Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Vida doméstica 1. Qual é o significado de Oséias 7.8: “Efraim […] é um pão que não foi virado”? Às vezes, um pão assa mais de um lado que de outro se não for virado. Parece que Oséias empregou essa ilustração para dizer que Efraim carecia de equilíbrio, dando mais atenção a determinadas coisas e deixando de atentar para outras. 2. Não foi falta de educação João encostar-se em Jesus na última ceia (Jo 13.23)? Não, eles se sentavam em sofás, não em cadeiras, na hora das refeições; por isso, naquela cultura, não era considerado falta de educação uma pessoa recostar-se em outra. 3. Por que Tiago disse que se ungissem os enfermos com óleo (Tg 5.14)? Existem dois verbos gregos com o sentido de esfregar, ou ungir. O primeiro é chriõ, que significa ungir num ritual. Não foi esse o termo que Tiago usou. O verbo em Tiago 5.14 é aleiphõ, cujo significado é esfregar com óleo. Assim sendo, Tiago não estava referindo-se a um ritual. Pelo contrário, ele falava de uma atitude refrescante e estimulante para com as pessoas doentes ou deprimidas. {Aleiphõ também é empregado em Mateus 6.17 com o sentido de passar óleo na própria cabeça [para refrescar-se], e em Lucas 7.46 em referência ao fato de a pecadora ter esfregado perfume nos pés de Jesus.) 4. Por que, em Lucas 9.59, o homem disse que queria enterrar o pai antes de seguir Jesus? Ele não quis dizer que o pai tinha acabado de morrer, mas que se sentia obrigado a esperar o pai morrer, mesmo que levasse vários anos, provavelmente, para receber a herança. Isso explica sua relutância em seguir Jesus. 5. Por que motivo Jó perguntou: “Por que houve regaço que me acolhesse?” (Jó 3.12)? Uma criança recém-nascida era colocada sobre os joelhos do avô, simbolizando que ela era sua descendente (Gn 48.12; 50.23). Afundado em tristeza, Jó estava questionando por que tinha nascido.  6. Por que as cinco virgens foram tolas por não terem levado azeite de reserva (Mt 25.1-13)? O motivo é que uma cerimônia de casamento podia durar até três horas e, assim, o azeite das lamparinas poderia acabar. As cinco virgens prudentes, por sua vez, “ … além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas” (v. 4), mostrando dessa forma que estavam preparadas.  7. Por que o Senhor falou da erva que é lançada no fogo (Mt 6.30)? Os fornos de barro, onde se assavam pães finos parecidos com panquecas, eram aquecidos pela queima do capim. Geografia 1. Por que Jesus teve de “atravessar a província de Samaria” (Jo 4.4)? Visto que os judeus não se davam com os samaritanos (v. 9), eles costumavam passar ao largo de Samaria quando iam da Judéia, no sul, para o norte. Os viajantes seguiam por uma estrada próxima do rio Jordão ou do mar Mediterrâneo. Mas Jesus atravessou Samaria e foi até Sicar a fim de encontrar-se com a mulher que ele, em sua onisciência, sabia que estaria lá. 2. Por que Davi fugiu Continue lendo

Versículos bíblicos sobre preocupação

Versículos bíblicos sobre preocupação

O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima. (Provérbios: 12.25) A preocupação não faz bem para ninguém, todos sabemos disso. Porém, infelizmente, mesmo sabendo disso, nos preocupamos o tempo todo. Existe, até, o perigo de a preocupação se tornar um hábito. Isso tem a ver, também, com a necessidade que o homem tem de ter tudo sob o seu controle. E a Palavra de Deus diz que, nenhum de nós pode acrescentar uma hora que seja a nossa vida, através da preocupação. Mas diz, também, para entregarmos a nossa vida ao Senhor, que Ele nos sustentará. O coração bem-disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos. (Provérbios: 17.22) Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. (Filipenses: 4.6-7) Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês. (1 Pedro: 5.6-7) Fui moço, e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem a sua semente a mendigar o pão. (Salmos 37.25) Quando a ansiedade já me dominava no íntimo, o teu consolo trouxe alívio à minha alma. (Salmos: 94.19) Mas antes de tudo isso, prenderão e perseguirão vocês. Então os entregarão às sinagogas e prisões e vocês serão levados à presença de reis e governadores, tudo por causa do meu nome. Será para vocês uma oportunidade de dar testemunho. Mas convençam-se de uma vez de que não devem preocupar-se com o que dirão para se defender. Pois eu lhes darei palavras e sabedoria a que nenhum dos seus adversários será capaz de resistir ou contradizer. (Lucas: 21.12-15) Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é aquele que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera. (Mateus: 13.22) Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal”. (Mateus: 6.34) Portanto, não se preocupem, dizendo: Que vamos comer, ou o que vamos beber, ou que vamos vestir, pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas, mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. (Mateus: 6.31-33) Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo, que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé. (Mateus: 6.28-30) Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que Continue lendo

