O que é Capelania?

O que é Capelania?

O que é Capelania? Capelania é uma Assistência Religiosa e Social prestada aos serviços Civis e Militares, prevista e garantida pela Constituição Federal de 1988, sob a Lei 6923 art. 5 e inciso VII. A Capelania ganhou muita força nestes últimos anos, principalmente no Brasil pelas Lideranças Evangélicas, já que os hospitais, presídios, escolas, universidades e outras instituições vem se preocupando com a qualidade no atendimento das pessoas com carências espirituais, afetivas e emocionais, necessitando de uma pessoa de estimulo e entusiasmo. A especialização em Capelania é um dos Cursos mais procurados pelas Lideranças Evangélicas do Mundo.   Objetivo da Capelania O objetivo da Capelania é de oficializar esta atividade dentro das leis do nosso País. Para isso é necessário o treinamento e capacitação do Capelão para desenvolver suas habilidades dentro das áreas Social e Religiosa com Qualidade.   O Capelão O Capelão é um assistente Religioso e Social. O Papel fundamental do Capelão é cuidar e zelar da sociedade, contribuindo intensamente para a saúde Espiritual e Emocional do ser humano. O Capelão com suas habilidades poderá contribuir com a saúde da sociedade e desenvolver um trabalho produtivo nas áreas da Pregação e Evangelização.   Você Sabia? Que no Brasil o numero de pessoas internadas anualmente chega a 15.000.000? O que é Capelania? O Brasil possui mais de 500.000 presos e que direta e indiretamente estão ligados a ele mais de 4.000.000 de pessoas? Você Sabia que nos Estados Unidos e outros países da Europa onde se pratica a Capelania o Evangelho cresce com muita eficácia? Você sabia que em 2008 o Governo Federal dos Estados Unidos deixou de gastar U$ 1.200.000.000 por causa da Capelania?     LANÇAMENTO DO NOVO CURSO DE CAPELANIA DA UNIVERSALIDADE DA BÍBLIA® Capelania Hospitalar, Militar, Carcerária, Escolar e outras áreas da Capelania!     Quem Pode Participar Destina-se a cristãos que desejam se preparar melhor para esse ministério e desejam ser voluntários do trabalho de Capelania do Hospital, Escolar, Carcerária, Militar e outras. Membros de igrejas evangélicas, profissionais da saúde, pastores e missionários.   Maiores informações clique aqui    

Se não for pra edificar…

Se não for pra edificar…

  Atualmente todos querem ser os donos da última palavra. Acredita-se que aquele que se cala diante de uma ofensa é um fraco. Mas até mesmo essa sociedade imediatista prega um ditado que fala da importância do silêncio: melhor ficar quieto e deixar que pensem que é um tolo, do que falar e deixar que tenham certeza… A bíblia nos ensina que aquele que se cala não é tolo e, ainda que seja, será reputado como sábio, pois não há como se arrepender, ferir ou até mesmo se aborrecer por algo que não foi dito. O verdadeiro sábio é, portanto, aquele que sabe refrear a própria língua e discernir o momentos em que deve ou não falar e a forma correta de se comunicar. “Até o tolo quando se cala será reputado por sábio; e o que cerrar os seus lábios por entendido.” Pv 17:28   www.universidadedabiblia.com.br

