Versículos bíblicos sobre a obediência

Versículos bíblicos sobre a obediência

Porque nisto consiste o amor a Deus: obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados.(1 João: 5.3) Introdução: Aqui está a maior dificuldade do homem em seu relacionamento com Deus, obediência. O homem reconhece o senhorio de Deus, mas tem enorme dificuldade em obedecê-Lo. Ele quer ter Deus em sua vida, mas quer andar dentro dos seus próprios conselhos. E a grande verdade é que não dá, se alguém quer ter Deus em sua vida, tem de seguir os seus mandamentos. É difícil, muito difícil, mas Deus sabe disso e tem misericórdia daqueles que se dispõe para isso. Versículos de obediência no Antigo Testamento: Meu filho, obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe. (Provérbios: 6.20) Se vocês obedecerem fielmente ao Senhor, ao seu Deus, e seguirem cuidadosamente todos os seus mandamentos que hoje lhes dou, o Senhor, o seu Deus, os colocará muito acima de todas as nações da terra. (Deuteronômio: 28.1) Andem sempre pelo caminho que o Senhor, o seu Deus, lhes ordenou, para que tenham vida, tudo lhes vá bem e os seus dias se prolonguem na terra da qual tomarão posse. (Deuteronômio: 5.33) Obedeça ao que o Senhor, o seu Deus, exige: Ande nos seus caminhos e obedeça aos seus decretos, aos seus mandamentos, às suas ordenanças e aos seus testemunhos, conforme se acham escritos na Lei de Moisés, assim você prosperará em tudo o que fizer e por onde quer que for. (1 Reis: 2.3) Quem acolhe a disciplina mostra o caminho da vida, mas quem ignora a repreensão desencaminha outros. (Provérbios: 10.17) Versículos de obediência nas Cartas de Paulo: Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. (Romanos: 12.2) Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos. (Romanos: 5.19) Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus, as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. (Romanos: 13.1) Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. (Romanos: 8.14) Versículos de obediência nas Cartas Gerais: Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês. (Tiago: 4.7) Sejam praticantes da palavra e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. (Tiago: 1.22) Amados, se o nosso coração não nos condenar, temos confiança diante de Deus e recebemos dele tudo o que pedimos, porque obedecemos aos seus mandamentos e fazemos o que lhe agrada. (1 João: 3.21-22) Versículos sobre o tema nos Evangelhos: Respondeu Jesus: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra. Meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos nele morada”. (João: 14.23)

O jardim do Éden pode ser localizado num mapa?

O jardim do Éden pode ser localizado num mapa?

Gênesis 2.10-14 fornece alguns indícios da localização genérica do Éden, mas pressupõe condições geológicas que não mais existem. Daí se deduz a imprudência de conjecturar a existência de um local mais preciso que as cabeceiras dos rios Tigree Eufrates, nas terras elevadas da Armênia (i.e., as fronteiras orientais da moderna Turquia). O grande rio que sai do Éden subdivide-se no Tigre e no Eufrates e depois em outros dois, mais compridos (o Pisom, que desce até Havilá, ao longo da costa sulina da Arábia, e o Giom, que desce até Cuxe — que pode ter sido alguma região asiática do Leste, e não a Cuxe africana, ou Etiópia). Isso revela tratar-se de um planalto elevado, uma região montanhosa (a qual assegurava temperatura amena e agradável para o Éden no verão), dispondo de copiosas fontes de água para suprir os quatro principais sistemas fluviais descritos nessa passagem. Havilá, por dentro do qual o rio Pisom passava, era rico em ouro, especiarias e depósitos de pedras preciosas — encontradas em abundância ao longo da costa sul e sudoeste da Arábia. Quanto a Cuxe, não encontramos indício algum; esse nome tem sido ligado, por alguns estudiosos, a Quis, na Suméria, ou aos cassitas (que se julga terem surgido na região montanhosa de Zagros). A explicação mais plausível para o desaparecimento dos rios Pisom e Giom está na teoria do surgimento de montanhas que acompanhou as comoções continentais (a Arábia originariamente estava ligada à Somália e à Etiópia, nos períodos pré-históricos). A erupção de elevados teria aterrado os dois rios no período antediluviano. Seria algo análogo ao surgimento do monte Seir, em Edom, o qual impediu que o rio Jordão fluísse normalmente até o golfo de Acaba, que teria sido seu antigo leito. Fonte: Enciclopédia de Temas BíblicosRespostas às principais dúvidas, dificuldades e “contradições” da bíbliaGleason ArcherEditora : Vida – pgs: 62-63

