Versículos bíblicos sobre cura

Versículos bíblicos sobre cura

Cura-me, Senhor e sararei, salva-me e serei salvo, porque tu és o meu louvor.(Jeremias: 17.14) O Senhor é o Deus que cura, sabemos disso, mas muitas vezes duvidamos. Somos pessoas que pouca fé, facilmente quebrantados pelas dificuldades da vida. Olhamos mais para as circunstâncias do que para Ele e, por conta disso, sofremos. A Palavra de Deus contém inúmeros versículos testificando que somente o Senhor cura. Mas somos assim, cremos em Deus, mas não cremos que Ele possa nos curar de todos os males. O Senhor edifica Jerusalém, ele reúne os exilados de Israel. Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas. (Salmos: 147.2-3) Há tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir. (Eclesiastes: 3.3) Pelo Espírito a um é dada a palavra de sabedoria, a outro a palavra de conhecimento, pelo mesmo Espírito a outro a fé, pelo mesmo Espírito a outro os dons de cura, pelo único Espírito. (1 Coríntios: 12.8-9) Todavia, trarei restauração e cura para ela, curarei o meu povo e lhe darei muita prosperidade e segurança. (Jeremias: 33.6) E sabendo-o a multidão, o seguiu e ele os recebeu, e falava-lhes do reino de Deus, e sarava os que necessitavam de cura. (Lucas: 9.11) E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua própria pátria, entre os seus parentes e na sua casa. E não podia fazer ali nenhuma obra maravilhosa, somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. (Marcos: 6.4-5) Então clamaram ao Senhor na sua angústia e ele os livrou das suas dificuldades. Enviou a sua palavra, os sarou e os livrou da sua destruição. (Salmos: 107.19-20) Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça, deem também de graça. (Mateus: 10.8) Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que morrêssemos para os pecados e vivêssemos para a justiça, por suas feridas vocês foram curados. (1 Pedro: 2.24) Dizendo-lhes: “Se vocês derem atenção ao Senhor, ao seu Deus e fizerem o que ele aprova, se derem ouvidos aos seus mandamentos e obedecerem a todos os seus decretos, não trarei sobre vocês nenhuma das doenças que eu trouxe sobre os egípcios, pois eu sou o Senhor que os cura”. (Êxodos: 15.26) Entre vocês há alguém que está doente? Que ele mande chamar os presbíteros da igreja, para que estes orem sobre ele e ele seja ungido com óleo, em nome do Senhor. E a oração feita com fé curará o doente, o Senhor o levantará. E se houver cometido pecados, ele será perdoado. (Tiago: 5.14-15) Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas. (Salmos: 147.3) É ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças (Salmos: 103.3) Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças. (Mateus: 9.35) O Senhor o susterá em Continue lendo

Josué realmente conquistou Jericó?

Josué realmente conquistou Jericó?

De acordo com a Bíblia, depois de 40 anos de caminhada no deserto do Sinai, Moisés trouxe os israelitas ao rio Jordão. Naquela fronteira separando o povo escolhido de seu lugar escolhido, Moisés subiu e permaneceu no monte Nebo, enquanto Josué, como seu sucessor, guiou o povo através do Jordão até o país de Canaã. Na história escriturística, esta entrada na Terra Prometida é realizada por uma série de conquistas militares nas quais os israelitas capturaram fortificações cananitas. A mais conhecida destas conquistas é a primeira cidade que caiu — Jericó — cujas muralhas, como todo professor de Escola Dominical tem ensinado — “desmoronaram”. Há apenas um geração aproximadamente, este relato da conquista era aceito como histórico por quase todo mundo. Naqueles dias, o relatório da escavação de Jericó pelos arqueólogos britânicos John e J.B.E. Garstang parecia quase confirmar sem sombra de dúvida a destruição bíblica do que era conhecido como a “Quarta Cidade” em Jericó. Incluído neste relatório estava o que foi reportado como sendo fotografias das mesmas paredes que caíram quando os israelitas tocaram suas trombetas. Estas fotos foram acompanhadas pela declaração de Garstang de que “não há dificuldade agora para entender o tom de fé confiante que soa em cada linha da narrativa bíblica (Js 6)”. Da confiança à controvérsia Na década de 1950, todavia, Kathleen Kenyon escavou em Jericó e concluiu que Garstang estava errado. Na verdade, ela anunciou que suas descobertas revelaram que a cidade tinha sido destruída por volta de 1550 a.C., e portanto havia estado por muito tempo desabitada quando Josué entrou em cena. Para completar, uma geração de arqueólogos israelitas cavando em sítios estratégicos mencionados na narrativa da conquista também não acharam vestígio de destruição do tempo de Josué. Uma escola de pensamento predominante nos círculos arqueológicos hoje acredita que os eventos registrados sobre a conquista foram escritos muitos séculos depois de acontecerem os eventos que eles descrevem. Por esta razão, alguns eruditos alegam que estes relatos não contêm informação histórica acurada, mas somente lembranças de tradições. Como Nadav Naaman, professor de história judaica na Universidade de Tel Aviv explica: “Este enorme hiato explica as muitas discrepâncias entre as histórias da conquista e a evidência arqueológica”. Em círculos acadêmicos modernos, a questão de uma conquista histórica (“As muralhas de Jericó realmente caíram?”) não é mais uma questão de modo algum. Israel Finkelstein, que serve como diretor do Instituto de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv e que tem escavado alguns dos sítios da conquista, diz: “Esta não é uma possibilidade, assunto encerrado!” Finkelstein chega a esta conclusão através de uma análise dos padrões de assentamento nas regiões montanhosas de Israel. Estes, diz ele, indicam que o “Israel verdadeiro”, não o Israel das histórias bíblicas, emergiu no cenário histórico no oitavo ou nono século a.C. (300-400 anos depois que a Bíblia estabelece estes eventos). Tais conclusões modernas nos alertam para o fato de que muitos problemas ainda permanecem para aqueles cuja missão é confirmar a conquista. Os problemas para a conquista Se permitirmos Continue lendo