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Em 180 um filósofo e teólogo cristão nascido provavelmente na Sicília, no século II chamado Panteno funda uma escola “gnóstico cristão” em Alexandria e ensinava o cristianismo como a verdadeira filosofia, pois desejava entrar no universo dos pensamentos pagãos para mostrar a superioridade da fé católica (universal). Por meio de suas explanações meticulosas e inspiradas, ele levou muitos pagãos para o cristianismo e consigo levou muitos cristãos para o paraíso teológico, pois apresentou o evangelho nos moldes do pensamento grego e harmonizou filosofia e cristianismo (estoicismo, platonismo) sendo pra ele a filosofia um veículo para ensinar sobre o cristianismo, tendo em seu rol de alunos Clemente. Para Clemente a filosofia foi um mestre para os gregos, como a lei o foi para os hebreus, preparando caminho para aqueles que são aperfeiçoados por Cristo. Nós Conhecemos Clemente pelo que restou de seus trabalhos escritos e os mais relevantes formam uma possível trilogia Exortação dos pagãos, o Instrutor e Misselâneas que ele nunca finalizou, ele foi o primeiro estudioso cristão era versado não apenas nas sagradas escrituras como também o conhecimento de seu tempo que inclui a filosofia grega e literatura clássica. Ele viveu e ensinou como um filósofo, usando as formas e a linguagem dos gnósticos de seu tempo, seu objetivo não era vencer argumentos, mas conquistar homens para Jesus e guiá-los para salvação. Era uma aventura arriscada, especialmente em Alexandria, onde a influência do gnosticismo valentiniano ainda pairava no ar. Clemente e Orígenes se mantiveram leais a mensagem essencial de Pedro e Paulo mesmo quando a apresentavam na forma de filosofia, pois os gnósticos ao lidar com o cristianismo deixaram o evangelho em pedaços e outro ponto também que divergiam dos gnósticos era o aspecto sobre “o comportamento cristão”, pois os hereges não estavam interessados no aperfeiçoamento do caráter. Existia um conflito entre Clemente e os hereges gnósticos, pois os valentinianos rejeitaram a criação, sendo o produto de alguma divindade do mal, mas Clemente faz da criação um fato Central. O ministério de Clemente, então representou um momento importante no progresso da doutrina cristã, depois dele o pensamento grego uniu-se ao pensamento cristão por meio dos grandes santos e teólogos do então cristianismo do leste e este vínculo estava assegurado, pois sem isso a produção teológica cambaleante dos conselhos da Igreja primitiva teriam sido impossíveis. No final do século III, a perseguição contra os cristãos em Alexandria, forçou Clemente a deixar a cidade e transferiu a direção de sua escola para um jovem de dezoito anos extremamente talentoso chamado Orígenes (185 a 254). Orígenes foi habilidoso professor, grande mestre de Alexandria, sempre considerou a exposição das Escrituras sua principal atividade e estudantes viajaram de diversos lugares para adquirir um pouco de sabedoria com ele. Para Orígenes Deus cria em nós um anseio incomparavelmente maior de conhecer os princípios, o método, os propósitos da criação e esse desejo, essa paixão sem dúvida foram colocados em nós por Deus e da maneira que os olhos buscam a luz e nossos corpos anseiam por alimento, Continue lendo