A Arca de Noé – Estudo

A Arca de Noé – Estudo

A Arca de Noé   Texto Básico: Gênesis 6 – 9   A Arca 135m de comprimento, 22,5m de largura e 13,5m de altura. 3 andares. Uma arca, não um navio, construída para flutuar e não para navegar. Boeing 747SP 56,31m de comprimento e capacidade para 440 passageiros. Õnibus 11,9m de comprimento. Elefante 3,5m de altura. Homem 1,80m de altura. O Dilúvio O dilúvio sobre a terra foi decorrência da progressão contínua da maldade do homem (Gn. 6.5), e a decisão de DEUS em destruir essa geração (v.7). O justo Noé salvou-se, juntamente com sua família (8 pessoas), atendendo à voz de DEUS para construir uma arca (símbolo de Cristo). DEUS estabeleceu, também, um concerto com Noé (Gn 9.9-17) 1) O prazo de Deus, Foram 120 anos (Gn 6.3) de prazo para que o homem abandonasse o caminho ímpio e se voltasse para DEUS. 2) A Construção da Arca a) Material (Gn 6.14) • tábuas de cipreste e betume b) Dimensões (Gn 6.15,16) • comprimento: 300 côvados (135m) • largura: 50 côvados (22,5m) • altura: 30 côvados (13,5m) • área de um pavimento: (180m x 30m – 3.037m²) • no hebraico: o côvado era uma medida linear de cerca de 45 centímetros.   3) A Duração do Dilúvio 40 dias   – chuvas caíram (Gn 7.12) 110 dias   – águas subindo (Gn 7.24) 74 dias   – águas diminuindo (Gn 8.5) 40 dias   – corvo solto (Gn 8.6-7) 7 dias   – pomba solta (Gn 8.8) 7 dias   – pomba solta (Gn 8.10) 7 dias   – pomba solta (Gn 8.12) 29 dias   – cobertura removida (Gn 8.13 com 7.11) 57 dias   – terra seca (Gn 8.14) • 371 dias no Total (Fonte: Geografia dos Tempos Bíblicos, E. Tognini) 4) O total de dias passados na Arca • 1 ano e 6 dias 5) Os ocupantes da Arca (Gn 6.18; 7.7; 7.13) Noé, Sem, Cam, Jafé e esposas – Totalizando 8 pessoas fonte:www.igmetodista.com.br Replica da arca de Noé O criacionista holandês Johan Huibers decidiu arregaçar as mangas e construiruma réplica da arca de Noé. Ele resolveu erigir a embarcação como uma demonstração de sua fé na verdade literal da Bíblia. Com 150 côvados de comprimento, 30 de altura e 20 de largura (67,5 metros x 13,5 x 9,0), a arca tem três andares e é totalmente funcional. As madeiras empregadas foram o cedro e o pinho, uma vez que até hoje os teólogos não concluíram o que seria o gôfer, madeira utilizada na arca original (Gênesis 6:14). Aberta à visitação após dois anos de construção, deixou o público boquiaberto, apesar de ter apenas metade do comprimento da original. Huibers pretende criar um zoológico no primeiro dos três pavimentos.   Leia mais e veja algumas fotos em: Johan’s Ark – Wikipedia (em inglês) Ark van Noach – Site oficial (em inglês) Cortesia:  www.universidadedabiblia.com.br Animação sobre a Arca de Noé ( Clique Aqui )

O que a Bíblia diz sobre a fofoca?

O que a Bíblia diz sobre a fofoca?

Pergunta: “O que a Bíblia diz sobre a fofoca?”     Resposta: A palavra hebraica para fofoca no Velho Testamento é definida como alguém que revela segredos, agindo como um mexeriqueiro. Isso é alguém que conseguiu descobrir segredos sobre outras pessoas e suas famílias para então sair de casa em casa contando o que descobriu, para o grande detrimento daqueles que confiaram nessa pessoa, assim como para as pessoas que escutam o que não era para escutarem. Podemos distinguir fofoca de compartilhar informações através da intenção. O mexeriqueiro tem como objetivo melhorar a sua própria imagem ao fazer outras pessoas parecerem más e ao exaltar seu conhecimento superior de outras pessoas. No livro de Romanos, Paulo revela a natureza pecaminosa da humanidade ao afirmar como Deus está derramando Sua ira sobre aqueles que rejeitam Suas leis. Por terem rejeitado as instruções e direção de Deus, Ele os entregou às suas naturezas pecaminosas. “Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” (Romanos 1:29-32). Podemos ver dessa passagem quão sério é ser mexeriqueiro e como isso é uma característica daqueles que estão sob a ira de Deus. Um outro grupo que era e é conhecido por participar nesse comportamento pecaminoso são as viúvas. Timóteo adverte as viúvas para não serem mexeriqueiras ou ociosas. “Tendo já a sua condenação por haverem aniquilado a primeira fé. E, além disto, aprendem também a andar ociosas de casa em casa; e não só ociosas, mas também paroleiras e curiosas, falando o que não convém” (1 Timóteo 5:12-13). Porque as mulheres tendem passar muito tempo com outras mulheres em seus lares, trabalhando juntamente com essas mulheres e se envolvendo na vida de muitas pessoas, elas escutam e observam uma variedade de conversas e situações que têm o potencial de serem destorcidas, se o que verem não for mantido confidencial. Timóteo afirmou que as viúvas criam o hábito de ir de casa em casa, procurando por algo para ocupar sua ociosidade. Cabeça vazia é a oficina do diabo, e Deus nos adverte contra deixar que esse pecado entre em nossas vidas. “O que anda tagarelando revela o segredo; não te intrometas com o que lisonjeia com os seus lábios”(Provérbios 20:19). Esse pecado não é comum apenas às mulheres. Qualquer pessoa pode acabar participando de uma fofoca ao repetir algo que escutaram que era para ser um segredo. O livro de Provérbios tem uma longa lista de versículos sobre os perigos da fofoca e sobre a dor que pode resultar da falta de cuidado de pensar em outras pessoas e como podem reagir se algo que queriam que permanecesse em segredo fosse revelado. “O Continue lendo