Versículos bíblicos sobre batismo

Versículos bíblicos sobre batismo

Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.(Atos: 1.5) Introdução: O batismo nas águas é uma decisão que precisa ser tomada por todo aquele que aceita Jesus como Senhor e Salvador. Trata-se de um ato de obediência, tendo em vista se tratar de um mandamento, isto é, não existe a possibilidade de escolha. Nesse ato público, desce às águas a velha criatura marcada pelo pecado e sobe a nova, ressuscitada com Cristo. Sendo assim, relacionamos alguns versículos que tratam desse tema. Versículos sobre o batismo nos Evangelhos: Depois disto foi Jesus com os seus discípulos para a terra da Judéia e estava ali com eles, e batizava. (João: 3.22) Ora, João batizava também em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas e vinham ali e eram batizados. (João: 3.23) Então, ia ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a província adjacente ao Jordão. (Mateus: 3.5) E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. (Mateus: 3.6) E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. (Marcos: 16.15) Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. (Marcos: 16.16) E chegaram também uns publicanos, para serem batizados e disseram-lhe: Mestre, que devemos fazer? (Lucas: 3.12) Mais versículos sobre o batismo nos Evangelhos: E ele lhes disse: Não peçais mais do que o que vos está ordenado. (Lucas: 3.13) E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo. (João: 1.33) Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu. (João: 1.30) E eu não o conhecia, mas, para que ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, batizando com água. (João: 1.31) E quando o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João. (João: 4.1) (Ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos). (João: 4.2) Deixou a Judéia, e foi outra vez para a Galiléia. (João: 4.3) Mas os fariseus e os doutores da lei rejeitaram o conselho de Deus contra si mesmos, não tendo sido batizados por ele. (Lucas: 7.30) E toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele. e todos eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados. (Marcos: 1.5) E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. (Mateus: 3.16) Versículos sobre o batismo em Atos dos Apóstolos: Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. (Atos: 19.4) E os Continue lendo

Como a Economia e as Leis influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a Economia e as Leis influem na interpretação das passagens bíblicas

Economia 1. Em Jó 22.6, por que Elifaz acusou Jó de exigir penhores de seus irmãos sem motivo? Na época do Antigo Testamento, essa atitude era considerada um crime desprezível. Se uma pessoa devesse dinheiro a outra e não pudesse pagar, a devedora dava sua capa à credora como penhor ou garantia do pagamento futuro. Contudo, ao cair da noite, a credora devia devolver-lhe a capa, pois provavelmente ela apascentaria ovelhas no campo ao relento e precisaria ter com o que se cobrir. Tomar um penhor de alguém sem motivo era pecado, Jó não era culpado dessa atitude, como explicou depois (31.19-22). 2. Por que o parente mais chegado de Elimeleque deu sua sandália a Boaz (Rt 4.8, 17)? Segundo as tábuas Nuzi, encontradas no Iraque em escavações que se estenderam desde 1925 até 1931, esse ato simbolizava a cessão de direitos de uma pessoa sobre a terra que pisava. Agia-se assim quando era concluída a venda de um terreno.  Leis 1. Em 2 Reis 2.9, quando Eliseu disse a Elias: “… Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito” , será que ele estava pedindo duas vezes mais poder espiritual do que Elias tinha? Não, estava expressando o desejo de ser seu herdeiro, seu sucessor. De acordo com Deuteronômio 21.17, o primogênito de uma família tinha direito de receber em dobro sua parte da herança deixada pelo pai. 2. Em Colossenses 1.15, a expressão “o primogênito de toda a criação” significa que Cristo foi criado? Não, significa que ele é o Herdeiro de toda a criação (Hb 1.2), assim como o primogênito ocupava um lugar especial de honra e tinha privilégios na família. A palavra grega para primogênito é prõtotokos. Se Paulo pretendesse transmitir a ideia de que Jesus foi o primeiro ser criado, ele teria empregado outro termo grego: prõtoktisis. Ocorre que esse termo nunca foi utilizado em referência a Jesus. Fonte: A interpretação Bíblica – Meios de descobrir a verdade da Bíblia.Roy B. ZuckTradução de Cesar de E A. Bueno Vieiraedições vida nova.pags 94-96 Aprenda mais sobre as ferramentas importantes na interpretação e elucidação das Escrituras. CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM  HERMENÊUTICA E EXEGESE! Que você possa aprimorar essas duas técnicas, e aplicá-las na busca do conhecimento da Palavra, como diz em João 5.39, “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;”