Versículos bíblicos sobre humildade

Versículos bíblicos sobre humildade

O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, honra e vida.(Provérbios: 22.4) Introdução: A humildade é uma virtude para poucos, por isso é muito difícil encontrar alguém, realmente, humilde. A pessoas se dizem assim, mas, na realidade, não são. São arrogantes e prepotentes, mas se dizem humildes, porque sabem que esse é o comportamento a ser seguido. A Palavra de Deus contém diversos versículos a respeito desse tema, e todos corroboram essa afirmação: Devemos ser pessoas humildes. Sendo assim, para nossa reflexão, relacionamos alguns versículos a respeito desse assunto, esperamos que você goste. Versículos sobre a humildade no Antigo Testamento: O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai a humildade. (Provérbios: 15.33) O coração do homem se exalta antes de ser abatido e diante da honra vai a humildade. (Provérbios: 18.12) Melhor é ter espírito humilde entre os oprimidos do que partilhar despojos com os orgulhosos. (Provérbios: 16.19) Pois assim diz o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é santo: “Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito. (Isaías: 57.15) Versículos sobre a humildade nas Cartas de Paulo: Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade, cada um considere os outros superiores a si mesmo. (Filipenses: 2.3) Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade. (Colossenses: 2.18) Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. (Efésios: 4.2) Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior. Não sejam sábios aos seus próprios olhos. (Romanos: 12.16) Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter, mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu. (Romanos: 12.3) Versículos sobre a humildade nos Evangelhos: Pois todo o que se exalta será humilhado, e o que se humilha será exaltado. (Lucas: 14.11) Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança. (Mateus: 5.5) E disse: “Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus. (Mateus: 18.3) Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus. (Mateus: 18.4) Versículos sobre o tema nas Cartas Gerais: Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. (1 Pedro: 5.5.) Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. (1 Pedro: 5.6) Quem é sábio e tem entendimento entre vocês? Que o demonstre por seu bom procedimento, mediante obras praticadas Continue lendo

Escavações que mudaram a história

Escavações que mudaram a história

Muitas pessoas hoje acreditam que neste momento nosso conhecimento da história é completo. Elas aceitam que alguns detalhes ainda estão faltando, mas supõem que saibamos quase tudo o que há para saber sobre as grandes civilizações que governaram o passado. A impressionante cobertura que encontramos nos livros de história e nos canais históricos parecem confirmar isso. Contudo, os historiadores admitirão que nosso presente conhecimento do passado ainda é sensivelmente limitado. O que realmente sabemos apresenta lacunas enormes e revisões inesperadas. Isso também tem sido verdade com respeito a história da Bíblia. Apesar de a Escritura apresentar informação histórica, esta informação é seletiva e incompleta. Isso se encaixa com o propósito teológico da Bíblia, pois ela não foi escrita para ser um livro de história. Por esta razão, os historiadores têm muitas vezes duvidado de certos fatos históricos da Bíblia. Isso não é só porque eles suspeitam que uma visão religiosa da história possa alterar os fatos, mas porque alguns detalhes históricos na Bíblia não têm evidência material para sustentá-los. Todavia, surpresas arqueológicas têm agora e antes revelado personagens e lugares históricos conhecidos na Bíblia ainda que desconhecidos em qualquer outra fonte. Tais descobertas não apenas nos dão uma nova perspectiva sobre o que já sabíamos, mas também serve para afirmar a integridade histórica das narrativas bíblicas. As vezes, também, as escavações trazem novos fatos à tona, nunca conhecidos antes, que lançam luz tanto sobre a Bíblia como sobre a história antiga. Existem duas escavações arqueológicas que fizeram exatamente isso, aumentando nossa apreciação pela exatidão da Bíblia enquanto forçavam os historiadores a rescreverem alguns capítulos de seus livros. Estas escavações confirmaram a existência dos heteus e do império de Ebla. Os heteus — Prova de um povo do passado A Bíblia, por 47 vezes, faz menção de um povo chamado “os heteus”. Eles foram listados entre as nações que habitavam a antiga Canaã quando Abraão entrou na terra (Gn 15.20). Eles foram considerados significativos o suficiente para comprar carros e cavalos do rei Salomão (1 Rs 10.29). E mantiveram um exército tão poderoso que o rei de Israel alugou-os para lutar e expulsar o formidável exército dos arameus (2 Rs 7.6,7). Dois heteus, particularmente, ganharam notoriedade no relato bíblico. Um foi Efron, o heteu, que vendeu para Abraão o seu campo e sua caverna em Macpela, em Quiriate- Arba (Hebrom) para enterrar sua mulher Sara (Gn 23.10-20). Desde então ficou conhecida como a Tumba dos Patriarcas. O outro foi Urias, o heteu, um soldado no exército do rei Davi. Apesar de ser estrangeiro, Urias é retratado nas Escrituras como um servo leal, em contraste com o próprio filho de Israel, o rei Davi. O livro de 2 Samuel conta como Davi teve um relacionamento adúltero com a mulher de Urias, Bate-Seba. O pecado do rei foi completado quando Bate-Seba foi achada grávida e ele expôs Urias à morte para cobrir seu crime (2 Sm 11). E mais tarde, quando o profeta Ezequiel denunciou a pecaminosa Jerusalém, Deus declarou que a mãe Continue lendo