O Exôdo – Arqueologia

O Exôdo – Arqueologia

O Êxodo A arqueologia tem sido a maior amiga dos historiadores e estudiosos bíblicos na procura de locais e objetos que possam evidenciar o trajeto dos hebreus. Já são muitas as evidências encontradas no Egito e na Arábia Saudita. No último século arqueólogos redescobriram evidências sobre a escravidão dos hebreus, as pragas e a fuga do Egito. A pintura abaixo é uma entre outras encontradas nas paredes da tumba de um comandante chamado Khnumhotep II (século XIX A.C.) onde estão registradas a entrada de um grupo de cerca de 37 palestinos (de barbas) trazendo suas mulheres, crianças, arcos, flexas, lanças, harpas, jumentos e cabras caracterizando que não se tratava de uma invasão, por causa da submissão aos egípcios (mulatos). A figura n° 115 (imagem abaixo) da publicação The Ancient Near East in Pictures (Pritchard) mostra inscrições no Egito sobre o trabalho escravo (século XV A.C.) na fabricação de tijolos e na construção (Êxodo 1.11-14). Alguns textos egípcios mencionam cotas de tijolo e uma falta de palha, como em Êxodo 5.6-19. Há sinais das pragas nas ruínas da antiga cidade de Avaris e no chamado “papiro de Ipuwer” encontrado no Egito no início do último século, levado para o Museu de Leiden na Holanda sendo decifrado por A.H. Gardiner em 1909. O papiro completo está no Livro das Advertências de um egípcio chamado Ipuwer. Este descreve motins violentos no Egito, fome, seca, fuga de escravos com as riquezas dos egípcios e morte ao longo da sua terra. Pela descrição ele foi testemunha das pragas como as do Êxodo. A tabela abaixo compara os relatos de Ipuwer e Moisés: Papiro de Ipuwer Êxodo de Moisés 2.5-6 A praga está por toda região. Sangue em toda parte.2.3 Certamente, o Nilo inunda mas não querem arar para ele.2.7 Certamente, foram enterrados muitos mortos no rio; a corrente está como uma tumba. 2.10 Certamente, o rio está ensanguentado, e quando se vai beber dele, passam longe as pessoas e desejando água. 3.10-13 Essa é a nossa água! Essa é a nossa felicidade! O que faremos a respeito? Tudo são ruínas. 7.20 …e todas as águas do rio se tornaram em sangue.7.21 …os peixes que estavam no rio morreram, e o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber da água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito.7.24 …os egípcios cavaram poços junto ao rio, para beberem água; porquanto não podiam beber da água do rio. 5.6 Certamente, as palavras mágicas foram descobertas (nas câmaras sagradas), os encantos e os encantamentos eram ineficazes por que são repetidos pelas pessoas. 8.18-19 Também os magos fizeram assim com os seus encantamentos para produzirem piolhos, mas não puderam… 2.10 Certamente, portões, colunas e paredes são consumidos pelo fogo.10.3-6 A casa real inteira está sem os seus servos. Ela tinha a cevada e o trigo, os pássaros e os peixes; tiveram roupas brancas e linho bom, cobre e azeites;1.4 …os habitantes dos pântanos possuem proteções; 6.1-3 A pessoa se alimenta da erva arrastada pela água… Continue lendo