Versículos bíblicos de bom dia

Versículos bíblicos de bom dia

Mas eu, Senhor, a ti clamo por socorro, já de manhã a minha oração chega à tua presença.(Salmos: 88.13) Introdução: Qual seria a melhor forma de alguém desejar bom dia a uma outra pessoa. Não há dúvida que seria através da Palavra de Deus. Através de um versículo, de uma mensagem ou de qualquer outra forma, porque o importante não está no cumprimento e sim na Palavra. E essa é a nossa intenção com este texto, desejar a você, que nos honra com a sua audiência, um “bom dia”. Versículos de bom dia no Antigo Testamento: Tremem os habitantes das terras distantes diante das tuas maravilhas, do nascente ao poente despertas canções de alegria. (Salmos: 65.8) Antes de clarear o dia ela se levanta, prepara comida para todos os de casa e dá tarefas as suas servas. (Provérbios: 31.15) Não ame o sono, ou você acabará ficando pobre, fique desperto e terá alimento de sobra. (Provérbios: 20.13) Pela manhã ouvirás a minha voz, ó Senhor, pela manhã apresentarei a ti a minha oração e vigiarei. (Salmos: 5.3) Quanto a mim, feita a justiça, verei a tua face, quando despertar ficarei satisfeito ao ver a tua semelhança. (Salmos: 17.15) Mas eu cantarei louvores à tua força, de manhã louvarei a tua fidelidade, pois tu és o meu alto refúgio, abrigo seguro nos tempos difíceis. (Salmos: 59.16) Como é bom render graças ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã o teu amor leal e de noite a tua fidelidade. (Salmos: 92.1-2) Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. (Lamentações: 3.22) Renovam-se cada manhã, grande é a tua fidelidade! (Lamentações: 3.23) Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor, portanto, nele porei a minha esperança. (Lamentações: 3.24) Mais versículos de bom dia no Antigo Testamento: Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal e todos os nossos dias cantaremos felizes. (Salmos: 90.14) Senhor tem misericórdia de nós, pois por ti esperamos! Sê tu a nossa força cada manhã, nossa salvação na hora do perigo. (Isaías: 33.2) Meu filho obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe. (Provérbios: 6.20) Amarre-os sempre junto ao coração, ate-os ao redor do pescoço. (Provérbios: 6.21) Quando você andar, eles o guiarão, quando dormir, o estarão protegendo, quando acordar, falarão com você. (Provérbios: 6.22) Pois o mandamento é lâmpada, a instrução é luz e as advertências da disciplina são o caminho que conduz à vida. (Provérbios: 6.23) Versículos de bom dia nas Cartas Gerais: Assim, temos ainda mais firme a palavra dos profetas e vocês farão bem se a ela prestarem atenção, como a uma candeia que brilha em lugar escuro, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em seus corações. (2 Pedro: 1.19) Versículos sobre o tema nas Cartas de Paulo: Ele morreu por nós para que, quer estejamos acordados quer dormindo, vivamos unidos a ele. (1 Tessalonicenses: 5.10)

Entendendo a frase “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, os homens e […] animais. Arrependo-me de have-lôs feito”

Entendendo a frase “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, os homens e […] animais. Arrependo-me de have-lôs feito”

É verdade, sem sombra de dúvida, que Deus em sua onisciência sabe todas as coisas por antecipação, e nada que acontece o apanha de surpresa. No entanto, é erro inferir disso que o Senhor não pode ter emoções nem deve reagir de acordo com a depravação voluntária de suas criaturas. As Escrituras jamais o apresentam como um Ser impassível, incapaz de demonstrar tristeza ou ira, mas, bem ao contrário, o Senhor é um Deus que se preocupa, demonstra interesse e ama até os filhos de Adão mais ingratos, os que mais zombaram de suas promessas graciosas e tripudiaram sobre sua misericórdia. As profundezas da corrupção em que a raça humana havia mergulhado nos dias de Noé eram revoltantes demais diante do Senhor, do Deus de justiça e santidade, pelo que o Todo-Poderoso reagiu com ira perante esses excessos segundo a exigência de sua pureza. Ele lamentou ter criado uma geração tão abominável de pervertidos morais, em que se haviam convertido os seres humanos antediluvianos. “Então se arrependeu o Senhor” (heb. wayyinnāḥem, niphal de nāḥam) certamente é antropomórfico (ou antropopático), visto que serve para comunicar a reação de Deus em face do pecado, mediante uma analogia com o ser humano (assim como quando a Bíblia se refere a Deus como tendo mãos, olhos, ou boca, como se ele dispusesse de um corpo físico dotado de órgãos). É claro que, diante do inesperado, do que não se aguarda, é impossível verificar a surpresa num ser onisciente; todavia, sua resposta à humanidade envolveu um ajuste necessário à mudança que se verificou na atitude dos seres humanos para com Deus, a quem abandonaram. Visto que os seres humanos teimosamente rejeitaram ao Senhor e dele escarneceram à vontade, foi necessário que Deus os desprezasse. Qualquer alteração na atitude do povo para com o Todo-Poderoso requeria uma mudança correspondente na atitude de Deus para com a humanidade, mudança que se expressa pela palavra hebraica niḥam (“arrepender-se”, “sentir muita tristeza por causa de”, “mudar de ideia a respeito de”). De modo semelhante, no tempo de Jonas, está registrado a respeito de Deus que ele se arrependeu (niḥam) do julgamento que ameaçara trazer sobre a cidade de Nínive, visto haver o Senhor observado o arrependimento sincero e ardoroso dos ninivitas depois de o profeta haver pregado a eles. A mudança de atitude deles para com eles Senhor fez com que o Todo-Poderoso mudasse sua atitude para com eles. Portanto, para enorme desgosto de Jonas, Deus permitiu que quarenta dias passassem e cancelou a destruição que ameaçara trazer-lhes. Isso demonstra que o Senhor pode mudar sua reação, deixando de lado a severidade para tratar do ser humano com graça e misericórdia, desde que as pessoas se acheguem em arrependimento e súplica. No entanto, quando estão envolvidos propósitos de alguma aliança que Deus celebrou com seu povo, o Senhor verdadeiramente é incapaz de arrepender-se — como Balaão salientou em Números 23.19: “Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que se arrependa. Acaso ele fala, e Continue lendo