Versículos bíblicos sobre a desobediência

Versículos bíblicos sobre a desobediência

Pois Deus colocou todos sob a desobediência, para exercer misericórdia para com todos.(Romanos: 11.32) Talvez a maior dificuldade do homem em seu relacionamento com Deus, seja obedecer. A essência do caráter do ser humano é rebelde e, por conta disso, ele desobedece constantemente a Deus. Desde o início da criação, o homem trava essa luta diária e prefere andar dentro dos desejos do seu coração maligno. Porque se a mensagem transmitida por anjos provou a sua firmeza, e toda transgressão e desobediência recebeu a devida punição, como escaparemos nós se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram. (Hebreus: 2.2-3) Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo. E estaremos prontos para punir todo ato de desobediência, uma vez completa a obediência de vocês. (2 Coríntios: 10.5-6) Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria. É por causa dessas coisas que vem a ira de Deus sobre os que vivem na desobediência. (Colossenses: 3.5-6) Ninguém vos engane com palavras vãs, porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. (Efésios: 5.6) Porque como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um, muitos serão feitos justos. (Romanos: 5.19) Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do Senhor, ele o rejeitou como rei. (1 Samuel: 15.23) E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo? (Lucas: 6.46) Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. (Atos:5.29) E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. (Tiago: 1.22) Embora sendo Filho, ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte de eterna salvação para todos os que lhe obedecem. (Hebreus 5.8-9) Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus, mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus. (Mateus: 5.19) Como filhos obedientes, não se deixem amoldar pelos maus desejos de outrora, quando viviam na ignorância. (1 Pedro: 1.14) Porque nisto consiste o amor a Deus, obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados. (1 Pedro: 5.14)

É ainda proibido aos cristãos comer sangue?

É ainda proibido aos cristãos comer sangue?

Depois do Dilúvio, o Senhor renovou sua aliança com Noé e deu-lhe linhas mestras para orientar a sociedade pós-diluviana (Gn 9.1-16). O versículo 4 contém esta importante proibição: “Não coma carne com sangue, que é vida [nepeš]”. A “santidade” especial do sangue conduz a um mandamento que determina a pena capital para qualquer pessoa que cometer homicídio. Posteriormente, em Levítico 17.10, 11, especifica-se com maiores minúcias as razões por que se deve evitar o sangue como alimento: “Todo israelita ou estrangeiro residente que comer sangue de qualquer animal, contra esse eu me voltarei e o eliminarei do meio do seu povo. Pois a vida [nepeš] da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por si mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida”. Os versículos seguintes prosseguem, especificando que até a caça selvagem deve ter o sangue escorrido totalmente, antes de ser comida. A questão com a qual se defrontam os crentes da época do NT é se essa proibição se refere a nós também. A revelação que Deus concedeu a Pedro em Atos 10.10-15 ensinou-lhe que as antigas restrições da lei mosaica concernentes a alimentos proibidos não deveriam mais ser observadas. Todos os quadrúpedes, todos os seres rastejantes e todas as aves deveriam ser considerados limpos e próprios para consumo humano. O fator importante aqui era a aplicação desse princípio por analogia a todas as raças humanas, tanto aos judeus como aos gentios — todos os homens considerados aptos ao alcance da salvação e da graça, mediante o sangue derramado por Jesus. Permanece, entretanto, a questão: a remoção das categorias de alimentos limpos estabelecidas com tantas minúcias em Levítico 11.1-45 e Deuteronômio 14.3-21 verdadeiramente elimina as restrições contra o uso do sangue? Agora que Cristo derramou seu precioso sangue, esse fato removeu toda a santidade do sangue dos animais? Ou esse sangue deve continuar a ser respeitado como sendo precioso, por causa de seu simbolismo do Calvário? Em outras palavras, a permissão para comermos de todos os animais e aves, sem discriminação, envolve a licença para comermos o sangue desses animais? Ou esses deveriam ser primeiro sangrados, ao serem mortos, antes de assados ou preparados de outra forma para o consumo humano? Parece que a resposta a essa pergunta é sim. Alguns anos depois de Pedro haver recebido instruções especiais de Deus, mediante uma visão, o Concilio de Jerusalém reuniu-se a fim de deliberar se dos novos convertidos dever-se-ia exigir que adotassem as cerimônias judaicas antes de tornar-se cristãos. Por ser o presidente do Concilio, Tiago declarou: “Portanto, julgo que não devemos pôr dificuldades aos gentios que estão se convertendo a Deus. Ao contrário, devemos escrever a eles, dizendo-lhes que se abstenham [1] de comida contaminada pelos ídolos, [2] da imoralidade sexual, [3] da carne de animais estrangulados e do sangue” (At 15.19, 20). Essa determinação foi aprovada pelo resto da assembléia. E assim foi que se decidiu a respeito da seguinte resposta a ser dada aos convertidos de Antioquia, Continue lendo