Versículos bíblicos de perseverança

Versículos bíblicos de perseverança

Todos odiarão vocês por minha causa, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.  (Marcos: 13.13) Introdução: A perseverança faz parte do cotidiano do crente em seu relacionamento com Deus. Sem perseverança não existe vitória, pois não dá para alcançar as bênçãos de Deus desistindo. E é importante frisar que a perseverança pressupõe obstáculos. Pois, se não há obstáculos, não existe perseverança e sim espera. Versículos de perseverança nas Cartas Gerais: Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm, ela será ricamente recompensada. (Hebreus: 10.35) Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu. (Hebreus: 10.36) O que é nascido de Deus vence o mundo, e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. (1 João: 5.4) Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm, ela será ricamente recompensada. (Hebreus: 10.35) Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam. (Tiago: 1.12) Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações. (Tiago: 1.2) Pois, vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. (Tiago: 1.3) E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. (Tiago: 1.4) Versículos de perseverança nas Cartas de Paulo: Que o próprio Senhor Jesus Cristo e Deus nosso Pai, que nos amou e nos deu eterna consolação e boa esperança pela graça. (2 Tessalonicenses: 2.16) dê ânimo aos seus corações e os fortaleça para fazerem sempre o bem, tanto em atos como em palavras. (2 Tessalonicenses: 2.17) Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia. (2 Coríntios: 4.16) pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles. (2 Coríntios: 4.17) Quanto a você, porém, permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem convicção, pois você sabe de quem o aprendeu. (2 Timóteo: 3.14) E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos. (Gálatas: 6.9) Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (1 Coríntios: 13.7) Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração. (Romanos: 12.12) Versículos sobre o tema no Antigo Testamento: Mas, vocês devem ser fortes e não desanimar, pois o trabalho de vocês será recompensado. (2 Crônicas: 15.7)