Versículos bíblicos de louvor e adoração

Versículos bíblicos de louvor e adoração

Venham! Adoremos prostrados e ajoelhemos diante do Senhor, o nosso Criador.(Salmos: 95.6) Introdução: Louvar e adorar a Deus é o reconhecimento da Sua importância na vida de todo o crente. É a manifestação voluntária daqueles que O reconhecem em suas vidas. Pois, sem Ele, o homem não seria absolutamente nada e não conseguiria sobreviver nesse mundo mau. Por isso, devemos agradecer a Ele por todas as suas benesses em nossas vidas, louvando-O e adorando-O. Versículos sobre louvor e adoração no Antigo Testamento: Ele disse em alta voz: “Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas”. (Apocalipse: 14.7) Adorem ao Senhor com temor, exultem com tremor.(Salmos: 2.11) Ó Deus, a quem louvo, não fiques indiferente. (Salmos: 109.1) Bendigam o nosso Deus, ó povos, façam ressoar o som do seu louvor. (Salmos: 66.8) Aleluia! Como é bom cantar louvores ao nosso Deus! Como é agradável e próprio louvá-lo! (Salmos: 147.1) Clamo ao Senhor, que é digno de louvor e estou salvo dos meus inimigos. (Salmos: 18.3) Minha língua proclamará a tua justiça e o teu louvor o dia inteiro. (Salmos: 35.28) Mais versículos sobre louvor e adoração no Antigo Testamento: Cantem de alegria ao Senhor, vocês que são justos, aos que são retos fica bem louvá-lo. (Salmos: 33.1) Aleluia! Cantem ao Senhor uma nova canção, louvem-no na congregação dos fiéis. (Salmos: 149.1) Cantem louvores ao seu glorioso nome, louvem-no gloriosamente! (Salmos: 66.2) Pois o Senhor é grande e muitíssimo digno de louvor, ele deve ser mais temido que todos os deuses. (1 crônicas: 16.25) Salva-nos, Senhor, nosso Deus! Ajunta-nos dentre as nações, para que demos graças ao teu santo nome e façamos do teu louvor a nossa glória. (Salmos: 106.47) Meus lábios transbordarão de louvor, pois me ensinas os teus decretos. (Salmos: 119.171) Bendirei o Senhor o tempo todo! Os meus lábios sempre o louvarão. (Salmos: 34.1) Com meus lábios louvarei ao Senhor. Que todo ser vivo bendiga o seu santo nome para todo o sempre! (Salmos: 145.21) Entrem por suas portas com ações de graças e em seus átrios, com louvor, deem-lhe graças e bendigam o seu nome. (Salmos: 100.4) Outros versículos sobre louvor e adoração no Antigo Testamento: Seja ele o motivo do seu louvor, pois ele é o seu Deus, que por vocês fez aquelas grandes e temíveis maravilhas que vocês viram com os próprios olhos. (Deuteronômio: 10.21) Grande é o Senhor e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus. (Salmos: 48.1) Cura-me, Senhor, e serei curado, salva-me e serei salvo, pois tu és aquele a quem eu louvo. (Jeremias: 17.14) Eu sou o Senhor, esse é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor. (Isaías: 42.8) Cantem ao Senhor um novo cântico, seu louvor desde os confins da terra, vocês, que navegam no mar, e tudo o que nele existe, vocês, ilhas, e todos os seus habitantes. (Isaías: 42.10) Continue lendo