O Curso de Inglês Bíblico

O Curso de Inglês Bíblico

O Curso de Inglês que todo Cristão esperava! Se você é CRISTÃO e tem a vontade de FALAR INGLÊS esse curso é paravocê! Que tal sair do ZERO e chegar à FLUÊNCIA NO INGLÊS através de umcurso pautado na Palavra de Deus: a BÍBLIA. Que tal unir o AGRADÁVEL ou ESSENCIAL: Aprender inglês enquanto estuda a bíblia e estudar a bíblia enquanto aprende inglês Acesse o vídeo grátis 7 REGRAS DE OURO para o aprendizado do Inglês! »Assista grátis aqui« VOCÊ JÁ PENSOU EM APRENDER INGLÊS AO ESTUDAR A BÍBLIA?VOCÊ JÁ PENSOU EM APRENDER A BÍBLIA AO ESTUDAR INGLÊS? » Descubra agora clicando aqui » 7 REGRAS DE OURO PARA APRENDER INGLÊS COM A BÍBLIA! 

Versículos bíblicos contra o desespero

Versículos bíblicos contra o desespero

O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade.(Salmos: 9.9) Vivemos tempos muito difíceis em todas as áreas da vida. E, por conta disso, muitas vezes ficamos completamente desorientados. Porque não conseguimos vislumbrar nenhuma saída para determinadas situações. Nesse momento, vem o desespero e nos sentimos completamente sós. O que esquecemos, é que Deus nunca nos abandonará, muito embora determinadas situações nos levem a pensar que Ele fez isso. Sendo assim, relacionamos diversos versículos com promessas de um Deus fiel e que não mente. Por isso não tema, pois estou com você, não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei. Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa. (Isaías: 41.10) O Senhor é a minha força e o meu escudo, nele o meu coração confia e dele recebo ajuda. Meu coração exulta de alegria e com o meu cântico lhe darei graças. (Salmos: 28.7) Busquem o Senhor enquanto se pode achá-lo, clamem por ele enquanto está perto. (Isaías: 55.6) E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas. (Apocalipse: 21.4) Invoquei o Senhor na angústia, o Senhor me ouviu e me tirou para um lugar largo. (Salmos: 118.5) Espera no Senhor, anima-te e ele fortalecerá o teu coração, espera, pois, no Senhor. (Salmos: 27.14) Venham a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados e eu lhes darei descanso. (Mateus: 11.28) Tu que me fizeste passar muitas e duras tribulações, restaurarás a minha vida e das profundezas da terra de novo me farás subir. Tu me farás mais honrado e mais uma vez me consolarás. (Salmos: 71.20-21) Assim, fixamos os olhos não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno. (2 Coríntios: 4.18) O Senhor protegerá a sua saída e a sua chegada, desde agora e para sempre. (Salmos: 121.8) O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus. (Filipenses: 4.19) Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam. (Salmos: 9.10) Os justos clamam, o Senhor os ouve e os livra de todas as suas tribulações. (Salmos: 34.17) Ele clamará a mim e eu lhe darei resposta, e na adversidade estarei com ele, vou livrá-lo e cobri-lo de honra. (Salmos: 91.15)