Receba sua cura…

Receba sua cura…

A cura interior é um assunto muito sério e que tem sido aplicada de muitas maneiras erradas, enquanto alguns nem sabem da sua existência e importância. Hoje quero trazer para você um estudo sobre esse assunto à luz da Palavra de Deus… Quando falamos sobre cura interior, falamos sobre a cura da nossa ALMA… Quando iniciamos a caminhada com Cristo o nosso espírito é vivificado pelo Espírito Santo e é curado da culpa do pecado. Está livre para ter comunhão com Deus, mas ainda permanecem feridas em nossa alma, lembranças e traumas do tempo que vivíamos na vida de pecado… Nós não somos o que gostariamos de ser. Nesse processo de cura, nós iremos descobrir várias verdades em nossas vidas que precisam ser encaradas, enfrentadas e vencidas. E só através do agir do Espírito Santo em nós é que essas verdade são reveladas e assim podem ser vencidas. Ele pode te mostrar falhas de caráter, pessoas que você magoou, pecados encobertos e muitas outras coisas… É necessário ser sincero consigo mesmo, conheça a verdade e a verdade te libertará! A cura está na Palavra de Deus. Ele pode mudar tudo. Ele pode curar todas as pessoas. Para entender mais sobre cura da alma você precisa entender que o homem é formado por corpo, alma e espírito… A chamada tricotomia* (O homem é um ser tricótomo (1Ts 5.23; Hb 4.12). O termo tricotomia significa “aquilo que é dividido em três” ou “que se divide em três tomos”. Em relação ao homem, o termo tricotomia refere-se às três partes do seu ser: corpo, alma e espírito.) O homem é um espírito que tem uma alma e habita num corpo… É através do espírito que o homem tem consciência de Deus e se relaciona com Ele. Deus é Espírito e só podemos perceber Deus no nosso Espírito. A alma é tudo que o homem é… Sua personalidade. Seu ego. É o mundo dos pensamentos, sentimentos e decisões. A alma está entre o espírito e o corpo. Pertence aos dois. Está ligada ao mundo espiritual através do espírito e ao mundo material através do corpo. Através da alma temos consciência de nós mesmos. A nossa mente, vontade, emoções e corpo são a nossa alma… E ao longo da vida, por meio de pecados, traumas entre outras coisas nós podemos ferir a nossa alma profundamente. Jesus nos faz livres da culpa do pecado, mas não das conseqüências da vida de pecado e das marcas que o pecado criou em nossa alma, por isso existe um processo em que o Espírito Santo de Deus trará cura para todas essas marcas. Caminhar com Jesus é ser curado todos os dias, é sempre se lembrar de algo que precisamos que Ele aja em nós. Resolvi compartilhar esse estudo do Formação em Teologia da Universalidade da Bíblia com você porque tenho certeza que a obra que Deus iniciou em nossas vidas ainda não terminou… Ele tem infinitamente mais mas para experimentar tudo o que Ele tem precisamos nos curar Continue lendo

A interpretação bíblica – Século XIX

A interpretação bíblica – Século XIX

Três elementos do século XIX podem ser examinados: o subjetivismo, a crítica histórica e os trabalhos exegéticos. No movimento que ficou conhecido como subjetivismo, dois nomes se destacam: Friedrich D. E. Schleiermacher (1768-1834) e Soren Kierkegaard (1813-1855). O subjetivismo é a ideia de que o conhecimento é fruto da experiência individual ou de que o bem supremo decorre de uma experiência ou sentimento subjetivo. Schleiermacher rejeitava a autoridade da Bíblia e salientava o papel do sentimento e da percepção individual na religião. Foi uma reação ao racionalismo e ao formalismo. Como escreveu em sua obra Monólogos, publicada em 1800, o cristianismo devia ser encarado como uma religião de emoções, não como uma série de dogmas ou um conjunto de princípios morais. O filósofo dinamarquês Kierkegaard, conhecido como “o pai do existencialismo moderno”, relegava a razão ao nível mais elementar do ser humano, rejeitava a cristandade, com seu racionalismo formal e dogmatismo frio, e pregava que a fé é uma experiência subjetiva vivida em momentos de desespero. A crítica bíblica alcançou uma posição de relevo no século XIX. Sua perspectiva era racionalista e seu relevo estava na autoria humana da Bíblia e nas circunstâncias históricas que cercaram o desenvolvimento do texto bíblico. Como racionalistas, os estudiosos da Bíblia contestavam sua natureza sobrenatural e sua inspiração. Em virtude de sua inclinação filosófica para o naturalismo, eles modificavam os milagres registrados nas Escrituras mediante explicações. Benjamin Jowett (1817-1893) escreveu em Dissertações e Críticas que “a Bíblia deve ser interpretada como qualquer outro livro”, o que exigia que se conhecessem as línguas originais. Mas, em seu entender, isso significava que a Bíblia não tinha caráter sobrenatural, pois possuía “uma intrincada malha de fontes, redatores e interpoladores” que não a faz em nada diferente “de qualquer outra produção literária”. De acordo com Ferdinand C. Baur (1792-1860), fundador da Escola de Tübingen, o cristianismo evoluiu gradativamente do judaísmo, até se transformar numa religião mundial. Sofrendo forte influência da filosofia de Hegel quanto a tese, antítese e síntese, Baur ensinava que Pedro e Paulo encabeçavam dois grupos antagônicos, mas que por fim vieram a unir-se na igreja católica (universal) primitiva. David F. Strauss (1808-1874) adotou uma perspectiva mitológica da Bíblia, que o levou a rejeitar a interpretação gramatical e histórica e os milagres. Strauss foi discípulo de Baur. Julius Wellhausen (1844-1918) desenvolveu a concepção de Karl Graf, denominando-a “hipótese documental”. Nessa perspectiva, o Pentateuco é tido como o trabalho de vários autores — um autor, chamado “J”, elaborou as partes onde Deus é chamado de “Jeová” (daí “J”), o autor “E” compilou os trechos que dizem “Eloim” (daí “E”), “D” foi o deuteronomista e “P” — o último — representa o regimento sacerdotal \priestly, em inglês], Wellhausen acreditava que o povo do Antigo Testamento evoluiu do politeísmo para o animismo, e daí para o monoteísmo. Adolf von Hamack (1851-1930), outro crítico da Bíblia, examinou-a como um biólogo disseca o cadáver de um animal. Em contraste com a crítica histórica racionalista desses e de outros líderes do século Continue lendo