A importância do êxodo

A importância do êxodo

A importância do êxodo tem sido enfatizada por Eugene Merrill, professor de Antigo Testamento no Dallas Seminary, que chamou-o de “o mais significa­tivo acontecimento de todo o Antigo Testamento.” O êxodo não é simplesmente um acontecimento isolado dentre muitos na história do povo judeu; este foi o evento central sobre o qual os planos de Deus sofrem uma reviravolta e tanto o Antigo como o Novo Testamentos estão unidos. O professor John Durham explica: Tanto dentro do livro de Êxodo como além dele, a libertação do êxodo é descrita como o ato pelo qual Israel foi levado a ser um povo e, portanto, como o ponto inicial da história de Israel… com o êxodo, Ele [Deus] revelou sua presença para um povo inteiro e chamou-o para ser uma nação e desempenhar um papel especial relacionando-se com ele em aliança. Este papel especial se torna um tipo de lente através da qual Israel é visto por todo o restante da Bíblia… que dá forma a muito da teologia do A.T. [Antigo Testamento]. É esse papel especial, na verdade, que inclui o livro de Êxodo tão completamente na produção canônica iniciada com Gênesis e concluída somente com o Apocalipse. O êxodo amarra os dois Testamentos juntos de tal maneira que negar que ele jamais tenha acontecido desmantelaria a estrutura teológica tanto do judaísmo como do cristianismo. Assim, é natural que busquemos o êxodo em algum lugar do registro arqueológico. Mas onde procurar, e o que podemos esperar encontrar? Vamos responder esta última pergunta primeiro. Deveríamos esperar encontrar o êxodo? Deveríamos esperar encontrar qualquer evidência arqueológica para o êxodo? Como os patriarcas antes deles, os israelitas viveram um estilo de vida nômade durante o êxodo. As exigências da vida no deserto do Sinai requeriam que nada fosse descartado, que todo item fosse usado até sua capacidade máxima — e então reciclado. Até os ossos de uma refeição seriam completamente reutilizados em várias aplicações industriais. Os acampamentos temporários em tendas dos israelitas não teriam deixado quaisquer vestígios, especialmente nas sempre móveis areias do deserto. Pode haver traços de grafito em rochas do Sinai que sugiram a presença dos israelitas nesta região, mas em sua maior parte, por causa das condições do deserto, os israelitas teriam que ser “arqueologicamente invisíveis”. Mas, e quanto a possibilidade de registros egípcios que confirmem a ocorrência das pragas do êxodo e a destruição do exército egípcio no mar Vermelho? E possível que alguma evidência ainda apareça, mas não devemos esperar que os egípcios, orgulhosamente religiosos, tenham abertamente documentado desastres que difamassem seus deuses e imortalizassem a der- Possível rota do êxodo rota de seu exército nas mãos de escravos andarilhos. Como Charles Aling observa: Os povos do antigo Oriente Próximo mantiveram registros históricos para impressionar seus deuses e também inimigos em potencial, e por isso raramente, talvez nunca, mencionaram derrotas ou catástrofes. Registros de desastres não fortaleceria a reputação dos egípcios aos olhos de seus deuses, nem tornaria seus inimigos mais temerosos de seu poder militar. Isto significa que Continue lendo

Versículos bíblicos sobre arrebatamento

Versículos bíblicos sobre arrebatamento

Viveu ao todo 365 anos. Enoque andou com Deus e já não foi encontrado, pois Deus o havia arrebatado.(Gênesis: 5.23-24) Introdução: Jesus foi crucificado, morto, sepultado, ressuscitou dos mortos e nos deixou uma promessa. A de que um dia Ele voltará e levará junto consigo aqueles que O amam. A Palavra de Deus diz que quanto isso acontecer os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estiverem vivos serão arrebatados, juntamente com Ele nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares e assim estaremos com o Senhor para sempre. Esse acontecimento é conhecido como “arrebatamento”. Sendo assim, relacionamos alguns versículos que abordam esse assunto vital para todo o cristão. Depois dessas coisas olhei e diante de mim estava uma porta aberta no céu. A voz que eu tinha ouvido no princípio, falando comigo como trombeta, disse: “Suba para cá e lhe mostrarei o que deve acontecer depois dessas coisas”. (Apocalipse: 4.1) Versículos sobre arrebatamento no Antigo Testamento: De repente, enquanto caminhavam e conversavam, apareceu um carro de fogo, puxado por cavalos de fogo, que os separou e Elias foi levado aos céus num redemoinho. (2 Reis: 2.11) Versículos sobre o arrebatamento nos Evangelhos: Tendo-os levado até as proximidades de Betânia, Jesus levantou as mãos e os abençoou. (Lucas: 24.50) Estando ainda a abençoá-los, ele os deixou e foi elevado ao céu. (Lucas: 24.51) Então eles o adoraram e voltaram para Jerusalém com grande alegria. (Lucas: 24.52) “Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus, creiam também em mim. (João: 14.1) Na casa de meu Pai há muitos aposentos, se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. (João: 14.2) E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver. (João: 14.3) Versículos sobre o arrebatamento em Atos dos Apóstolos: Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam e uma nuvem o encobriu da vista deles. (Atos: 1.9) E eles ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele subia. De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco. (Atos:1.10) Que lhes disseram: “Galileus por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado ao céu, voltará da mesma forma como o viram subir”. (Atos: 1.11) Versículos sobre o tema nas Cartas de Paulo: Conheço um homem em Cristo que há quatorze anos foi arrebatado ao terceiro céu. Se foi no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe. (2 Coríntios: 12.2) E sei que esse homem — se no corpo ou fora do corpo, não sei, mas Deus o sabe — (2 Coríntios: 12.3) foi arrebatado ao paraíso e ouviu coisas indizíveis, coisas que ao homem não permitido falar. (2 Coríntios: 12.4) Dizemos a vocês, pela palavra do Senhor, que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor, certamente não precederemos os que dormem. (1 Tessalonicenses: 4.15) Pois, dada a ordem, com a voz do Continue lendo