Ser cristão na igreja é facil

Ser cristão na igreja é facil

A Paz, Tudo bem? Hoje quero trazer uma linda reflexão para você. Como você está cuidando da SUA Igreja? Muitas pessoas ao lerem essa pergunta, vão pensar: Muito bem! Eu ajudo na limpeza…no Ministério Infantil…no discipulado….na célula….etc E isso realmente é muito bom. Porém, a igreja na qual você congrega faz parte de uma vida em comunidade. E eu não quero ser chato com você, mas a verdade é que ser cristão dentro da igreja em comunidade é fácil. E você deve estar pensando: Fácil? Como assim, o que você está falando? Bom…vou te explicar…. Durante toda minha vida cristã, vejo centenas e centenas de irmãos e irmãs dizendo que conseguem ser cristãos dentro da igreja, mas que não conseguem ser cristãos dentro de casa. Você provavelmente já ouviu alguém falar isso também. E eu comecei a me perguntar….por que uma pessoa consegue ser cristão dentro da igreja e não consegue ser cristão dentro de casa? E a resposta que eu cheguei foi a forma como olhar para o espaço físico. Dentro da igreja onde congregam, as pessoas acabam praticando o caráter cristão. Mas dentro de casa, onde é o espaço onde estão “mais confortáveis”, as pessoas brigam, discutem, se agridem e tantas outras coisas ruins… Ao pensar nisso tudo, eu tenho uma proposta para você. E se você transformasse sua casa, na igreja que Deus preparou para você cuidar? E se sua casa fosse a igreja que Deus deu a chave, preparou o altar e te deu a responsabilidade de prosperar e cuidar de suas ovelhas? Você estaria cumprindo bem sua missão ou sua igreja estaria em ruínas? A partir de hoje, eu quero te desafiar a tratar sua casa, seu lar, como a igreja que Deus te confiou para você cuidar. Esse tipo de pensamento, vai fazer com que você seja tão intenso dentro de casa, quanto você é na igreja que você congrega. Nossa casa, também é uma Igreja do Senhor. E precisamos cuidar daquilo que nos foi confiado. Como você está cuidando da sua igreja? Eu desejo de todo coração que você seja um grande líder cristão dentro do seu lar, dentro da sua igreja, onde você mora. Que o seu lar seja o lugar onde o caráter cristão seja vivo, onde exista o amor e a paz. Espero que essa mensagem tenha ajudado você a ter um dia pleno. E queria pedir apenas mais uma ajuda. Se você puder, encaminhe esse email para algum irmão ou irmã que vai a igreja junto com você, mas que está com o lar destruído. Vamos semear essa mensagem na vida das pessoas e ajudar todos a cuidarem de seus lares, assim como cuidam da igreja. Cuide da igreja que Deus confiou a você, o seu lar. Que seu dia seja muito abençoado e cheio de alegria. PS. Invista em seu Relacionamento com Deus e com o próximo! O que te espera do outro lado são ferramentas para viver um relacionamento muito mais forte, protegido e feliz. Clique aqui e descubra mais. Continue lendo

Breve estudo sobre o contexto de Agostinho

Breve estudo sobre o contexto de Agostinho

Nesse breve estudo falaremos sobre o contexto do Santo Agostinho (Aurélio Agostinho 354-430 d.C.), as situações que ocorreram em sua época e seu posicionamento, mas antes mencionaremos alguns fatos que antecederem esse período. O primeiro assunto que desejo abordar é sobre a apostasia, pois foi considerada no desenvolvimento da igreja um dos três graves erros cometidos após o batismo e requeriam tratamento especial. Os Três graves erros são: imoralidade sexual, assassinato e a negação da fé “apostasia” esses eram consideráveis perdoáveis por Deus, mas não pela igreja. A penalidade para qualquer um desses pecados era a exclusão da igreja e a privação da Eucaristia. Uma vez que a Comunhão acreditava a maioria, era um canal especial de comunicação com a graça divina, negá-la colocava a salvação de uma pessoa em perigo. Inácio a chamou de o “remédio para a imortalidade e o antídoto da morte”, o primeiro que readmitiu os pecadores arrependidos como uma política foi o bispo de Roma Calixto (217-222) que aceitou os membros arrependidos que tinha cometido adultério, pois ele via a igreja como uma arca de Noé, onde eram encontrados tanto animais puros como os impuros. Tertuliano que nessa época vivia no norte da África, achou isso um absurdo e ficou horrorizado, pois para ele“ Não perdoamos os apóstatas e devemos perdoar os adúlteros?” Calixto representava a mentalidade do futuro e se as pessoas culpadas de adultério eram perdoadas na igreja, então porque não perdoar os apóstatas. Logo em 250, ocorreu mais uma violenta perseguição agora pelo imperador Décio (249-251) que considerava os cristãos como inimigos do Império por suas práticas consideradas como ateístas e responsáveis por muitos problemas da região e ordenou que todos os cidadãos do Império oferecessem sacrifícios para os deuses romanos tradicionais e aqueles que obedecessem e realizassem receberiam certificados (libelli, em latim) como prova de obediência, caso contrário a morte era a punição. Os que morreram foram chamados de “mártires”, isto é “testemunhas”. Esses mártires eram torturados até a morte para que negassem e mencionassem as seguintes palavras “César é o Senhor” e se resistissem e não negassem eram chamados de “confessor” e se um crente diante da tortura negasse era chamado de “prescritos” ou degradados, essa fúria só terminou quando em 251 quando o imperador Décio desertado por seus deuses foi morto numa batalha com os godos e muitos crentes foram culpados de apostasia e em algumas congregações esse número chegou a 75% da congregação. Cipriano, bispo de Cartago, afirmou que “Fora da igreja não existe salvação” e muitas pessoas levantavam um clamor a respeito da readmissão, mas como resolver essa questão, pois a igreja considerava a apostasia como um “pecado contra o Espírito Santo”, para o qual não havia perdão. O respeito e admiração pelos mártires e confessores os fizeram serem mencionados e considerados como “Santos” e um novo pensamento surge, esses santos estavam alcançando um poder especial de Deus. O Espírito Santo ordenou-os de forma notável, de modo que tinham poder para absolver os homens de seus pecados Continue lendo