Resoluções Para O Novo Ano

Resoluções Para O Novo Ano

  – Resoluções Para O Novo Ano – “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé” (1 João 5:4). Se você crê, em seu coração, que está certo, deve lutar para tornar realidade o seu desejo. Somente o peixe morto nada o tempo todo a favor da correnteza. (Linda Ellerbee) O ano novo está se aproximando. O que esperamos dele? Como será a nossa vida através de cada um de seus dias? Que sonhos almejamos conquistar? A nossa sugestão é que você exercite, em cada um dia do novo ano, a sua fé. Seja ela pequena ou grande, pratique-a! Seja o caminho fácil ou difícil, insista! Seja a estrada plana ou pedregosa, esforce-se! Mesmo que muitos tentem fazer você desistir, não desanime, creia! Jesus nos disse que venceu o mundo e o fez para que nós seguíssemos Seu exemplo e vencêssemos também. Como diz a autora de nossa ilustração, enquanto estamos vivos devemos seguir em frente. Se nos sentirmos fracos, peçamos ajuda ao Senhor e Ele certamente nos fortalecerá. Se cairmos, vamos levantar e recomeçar. Se fracassarmos, vamos compreender que foi apenas um passo e não o definitivo. O novo ano trará consigo as bênçãos do Senhor. Sua vida será abençoada; sua família será abençoada; sua casa será abençoada. O Abençoador está com você e isso faz toda a diferença. Caminhando a Seu lado, a possibilidade de não conquistar seus sonhos é nula. Revestido de fé, mesmo que tenha de nadar contra a correnteza, você sempre alcançará a vitória! * É o que te deseja toda a Equipe da UNIVERSIDADE DA BÍBLIA Deus te abençoe abundantemente!        

Feliz Natal!

Feliz Natal!

  O cristão pode sim comemorar o Natal distribuindo presentes e se confraternizando com os amigos. No entanto, o que não se deve esquecer é o real sentido desta época do ano. Enquanto o comércio está abarrotado de pessoas pensando qual roupa deve comprar e quais utensílios de casa precisam adquirir, há um povo que sabe bem o que esta data representa. Um dia, um homem veio ao mundo para assegurar o futuro, marcar o presente e interferir no passado. Jesus nasceu para salvar a humanidade e um dia ele bateu na nossa porta e nós o deixamos entrar. E que transformação ele fez. Que revolução este homem proporcionou nos corações aflitos e desejosos de mudança. O Natal é a magnitude de Cristo em nossas vidas. Exaltemos, portanto, este homem – tão venerado e aceito por muitos, e tão esquecido e isolado por outros. “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”     Um feliz nascimento de Cristo em seu coração e que a alegria desta data permaneça em sua vida para sempre. É o que deseja toda a Equipe da Universidade da Biblia!    

Video Cordel de Natal

Video Cordel de Natal

JESUS , O VERDADEIRO NATAL! Belo video retratando o verdadeiro sentido do natal cristão. Um maravilhoso trabalho em cordel.    

Panorama da Bíblia – NÚMEROS

Panorama da Bíblia – NÚMEROS

  Panorama da Bíblia – Números Título Arithmoi é o titulo da versão grega dos Setenta (século III A.C.); Numeri, na Vulgata latina, simplesmente porque esse livro compreende dois recenseamentos do povo de Israel: o primeiro efetuado após a saída do Egito, no começo do segundo ano de sua peregrinação no deserto (cap. 1); o segundo, 39 anos mais tarde, imediatamente antes que a nova geração de Israel penetrasse em Canaã (cap. 26).     Os israelitas designam o quarto livro de Moisés pelas primeiras palavras do texto hebraico: “No deserto”. Esse título corresponde muito melhor ao assunto desses 36 capítulos, que narram mais de 38 anos de experiências do povo eleito: desde a partida do Sinai até a chegada às planícies de Moabe.     Primeira Seção (cap. 1-10) O livro do Êxodo permitiu-nos seguir Israel até o monte Sinai, onde Deus lhe comunicou Suas ordenanças e Suas leis. O Levítico é inteiramente consagrado às prescrições sacerdotais dadas pelo Senhor durante o primeiro ano após a saída do Egito.     Os 10 primeiros capítulos de Números descrevem acontecimentos que duraram apenas algumas semanas: preparativos ordenados por Deus antes da partida do Sinai. Esta partida teve lugar no 20º dia do segundo mês do segundo ano (10:11):     Recenseamento do povo — cap. 1 Organização do acampamento — cap. 2 Recenseamento e funções dos levitas — cap. 3e4 Pureza no acampamento — cap. 5 e6 Ofertas dos príncipes — cap. 7 Consagração dos levitas – cap. 8 Celebração da segunda Páscoa e presença da nuvem — cap. 9 Trombetas anunciando a partida — cap. 10   Segunda Seção (cap. 11-21) O povo de Israel poderia ter vencido em 11 dias a distância que separa o Sinai de Canja (confira Deuteronômio 1:2). Em vez disso permaneceu quase 40 anos nesse “grande e terrível deserto” (Deuteronômio 1:19), até que perecesse toda a geração rebelde, mediante o castigo divino (Números 14:33-34; 1 Coríntios 10:5; Hebreus 3:16-17).     Cabe a esta seção de Números contar-nos os principais acontecimentos desses 40 anos. Essa narração gira essencialmente em torno de 7 ocasiões particulares em que Israel se tornou culpado, murmurando contra Deus.     Murmuração após a primeira etapa da viagem – 11:1-3. Murmuração contra o alimento – 11:4-35. Murmuração de Miriã e Arão a respeito de Moisés – cap. 12. Murmuração após o relatório dos 12 espias chegados de Canaã – cap. 13-14. Murmuração de Coré e seus companheiros, contra a autoridade – cap. 16-17. Murmuração em Meribá: falta de água – cap. 20. Murmuração em Hor: as serpentes ardentes – cap. 21.   Terceira Seção (cap. 22-36) Em contraste com os anteriores, estes quinze capítulos preenchem uma época relativamente curta: a etapa que vai dos dias nas planícies de Moabe até a véspera da entrada em Canaã. As vitórias sobre Seom, rei dos amorreus e sobre Ogue, rei de Basã (21:21-35), permitiram um rápido avanço no itinerário que conduzia à Palestina.     Israel já se encontrava na proximidade do Jordão, Continue lendo

O Dia da Bíblia

O Dia da Bíblia

No próximo domingo (11) será comemorado o Dia da Bíblia no Brasil! . :. Como celebrar o dia da bíblia .: A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas. Há mais de 150 anos, o Dia da Bíblia, é celebrado com o objetivo de difundir e estimular a leitura da Palavra de Deus. A fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em 1948, contribuiu para que esta data fosse se popularizando cada vez mais. E, graças a esse trabalho, o Dia da Bíblia, passou a ser comemorado não só no segundo domingo de dezembro, mas também ao longo de toda a semana que antecede esta data. A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas. Conheça, a seguir, como a Semana da Bíblia é comemorada. Cultos – As igrejas planejam e realizam cultos especiais no Dia da Bíblia. Nestes cultos é lembrado o grande amor de Deus ao entregar a sua Palavra aos homens e o valor dessa Palavra na vida das pessoas. Em geral, nesses Cultos, ofertas especiais são recolhidas para ajudar na distribuição da Bíblia no Brasil e no mundo. Graças a essas ofertas, a Sociedade Bíblica do Brasil consegue distribuir milhares de Bíblias, Novos Testamentos, Porções e Seleções Bíblicas a pessoas necessitadas, na mais diferentes situações e lugares. Carreatas – Muitas igrejas organizam desfiles de carros pelas ruas principais da cidade, ostentando faixas com versículos bíblicos. Carros alegóricos, com representações de Bíblias, normalmente fazem parte da carreata. Concentrações – As igrejas evangélicas de muitas cidades organizam concentrações públicas para celebrar o Dia da Bíblia. Estas concentrações ocorrem em praças, ginásios esportivos, estádios e outros lugares de fácil acesso ao público. Um culto público, com pregação da palavra, orações e apresentação de corais e conjuntos musicais normalmente é o clímax da celebração. Bíblias, Novos Testamento, Porções Bíblicas e Seleções Bíblicas são distribuídos nas concentrações. Maratona – As igrejas organizam maratonas de leitura bíblica em seus templos ou em lugares públicos. Essas maratonas seguem dois modelos. Num caso, textos selecionados são escolhidos e lidos publicamente, normalmente em lugares de grande afluência de pessoas. No segundo caso, é feita a leitura ininterrupta de todo o texto bíblico. Pessoas são escaladas para darem continuidade à leitura e ela só é interrompida quando se completa a leitura de toda a Bíblia. Normalmente esta leitura leva mais de um dia para ser concluída e implica em fazer uma vigília. Monumentos – Já vem de décadas o costume de levantar monumentos à Bíblia em praças públicas das cidades. O monumento à Bíblia é um testemunho público da importância da Bíblia para as pessoas e para a sociedade e, ao mesmo tempo, um marco da importância da Bíblia para a cultura do povo. Distribuição – Existem Igrejas que, no Dia da Bíblia, efetuam distribuição maciça de folhetos (Seleções Bíblicas), para que o povo conheça o valor da Continue lendo