Como o contexto Religioso influi na interpretação das passagens bíblicas

Como o contexto Religioso influi na interpretação das passagens bíblicas

1. Por que Moisés deu um mandamento tão estranho quanto este: não cozerás o cabrito no leite da sua própria mãe” (Êx 23.19; 34.26; Dt 14.21)? Existem referências a essa prática em escritos descobertos na antiga cidade de Ugarite, próxima à atual Ras Shamra, no Líbano. De acordo com essa descoberta arqueológica, tal hábito era parte de um ritual cananeu. Evidentemente, então, Deus não queria que os israelitas participassem de nenhuma prática religiosa dos cananeus. Outro motivo poderia ser o fato de Deus não querer que os israelitas misturassem uma substância que sustenta a vida (o leite) com um processo associado à morte (cozimento). Como escreveu Filo, filósofo judeu do século I, é “totalmente inconcebível que a substância que alimentou o animal seja utilizada para sazoná-lo ou temperá-lo depois de morto”. 2. Qual a razão de Deus ter lançado as dez pragas sobre o Egito? Quer dizer, por que ele enviou justamente aquelas pragas em vez de outras? Parece que a resposta está no fato de que eram consideradas polêmicas ou atos de contestação da validade dos deuses e deusas egípcios. Com as pragas, Deus estava atacando e expondo a incapacidade e, consequentemente, a falsidade dos deuses e deusas egípcios. O quadro a seguir relaciona os deuses que foram atacados pelas pragas. Essas surtiriam grande efeito entre os egípcios. Por exemplo, eles acreditavam que o rio Nilo era protegido por vários deuses e deusas. Mas, quando Deus o transformou em sangue, ficou evidente a incapacidade desses guardiães de cumprirem o papel que o povo lhes atribuía. Por que o gado haveria de morrer (na quinta praga) se a deusa egípcia Hátor, que tinha cabeça de vaca, era a protetora desses animais, e por que o gado morreria na presença do deus-touro egípcio Apis, que simbolizava a fertilidade? O objetivo dessa praga foi mostrar que Hátor e Apis eram deuses falsos. A chuva de pedras que destruiu as plantações, na sétima praga, mostrou que várias deusas e deuses foram incapazes de controlar as tempestades no céu e evitar a catástrofe no campo. Entre esses estavam Nut, a deusa do céu; Osiris, o deus da boa safra; e Seti, o deus das tempestades. Na décima praga, ísis, que era uma das principais divindades e que se acreditava ser a protetora das crianças, não pôde evitar a morte dos primogênitos de todas as famílias egípcias. O conhecimento desses fatos ajuda-nos muito a entender as pragas. 3. Por que Elias propôs que o monte Carmelo fosse o local de sua disputa com os 450 profetas de Baal? Os seguidores de Baal acreditavam que este habitasse no monte Carmelo. Portanto, Elias deixou que eles “jogassem em casa” . Se Baal não conseguisse fazer cair um raio sobre um sacrifício em seu próprio território, sua fraqueza se tomaria evidente. Outro ponto interessante é que os cananeus viam a Baal como o deus da chuva, dos raios, do fogo e das tempestades. Como até pouco antes desse episódio dramático houvera uma seca de três anos e meio, Continue lendo

Versículos bíblicos sobre compaixão

Versículos bíblicos sobre compaixão

Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão. (Lucas: 10.33) Introdução: Deus é misericordioso e tem compaixão de toda a humanidade. Ele não tem nenhum prazer em ver o sofrimento do homem. Por isso, Ele enviou o Seu filho, que, ao morrer pelos nossos pecados, deu ao ser humano a possibilidade de ter a vida eterna. E ele espera que cada pessoa tenha compaixão pelo seu próximo e se importe com a vida do seu irmão. Versículos sobre compaixão no Antigo Testamento: Um homem desesperado deve receber misericórdia de seus amigos, muito embora ele tenha abandonado o temor do Todo-poderoso. (Jó: 6.14) Afrontas me quebrantaram o coração e estou fraquíssimo, esperei por alguém que tivesse misericórdia, mas não houve nenhum e por consoladores, mas não os achei. (Salmos: 69.20) Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. (Salmos: 103.13) Mais versículos bíblicos sobre a compaixão: E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, onde estão mais de cento e vinte mil homens, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda e também muitos animais? (Jonas: 4.11) Porque o Senhor fará justiça ao seu povo e se compadecerá de seus servos, quando vir que o poder deles se foi e não há preso nem desamparado. (Deuteronômio: 32.36) Porém tu, Senhor, és um Deus cheio de compaixão, piedoso, sofredor e grande em benignidade e em verdade. (Salmos: 86.15) Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva e uma grande multidão da cidade estava com ela. (Lucas: 7.12) Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: “Não chore”. (Lucas: 7.13) Versículos sobre compaixão nos Evangelhos: O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: Tem paciência comigo e eu te pagarei tudo. (Mateus: 18.26) O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir. (Mateus: 18.27) Naqueles dias, outra vez reuniu-se uma grande multidão. Visto que não tinham nada para comer, Jesus chamou os seus discípulos e disse-lhes: Marcos: 8.1) Tenho compaixão desta multidão, já faz três dias que eles estão comigo e nada têm para comer”. (Marcos: 8.2) Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? (Mateus: 18.33) Jesus teve compaixão deles e tocou nos olhos deles. Imediatamente eles recuperaram a visão e o seguiram. (Mateus: 20.34) Versículo sobre compaixão nas Cartas de Paulo: E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma! Pois ele diz a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão”. (Romanos: 9.14-15) E fá-los-ei em pedaços atirando uns contra os outros e juntamente os pais com os filhos, diz o Senhor. Não perdoarei, nem pouparei, nem terei deles compaixão, para que não os destrua. (Jeremias: 13.14) E vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque Continue lendo