Versículos bíblicos de consolo

Versículos bíblicos de consolo

Como alguém a quem consola sua mãe, assim eu vos consolarei e em Jerusalém vós sereis consolados.(Isaías: 66.13) Muitas vezes nos sentimos sozinhos e achamos que estamos abandonados. Pensamos até, que Deus se esqueceu de nós. Porém, Deus não esquece de ninguém e a sua Palavra diz que Ele consola os abatidos. Diz, também, que nos consola em toda a tribulação. Promete que, mesmo que estejamos nos vale da sombra da morte, Ele estará conosco. O Senhor é o nosso eterno consolador. Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. (Isaías 4.1) Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. (2 Coríntios: 1.4) Mas Deus, que consola os abatidos, nos consolou com a vinda de Tito. 2 (Coríntios: 7.6) Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras. (1 Tessalonicenses: 4.18) Depois voltei-me e atentei para todas as opressões que se fazem debaixo do sol, e eis que vi as lágrimas dos que foram oprimidos e dos que não têm consolador, e a força estava do lado dos seus opressores, mas eles não tinham consolador. (Eclesiastes: 4.1) Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo. (Salmos: 119.76) Mostra-me um sinal para bem, para que o vejam aqueles que me odeiam e se confundam porque tu, Senhor, me ajudaste e me consolaste. (Salmos 86.17) Na multidão dos meus pensamentos, dentro de mim, as tuas consolações recrearam a minha alma. (Salmos: 94.9) Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam. (Salmos: 23.4) Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão, no oculto do seu tabernáculo me esconderá, pôr-me-á sobre uma rocha. (Salmos: 27.5) Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros, para que todos aprendam e todos sejam consolados. (1 Coríntios: 14.31) O qual vos enviei para o mesmo fim, para que saiba do vosso estado e console os vossos corações. (Colossenses: 4.8) Para que os seus corações sejam consolados e estejam unidos em amor, e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus e Pai e de Cristo. (Colossenses: 2.2) Isto é a minha consolação na minha aflição, porque a tua palavra me dá vida. (Salmos: 119.50) Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti, ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará, não temas, nem te espantes. (Deuteronômio: 31.8) Não te mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo, não temas, nem te espantes, porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares. (Josué: 1.9)

Espiritualidade nos escritos Joaninos

Espiritualidade nos escritos Joaninos

Antes de entrarmos no assunto sobre a espiritualidade nos escritos joaninos veremos primeiramente uma sucinta introdução sobre espiritualidade. Introdução: O que é espiritualidade É difícil ter uma definição específica para o tema espiritualidade, por causa da variedade de sentidos com que é aplicada e por causa das controvérsias dos estudiosos especializados sobre esse tema. Espiritualidade é algo pessoal, a maneira de ver as coisas e vive-las, é uma experiência diária, uma prática que se mostra nas atitudes, é uma vida de serviço para com o próximo, a marca da espiritualidade é o amor que se desdobra em atitudes e ela autentica a presença de Deus. A palavra espiritualidade está baseada na palavra hebraica ruach, esse termo é traduzido por espírito, vento, fôlego, essa palavra nos traz uma ideia de animar uma pessoa, de impulsionar, sustentar, nos leva a refletir que espiritualidade é algo prático e dinâmico. Espiritualidade é a pratica na vida real da fé religiosa de uma pessoa, envolve o que a pessoa crê e como ela exercita essa sua crença na sua vida diária. No livro uma introdução à espiritualidade crista o autor (Aliester E. McGrath, pg 20), traz a seguinte definição “Espiritualidade refere-se à busca por uma vida religiosa autêntica e satisfatória, envolvendo a união de ideias específicas de determinada religião com toda a experiência de vida baseada em e dentro do âmbito dessa religião.” Devido ao materialismo e a crescente valorização aos bens materiais, nos últimos anos tem crescido o interesse pelo estudo geral da espiritualidade. Segundo inúmeras evidências a espiritualidade pessoal tem efeito terapêutico positivo sobre os indivíduos. Esse processo de espiritualidade não é fácil e não ocorre de uma hora para outra é demorado e dura a vida toda, o processo se inicia quando homens e mulheres se lançam no caminho do discipulado com Cristo. A espiritualidade ao longo da história da igreja cristã trouxe benefícios e renovação para o povo de Deus, ela gera pessoas motivadas a buscarem uma vida de transformação e santidade e faz a igreja buscar o fervor que se perdeu durante a caminhada. No cristianismo espiritualidade significa viver um encontro real e pessoal com Jesus Cristo e experimentar sua presença diariamente através das praticas devocionais, diariamente somos supridos quando nos aprofundamos na experiência com Deus. Os ensinos joaninos, mesmo eles tendo sido escritos em épocas diferentes e para situações diferentes, a essência desses ensinos tem uma teologia profunda, rica e transformadora. A espiritualidade, ou vida cristã, é um dos temas centrais das epístolas neotestamentárias, sejam as paulinas, sejam as joaninas. Na primeira epístola de João encontramos um excelente exemplo de ensino sobre a espiritualidade mais tipicamente elaborado de acordo com a tradição judaica, mas em profundo diálogo com a tradição de Cristo, e em contraste com as religiões helênicas, especialmente as de mistério, as religiões de mistério estavam entre as principais concorrentes da fé cristã, pois elas também propunham um caminho de salvação – mas um caminho dualista, baseado na ação humana e não na ação divina. João oferece Continue lendo