Versículos bíblicos de ações de graças

Versículos bíblicos de ações de graças

Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças.(Salmos: 69.30) Introdução: Muitas e muitas vezes não damos graças ao Senhor pelas bênçãos que Ele nos concede. Isso acontece porque achamos normal estarmos vivos, com saúde, podendo nos locomover, enfim, por estarmos caminhando. Ou seja, não atentamos para o fato de que estarmos vivendo nesse mundo cruel, não tem nada de normal. Nesse mundo violento, desigual, onde saímos de casa e não sabemos se vamos voltar, estar nessa situação é uma dádiva. Agora, o pior, é que quando nos damos conta disso, não creditamos a Deus o fato de estarmos bem. Sendo assim, esse texto é para chamar a atenção para esse fato, de que precisamos dar graças a Deus por isso. Versículos de ações de graça no Antigo Testamento: Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor, louvai-o, e bendizei o seu nome. (salmos: 100.4) Rendam graças ao Senhor, pois ele é bom e o seu amor dura para sempre. (1 Crônicas: 16.34) Os teus votos estão sobre mim, ó Deus, eu te renderei ações de graças.(Salmos: 56.12) Bendirei o Senhor o tempo todo! Os meus lábios sempre o louvarão. (Salmos: 34.1) Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças. (Salmos: 69.30) Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino, tu estás acima de tudo. (1 Crônicas: 29.11) A riqueza e a honra vêm de ti, tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos. (1 Crônicas: 29.12) Agora, nosso Deus, damos-te graças, e louvamos o teu glorioso nome. (1 Crônicas: 29.13) Deem graças ao Senhor porque ele é bom, o seu amor dura para sempre. (Salmos: 107.1) Vamos à presença dele com ações de graças; vamos aclamá-lo com cânticos de louvor. (Salmos: 95.2) Pois o Senhor é o grande Deus, o grande Rei acima de todos os deuses. (Salmos: 95.3) Versículos de ações de graças nas Cartas de Paulo: Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus. (1 Tessalonicenses: 5.18) Não haja obscenidade nem conversas tolas nem gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ação de graças. (Efésios: 5.4) Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ações de graças, apresentem seus pedidos a Deus. (Filipenses: 4.6) Pois tudo o que Deus criou é bom e nada deve ser rejeitado, se for recebido com ações de graças. (1 Timóteo: 4.4) Pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração. (1 Timóteo: 4.5) Versículos de ações de graças em Apocalipse: Toda vez que os seres viventes dão glória, honra e graças àquele que está assentado no trono e que vive para todo o sempre. (Apocalipse: Continue lendo