O termo “filhos de Deus” em Gênesis 6.2

O termo “filhos de Deus” em Gênesis 6.2

Gênesis 6.1, 2 diz: “Quando os homens começaram a multiplicar-se na terra e lhes nasceram filhas, os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram bonitas, e escolheram para si aquelas que lhes agradaram”. O termo “filhos de Deus” (benê ’ elōhîm) é empregado no AT para anjos ou homens, verdadeiros crentes, compromissados totalmente com a obra de Deus. Entre as passagens que se referem a anjos como benê ’elōhîm estão Jó 1.6; 2.1; 38.7; Salmos 29.1; 89.6 (89.7 no TM). O TM não contém esta frase em Deuteronômio 32.43, mas um fragmento do hebraico encontrado na caverna quatro de Qumran diz: “Clamai alegremente, ó céus, com ele, e adorai-o, ó filhos de Deus [benê ’elōhîm], e a ele tributai poder, todos vós, filhos do Todo-Poderoso [benê ’ēlîm]. Clamai de alegria, ó nações, e a ele tributai poder, todos vós, anjos de Deus [kol-mal akê ’ēl]”. Esse texto é consideravelmente maior que o hebraico (TM) nesse versículo, mas pode ser o original. Provavelmente teria sido o texto citado em Hebreus 1.6 — embora Salmos 97.7 também tenha sido a fonte desse versículo. Mas as ocorrências de benê ’elōhîm com referência a homens que têm um relacionamento de aliança com Deus são tão numerosas no AT quanto aquelas que se referem a anjos (cf. Dt 14.1; 32.5; Sl 73.15; Os 1.10 [em TM 2.1 ] — e, cremos, Gn 6.2 também). As razões por que entendemos que Gênesis 6.2 refere-se a membros da família da aliança, descendentes da linhagem de Sete, são muito fortes. As Escrituras ensinam com clareza que os anjos são espíritos, “espíritos ministradores, enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação” (Hb 1.14). Embora possam de vez em quando aparecer sob forma corpórea semelhante a homens, não têm corpo físico e, por isso, não conseguem manter relações sexuais com mulheres. A especulação rabínica de que Gn 6.2 faz referência a anjos constitui uma curiosa intrusão de superstição pagã sem nenhuma base nas Escrituras. A ideia de seres humanos incomuns dotados de estatura gigantesca (neppilîm, v. 4) terem resultado desses casamentos não se baseia em nenhuma evidência de paternidade angelical. Não consta que os filhos de Anaque ou Golias e seus irmãos tivessem ligação com os anjos por causa de sua grande estatura; tampouco há razões para supor que os gigantes antediluvianos tinham ascendência angélica. O que Gênesis 6.1, 2, 4 registra é a primeira ocorrência de casamento misto entre crentes e incrédulos e o resultado característico de tais uniões: total falta de testemunho do Senhor e pleno desprezo pelos padrões morais. Em outras palavras, os “filhos de Deus” dessa passagem eram descendentes da linhagem piedosa de Sete. Em vez de permanecer fiéis ao Senhor e leais à sua herança espiritual, permitiram-se ser tentados e seduzidos pela beleza de mulheres ímpias, as “filhas dos homens” — a saber, as seguidoras da tradição e do exemplo de Caim. O resultado desses casamentos foi a depravação da natureza humana, no tocante às gerações mais jovens, até que Continue lendo