Versículos bíblicos sobre a volta de Jesus

Versículos bíblicos sobre a volta de Jesus

Aquele que dá testemunho destas coisas diz: “Sim, venho em breve! ” Amém. Vem, Senhor Jesus!(Apocalipse: (22.20) Introdução: Depois que Jesus ressuscitou dos mortos, Ele ascendeu aos céus. Porém deixou a promessa que voltaria para buscar a sua igreja. Quando isso acontecerá ninguém sabe, é um segredo que somente Deus tem conhecimento. Por isso, a Palavra de Deus alerta a todos os cristãos que estejam preparados, pois Ele virá de surpresa, quando ninguém estiver esperando. Sendo assim, todos os crentes devem viver uma vida digna, íntegra, fazendo o que é certo, enquanto espera a Sua Volta. Versículos sobre a Volta de Jesus nos Evangelhos: Marcos: 13.26-27:Então se verá o Filho do homem vindo nas nuvens com grande poder e glória.E ele enviará os seus anjos e reunirá os seus eleitos dos quatro ventos, dos confins da terra até os confins do céu. Mateus: 24.23-27:Se, então, alguém lhes disser: Vejam, aqui está o Cristo! ou: Ali está ele! não acreditem.Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos.Vejam que eu os avisei antecipadamente.Assim, se alguém lhes disser: Ele está lá, no deserto! não saiam; ou: ‘Ali está ele, dentro da casa! não acreditem.Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem. Mateus: 24.42:Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor. João: 14.1-3:Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus, creiam também em mim.Na casa de meu Pai há muitos aposentos, se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar.E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver. Mateus: 24.42:Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor. Mateus: 16.27:Pois o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos e então recompensará a cada um de acordo com o que tenha feito. Lucas: 21.27:Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem com poder e grande glória. Versículos sobre a Volta de Jesus em Atos dos Apóstolos: Atos: 1.11:Que lhes disseram: “Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado ao céu, voltará da mesma forma como o viram subir”. Versículos sobre a Volta de Jesus nas Cartas de Paulo: 1 Tessalonicenses: 5.23:Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, alma e corpo de vocês seja conservado irrepreensível na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Coríntios: 1.7-8:De modo que não lhes falta nenhum dom espiritual, enquanto vocês aguardam que o nosso Senhor Jesus Cristo seja revelado.Ele os manterá firmes até o fim, de modo que vocês serão irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Versículos que falam sobre o tema nas Cartas Gerais: Tito: 2.11-13:Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.Ela nos ensina a renunciar à impiedade e Continue lendo

A conquista de Jericó pode ser encontrada?

A conquista de Jericó pode ser encontrada?