O relato da criação em Gênesis 1 e Gênesis 2

O relato da criação em Gênesis 1 e Gênesis 2

Gênesis 2 não apresenta, de modo algum, um relato da criação, mas supõe o término da obra criadora de Deus, conforme narrada no capítulo 1. Os três primeiros versículos de Gênesis 2 simplesmente levam a narrativa do capítulo 1 a uma conclusão lógica e irreversível, usando o mesmo vocabulário e estilo empregado no capítulo anterior. Mostra o trabalho completo da criação e estabelece a santidade especial do sétimo dia como símbolo e memorial da obra criadora de Deus. A seguir, o versículo 4 resume a narrativa toda ao afirmar: “Esta é a história das origens dos céus e da terra, no tempo em que foram criados”. Tendo terminado a pesquisa geral sobre o assunto, o autor narra, a seguir, com minúcias, um fato importante já mencionado: a criação do homem. Assim diz Kenneth Kitchen: Gênesis 1 menciona a criação do homem como último elemento de uma série, sem quaisquer detalhes, enquanto em Gênesis 2 o homem é o centro do interesse, surgindo pormenores mais específicos a respeito do ser humano e de seu ambiente. Deixar de reconhecer a natureza complementar da distinção temática entre um esboço rápido de toda a obra criadora, por um lado.e a concentração nas minúcias da criação do homem e de seu ambiente, por outro, quase equivale ao obscurantismo (Ancient Oríent, p. 117). A seguir, Kitchen descreve a analogia das incrições egípcias, como a tábua poética de Carnac, de Tutmés III, de Gebel Barkal.e as inscrições reais de Urartu, que atribuem a derrota dos inimigos da nação a seu deus-patrono, Haldi, e em seguida relatam as mesmas vitórias em minúcias, as que foram conseguidas pelo rei de Urartu na ocasião. Depois, acrescenta esse autor: O que seria absurdo nos monumentais textos do Oriente Próximo, que não tiveram nenhuma pré-história registrada, não deveria ser imposto a Gênesis 1 e 2, como se faz pela perpetuação de uma sistematização do século XIX, destituída de crítica resultante de especulações feitas por diletantes do século XVIII, aos quais falta, como sempre, todo o conhecimento das formas e usos da literatura oriental antiga (Ibid.). Quando examinamos o restante do capítulo 2 de Gênesis, descobrimos que ele trata da descrição do ambiente ideal que Deus preparou para Adão e Eva, no qual pudessem iniciar sua vida, caminhando em íntima comunhão com o Senhor, como filhos atenciosos e obedientes. Os versículos 5 e 6 descrevem o estado original da “terra”, ou do “chão”, a região ampla do jardim do Éden, antes de surgir a verdura por causa do sistema de irrigação usado pelo Senhor. O versículo 7 apresenta Adão como o inquilino recentemente amoldado, para quem Deus preparou o Éden. O versículo 8 narra como o primeiro homem foi colocado ali a fim de observar e desfrutar a beleza e a riqueza do lugar. Os versículos de 9 a 14 descrevem os vários tipos de árvore e a viçosa vegetação regada pelas águas abundantes dos rios que saíam do Éden, indo para as regiões mais baixas além de seus limites. O versículo 15 Continue lendo

