Como o contexto político influi na interpretação das passagens bíblicas

Política (nacional, internacional e civil)

1. Por que o rei Belsazar concedeu a Daniel a terceira colocação no governo babilônico, e não a segunda (Dn 5.7,16)? Porque, como nos conta a história secular, Belsazar era na realidade o segundo no comando. Nabonido, seu pai, ausentara-se do país por um período longo.

2. Por que Paulo mencionou em Filipenses 3.20 a pátria celestial de seus leitores? A cidade de Filipos era uma colônia romana. Os habitantes de Filipos não eram cidadãos romanos, mas o imperador romano Otávio Augusto lhes concedera “direitos itálicos”, ou seja, concedera-lhes os mesmos privilégios que teriam se sua terra natal fosse a Itália. Ciente disso, Paulo escreveu a respeito de uma pátria ainda mais nobre para os cristãos de Filipos, que era a pátria celestial. Isso teria um significado todo especial para os primeiros leitores dessa epístola.

3. Por que Jonas não queria ir para Níníve? Fontes seculares dão conta de que os ninivitas cometiam atrocidades com seus inimigos. Eles decapitavam os líderes dos povos conquistados e empilhavam as cabeças. Às vezes, colocavam numa jaula um chefe capturado e tratavam-no como animal. Era seu costume empalar os prisioneiros, deixando-os agonizar até à morte. Por vezes, esticavam as pernas e os braços do prisioneiro e esfolavam-no ainda vivo. Não é de admirar que Jonas não quisesse pregar uma mensagem de arrependimento aos ninivitas! Ele achava que mereciam ser julgados por suas atrocidades.

4. Qual a razão de tamanha inimizade entre Edom e Judá durante toda a sua existência? Esse fato pode intrigar os leitores da Bíblia, a não ser que se lembrem do conflito que houve entre os gêmeos Jacó e Esaú. Esse conflito passou a seus descendentes. A nação de Judá descendeu de Jacó, e os edomitas, de Esaú. Isso explica por que Obadías referiu-se quatro vezes às montanhas de Edom como “o monte de Esaú” (Ob 8, 9,19, 21).

5. Por que Boaz foi até a porta da cidade falar com os anciãos sobre o terreno de Noemi (Rt 4.1)? A porta da cidade era o lugar oficial para a realização de negócios e para o julgamento de casos (Dt 21.18-21; 22,13-15; Js 20.4; Jó 29.7).

6. O que Jesus quis dizer quando declarou: “ Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”? Como sabemos pelo episódio de sua morte, o indivíduo que carregava a própria cruz até o local da execução tinha sido considerado criminoso. Portanto, tomar a cruz significava seguir Jesus até à morte. Evidentemente, naquela época tomar a cruz não significava passar privações, nem suportar pessoas e circunstâncias desagradáveis.

Fonte: A interpretação Bíblica – Meios de descobrir a verdade da Bíblia.
Roy B. Zuck
Tradução de Cesar de E A. Bueno Vieira
edições vida nova.
pags 92-93


Aprenda mais sobre as ferramentas importantes na interpretação e elucidação das Escrituras.

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM  HERMENÊUTICA E EXEGESE!

Que você possa aprimorar essas duas técnicas, e aplicá-las na busca do conhecimento da Palavra, como diz em João 5.39, “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;”

.: AGREGUE CONHECIMENTO E COMENTE ABAIXO .: