitaram a criação, sendo o produto de alguma divindade do mal, mas Clemente faz da criação um fato Central. O ministério de Clemente, então representou um momento importante no progresso da doutrina cristã, depois dele o pensamento grego uniu-se ao pensamento cristão por meio dos grandes santos e teólogos do então cristianismo do leste e este vínculo estava assegurado, pois sem isso a produção teológica cambaleante dos conselhos da Igreja primitiva teriam sido impossíveis. No final do século III, a perseguição contra os cristãos em Alexandria, forçou Clemente a deixar a cidade e transferiu a direção de sua escola para um jovem de dezoito anos extremamente talentoso chamado Orígenes (185 a 254). Orígenes foi habilidoso professor, grande mestre de Alexandria, sempre considerou a exposição das Escrituras sua principal atividade e estudantes viajaram de diversos lugares para adquirir um pouco de sabedoria com ele. Para Orígenes Deus cria em nós um anseio incomparavelmente maior de conhecer os princípios, o método, os propósitos da criação e esse desejo, essa paixão sem dúvida foram colocados em nós por Deus e da maneira que os olhos buscam a luz e nossos corpos anseiam por alimento, Continue lendo