As muralhas de Jericó

As muralhas de Jericó

As cidades bíblicas descobertas  pela arqueologia.   As muralhas de Jericó E a muralha ruiu por terra… (J s 6.20). O dr. John Garstang, diretor da Escola Britânica de Arqueologia de Jerusalém e do Departamento de Antiguidades do governo da Palestina (1930-36), descobriu em suas escavações que o muro realmente “foi abaixo”; caiu, e que era duplo. Os dois muros ficavam separados um do outro por uma distância de cinco metros. O muro externo tinha dois metros de espessura e o interno, quatro metros. Os dois tinham cerca de dez metros de altura. Eram construídos não muito solidamente, sobre alicerces defeituosos e desnivelados, com tijolos de dez centímetros de espessura, por trinta a sessenta centímetros de comprimento, assentados em argamassa de lama. Eram ligados entre si por casas construídas de través na parte superior, como a de Raabe, por exemplo, erguida “sobre o muro”. Garstang verificou também que o muro externo ruiu para fora, pela encosta da colina, arrastando consigo o muro interno e as casas, ficando as camadas de tijolos cada vez mais finas à proporção que rolavam ladeira abaixo. O dr. Garstang pensa haver indícios de que o muro foi derribado por um terremoto, o que pode ser, perfeitamente unia conseqüência da ação divina. 0s cristãos não possuem nenhuma dúvida quanto à existência das cidades mencionadas no Antigo e no Novo Testamento. Por isso, dificilmente julgamos necessário conhecer alguma documentação que comprove esse fato. Não obstante, sabemos que muitas obras religiosas não resistem à menor verificação arqueológica, o que contrasta imensamente com a Bíblia que, através dos séculos, tem seus apontamentos históricos e geográficos cada vez mais ratificados pela verdadeira ciência. Evidentemente, nossa fé não está baseada nas descobertas da ciência. Entretanto, não podemos ignorar os benefícios provindos dela quando seus estudos servem para solidificar a nossa crença. O objetivo desta matéria é apresentar uma lista parcial de algumas cidades mencionadas na Bíblia e encontradas atualmente pelas escavações arqueológicas. Elaboraremos a lista apresentando suas respectivas evidências. Esclarecemos também essa seletividade porque há centenas de outras cidades que também foram evidenciadas pela arqueologia. O que faremos aqui, no entanto, é apenas uma breve introdução ao assunto. Este artigo se propõe tão somente a lançar mais evidências ao fato de que a Bíblia não é um livro de ficção, de histórias inventadas por homens falíveis, mas, sim, inspirada por Deus, portanto, suas citações geográficas resistem à verificação arqueológica. De fato, a Bíblia não só descreve esses lugares em suas páginas como também o faz com extrema precisão. Vejamos: 1. Siquém Referência bíblica: “E chegou Jacó salvo a Salém, cidade de Siquém, que está na terra de Cariàã, quando vinha de Padã-Arã; e armou a sua tenda diante da cidade” (Gn 33.18;12.6; grifo do autor). Evidência arqueológica: “Escavações foram empenhadas em Siquém, primeiramente pelas expedições austríaco-alemãs em 1913 e 1914; posteriormente no período de 1926 a 1934, sob a responsabilidade de vários arqueólogos; e, por fim, por uma expedição americana no período de 1956 a 1972 […] A escavação na área Continue lendo