Por que as tentativas de escavar evidência indiscutível da conquista têm fracassado tanto até aqui? Keith Schoville, professor emérito no departamento de Estudos Hebraicos e Semíticos na Universidade de Wisconsin (Madison), oferece uma explicação: Estes são assuntos muito difíceis de asseverar ou corroborar em termos de pesquisa arqueológica. Você simplesmente não tem… um tablete dizendo que os israelitas conquistaram tal e tal lugar em tal e tal data. Esse tipo de coisa não existe. Outra razão para esta dificuldade tem estado implícita em nossa discussão sobre a natureza da conquista em si mesma. Os fatos, como a Bíblia os apresenta, indicam que não há relativamente nenhuma evidência da conquista a encontrar. Maciça destruição física de toda Canaã não foi nem o alvo nem o resultado da conquista. A “proscrição” (sentença de destruição) sob a qual Canaã foi colocada por Deus aplicava-se às populações cananitas dentro de suas cidades, não às cidades em si mesmas (veja]s 6.17,21), exceto por Jericó, Ai e Hazor. Na avaliação de David Merling, a conquista, conforme descrita na Bíblia, não devia deixar evidência suficiente de si mesma. À luz deste entendimento, se nós realmente encontrássemos evidência de uma maciça destruição ao longo da rota da conquista na época em que a Bíblia a coloca (1400 a.C.), isso causaria na verdade maior problema para a Bíblia! Deveríamos, então, procurar tal evidência de algum modo? Eugene Merrill, professor de Antigo Testamento no Dallas Theological Seminary, é de opinião de que tais esforços são inúteis: …a verificabilidade arqueológica da conquista revela-se um exercício em irrelevância. Tudo que alguém poderia esperar é alguma indicação de que ocupantes da terra dizimados foram substituídos por colonizadores étnica e culturalmente diferentes, uma busca que é notoriamente infrutífera. Uma razão para que tal busca fosse uma vez julgada infrutífera é que enquanto tentam achar evidência da substituição ocupacional, os israelitas em seu período de colonização poderiam ter simplesmente adotado a cultura material dos cananitas (Dt 6.10,11). Não tendo ainda desenvolvido sua cultura material distintiva, os israelitas pareciam com os cananitas no registro arqueológico. As cartas de Amarna, constituídas de correspondência entre as cidades-estado cananitas e os oficiais egípcios em Amarna, na verdade revelam que os israelitas eram culturalmente inferiores aos cananitas. Todavia, baseados em escavações e pesquisas mais amplas, nós agora sabemos que os israelitas na verdade evidenciavam apenas uma cultura cerâmica. Esta coleção de cerâmica possibilita que os especialistas façam distinção entre os israelitas e seus vizinhos cananeus. Apesar desta cultura ser datada da imigração e colonização israelitas no final do século XIII a.C. (pelo menos), outros também a tem usado para defender uma data anterior para o êxodo. Por exemplo, as escavações de Manfred Bietak emTell el-Dab’a (Gósen), no Egito, têm revelado um estilo cananeu de cerâmica como aquele que aparece em Canaã. Esta pode ser evidência possível de que os israelitas estiveram uma vez em Gósen, ou de outra forma, que os asiáticos simplesmente entraram nesta região do Delta egípcio. A qualquer custo, a maioria dos críticos eruditos vão dispensar esta Continue lendo

Curso de Liderança Cristã

Curso de Liderança Cristã

Seja você o Líder que Deus quer usar! A liderança cristã exige o crescimento e a adaptação constante. De acordo com a pesquisa feita com milhares de líderes pela Escola de Missões Mundiais do Fuller, os líderes eficientes “mantém uma postura de aluno durante a vida inteira. Nunca param de estudar; lêem livros que aumentam seu conhecimento e ampliam seus horizontes. Assistem cursos para crescer e melhorar suas aptidões ministeriais”. Precisamos de uma liderança que busque Almas em vez de palmas! Em assuntos de importância eterna, a descoberta e a seleção do melhor líder para uma igreja ou uma organização pode ser um trabalho agonizante e paralisador. O desafio tem como foco os importantes passos no processo de seleção e nas características e personalidades que devem ser procuradas em um líder cristão. Quando olhamos o sucesso extraordinário que Jesus atingiu através de homens que ele escolhera, vemos a verdade nesta definição: “Um líder é uma pessoa comum com uma determinação extraordinária em servir”. Descubra mais sobre Liderança Cristã! » Clique Aqui Aprenda também: ✔️ A Liderança Cristã na Atualidade✔️ As Qualificações dos Líderes das Igrejas✔️ Liderança e Influência✔️ Evidências Teológicas da Liderança✔️ Liderança Cristã é uma Obra✔️ Autoridade x Poder✔️ Jesus. Exemplo de Liderança CONHEÇA O CURSO DE LIDERANÇA CRISTÃ Desenvolvendo Líderes Cristãos de Qualidade!