Versículos bíblicos sobre liderança

Versículos bíblicos sobre liderança

Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina.(1 Timóteo: 5.17) Introdução: Liderança é a arte de influenciar pessoas na busca de objetivos. É uma tarefa muito difícil, já que o nível de exigência é muito alto e requer muito esforço do líder. Muitas pessoas se encantam com o que a liderança oferece e se esquecem do ônus que o líder carrega em seus ombros. Porém, a sua figura é fundamental para qualquer segmento que esteja voltado para a conquista de resultados. É por isso que as organizações investem milhões na formação de líderes, por saber da sua importância para elas. Versículos sobre liderança no Antigo Testamento: E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta e maiorais de dez. (Êxodo: 18.21) Para que julguem este povo em todo o tempo e seja que todo o negócio grave tragam a ti, mas todo o negócio pequeno eles o julguem, assim a ti mesmo te aliviarás da carga e eles a levarão contigo. (Êxodo: 18.22) Como suportaria eu sozinho os vossos fardos, as vossas cargas e as vossas contendas? (Deuteronômio: 1.12) Tomai-vos homens sábios e entendidos, experimentados entre as vossas tribos, para que os ponha por chefes sobre vós. (Deuteronômio: 1.13) Pobre da terra cujo rei é jovem demais e cujos líderes fazem banquetes logo de manhã. (Eclesiastes: 10.16) Feliz é a terra cujo rei é de origem nobre e cujos líderes comem no devido tempo, para recuperar as forças e não para embriagar-se. (Eclesiastes: 10.17) Quando não há conselhos os planos se dispersam, mas havendo muitos conselheiros eles se firmam. (Provérbios: 15.22) Versículos sobre liderança nas Cartas Gerais: Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês e o faço na qualidade de presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo, como alguém que participará da glória a ser revelada. (1 Pedro: 5.1) Pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. (1 Pedro: 5.2) A razão de tê-lo deixado em Creta foi para que você pusesse em ordem o que ainda faltava e constituísse presbíteros em cada cidade, como eu o instruí. (Tito: 1.5) É preciso que o presbítero seja irrepreensível, marido de uma só mulher e tenha filhos crentes, que não sejam acusados de libertinagem ou de insubmissão. (Tito: 1.6) Por ser encarregado da obra de Deus, é necessário que o bispo seja irrepreensível, isto é, não orgulhoso, não briguento, não apegado ao vinho, não violento, nem ávido por lucro desonesto. (Tito: 1.7) É preciso, porém, que ele seja hospitaleiro, amigo do bem, sensato, justo, consagrado, tenha domínio próprio. (Tito: 1.8) E apegue-se firmemente à mensagem fiel, da maneira como foi ensinada, para que seja capaz Continue lendo

Como contar histórias para crianças, Ensinando através dos Cânticos e Memorização Bíblica Infantil

Como contar histórias para crianças, Ensinando através dos Cânticos e Memorização Bíblica Infantil

COMO CONTAR HISTÓRIAS BÍBLICAS PARA CRIANÇAS? POR QUE CONTAR HISTÓRIAS? As crianças gostam de ouvir seus avôs, pais, mães, contando histórias bíblicas, de heróis, princesas, da vida deles mesmos e de quando eram crianças. Os jovens e adultos também gostam de ouvir, pois em todos ainda resta um pouco de emoção, fantasia e de felicidade ao ouvir histórias. É preciso fazer uma seleção do que contar, levando-se em conta o interesse do ouvinte, a sua faixa etária e suas condições sócio-econômicas.  QUE TIPO DE HISTÓRIA CONTAR? • Até 3 anos – idade pré-mágica: Histórias que tenham bichinhos, objetos, crianças, enredos que façam parte da vida da criança, textos curtíssimos • 3 a 4 anos – idade do fascínio: Os textos devem ser curtos e atraentes, pode-se usar gravuras de preferência grandes. Histórias que tenham bichos, brinquedos e objetos e usem expressões repetitivas. • 5 a 6 anos – idade realista: Histórias da vida real, falando do lar, etc. Os textos devem ser curtos e ter muita ação o enredo deve ser simples. Até os 6 anos a criança gosta de ouvir a mesma história várias vezes. Ao contar uma História o professor / evangelista deve seguir a seguinte ordem: Começo – Bem empolgante; Meio – Passar o objetivo da história; Fim – Trazer a moral da história, falando sempre às crianças salvas e não salvas.  A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO MINISTÉRIO CRISTÃO INFANTIL Naturalmente as crianças gostam de ouvir histórias bem contadas. Há quem o diga, que todos, do bebê ao idoso, gostam de ouvi-las.A Contação de Histórias é uma atividade bem antiga, que reunia familiares, amigos ou até mesmo pessoas desconhecidas em praças públicas. Elas serviam para o entretenimento, para o fortalecimento de vínculos, para aguçar a imaginação e a criatividade, para falar de assuntos do cotidiano, tais como o amor, a amizade, ou até mesmo, a morte.Atualmente, o hábito de se contar histórias tem se perdido. Vivemos num contexto social que desfavorece a comunicação oral, que é a essência da contação de histórias. Há um movimento, principalmente de arte-educadores (contadores de histórias), numa tentativa de resgate dessa atividade, o que se constitui também um desafio para o Ministério Cristão infantil, mas com um propósito bem maior, de edificação completa do ser criança, através do ensino da Palavra de Deus. DIFERENÇA ENTRE LER E CONTAR HISTÓRIAS Ler uma história para as crianças é uma forma de apresentar a obra conforme sua linguagem original, nas palavras do autor. Já contar histórias envolve a Improvisação, a interação com a turma e a possibilidade de agregar outros elementos ao enredo. TIPOS DE HISTÓRIAS No Ministério Cristão Infantil trabalhamos com Histórias Bíblicas Evangelísticas e de Crescimento Espiritual. Algumas vezes utilizamos também Historietas, ou seja, pequenas histórias que servem como ilustração de fatos do cotidiano infantil que tem relação direta com o que desejamos ensinar às crianças através das Histórias. O ideal é que as Historietas sejam utilizadas nas introduções das Histórias. São muito válidas também as Histórias Objetivas, que terminam com uma lição moral Continue lendo