Música: Arte Criada por Deus

Música: Arte Criada por Deus

“Louvai ao Senhor. Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder. Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza. Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa. Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos. Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR.” (Salmo 150)A música, uma arte muito apreciável em todo o mundo, tanto nas igrejas e nos ambientes evangélicos, quanto no “mundo”, sendo usada para diferentes fins. A música possui um imenso poder de atração do ser humano, desde os tempos remotos, até os dias de hoje, possivelmente a arte mais antiga de todas que se renova à cada dia.Mas afinal, o que faz da música esse tão poderoso instrumento, como uma única melodia é capaz de lotar estádios, uma arte incrível que faz rir e chorar, que tem milênios de existência e ainda cria e se transforma.A história da músicaBiblicamente, não existe data precisa de criação da música, mas a bíblia fala sobre o primeiro ministro de louvor. No principio, antes da criação da terra ou do ser humano.Deus (que nunca foi criado, mas sempre existiu) formou o seu reino, só havia o reino de Deus, então Ele criou os anjos.A bíblia relata em alguns versículos sobre um anjo diferente criado por Deus, um querubim ungido, mais belo e brilhante do que todos os outros, suas asas eram as maiores, uma criação minuciosa que a quem Deus deu um dom especial, algo que vinha de dentro Dele, algo lindo que elevava essa criatura acima de todas as outras já criadas por Deus, a música! E o nome do privilegiado cidadão dos céus a receber essa incrível dádiva era Lúcifer (anjo de luz).A música surgiu do mais secreto sentimento do coração de Deus ser louvado, ela simboliza os pensamentos do próprio Deus, simboliza a intimidade dEle. Lúcifer não criou a música, ele apenas recebeu, ao ser criado, um sentimento de Deus, era apenas um instrumento para louvor e honra do Senhor, e por isso ele era tão prestigiado no reino.Eu creio que já é de pleno conhecimento de todos o restante da história. Lúcifer agasalhou em seu coração um sentimento de superioridade em relação ao próprio Deus, começou a usas da música, o seu dom maior, para se engrandecer e influenciar outros anjos a se rebelarem contra Deus, aí surgiu o primeiro pecado, o pecado só pode entrar no reino após a dispensação de um sentimento de Deus, Lúcifer tinha o melhor de Deus e não soube aproveitar, por isso o Senhor se sentiu tão “traído” , confiara o seu maior bem a uma criatura e ela o rejeitava.Então Deus tomou de Lúcifer tudo aquilo que lhe tinha dado, tirou os seus dons e ministérios, Lúcifer perdera de uma vez por todas o amor de Deus e fora jogado para fora dos céus junto com a terça parte dos anjos, esta que lhe seguira, após isso Continue lendo

Versículos bíblicos sobre política

Versículos bíblicos sobre política

Escolham homens sábios, criteriosos e experientes de cada uma de suas tribos e eu os colocarei como chefes de vocês.(Deuteronômio: 1.13) Introdução: Política, podemos dizer, que se trata da arte ou ciência da organização, da direção e administração de Estados e Nações (Fonte: Wikipédia). Sendo assim, temos condições de afirmar que quem faz política, chama-se político. E o que temos visto, é que muitos desses políticos exercem seus cargos sem nenhum temor a Deus. Por conta disso, acabam se perdendo, pois aquele que não teme ao Senhor, em algum momento acabará pagando a conta. Sendo assim, relacionamos alguns versículos que tratam desse tema, muito importante para todos nós: Versículos sobre política no Antigo Testamento: O rei que exerce a justiça dá estabilidade ao país, mas o que gosta de subornos o leva à ruína. (Provérbios: 29.4) É Deus quem julga: Humilha a um, a outro exalta. (Salmos: 75.7) Erga a voz em favor dos que não podem defender-se, seja o defensor de todos os desamparados. (Provérbios: 31.8) Erga a voz e julgue com justiça, defenda os direitos dos pobres e dos necessitados. (Provérbios: 31.9) Poderá um trono corrupto estar em aliança contigo? Um trono que faz injustiças em nome da lei? (Salmos: 94.20) Eles planejam contra a vida dos justos e condenam os inocentes à morte. (Salmos: 94.21) Mas o Senhor é a minha torre segura, o meu Deus é a rocha em que encontro refúgio. (Salmos: 94.22) Fará cair sobre eles os seus crimes, e os destruirá por causa dos seus pecados, o Senhor, o nosso Deus, os destruirá! (Salmos: 94.23) Mais versículos sobre política no Antigo Testamento: O Deus de Israel falou, a Rocha de Israel me disse: ‘Quem governa o povo com justiça, quem o governa com o temor de Deus. (2 Samuel: 23.3) É como a luz da manhã ao nascer do sol, numa manhã sem nuvens. É como a claridade depois da chuva, que faz crescer as plantas da terra. (2 Samuel: 23.4) A justiça engrandece a nação, mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo. (Provérbios: 14.34) Os pecados de uma nação fazem mudar sempre os seus governantes, mas a ordem se mantém com um líder sábio e sensato. (Provérbios: 28.2) Quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme. (Provérbios: 29.2) Como um leão que ruge ou um urso feroz é o ímpio que governa um povo necessitado. (Provérbios: 28.15) O governante sem discernimento aumenta as opressões, mas os que odeiam o ganho desonesto prolongarão o seu governo. (Provérbios: 28.16) Não blasfemem contra Deus nem amaldiçoem uma autoridade do seu povo. (Êxodo: 22.28) Por meu intermédio os reis governam, e as autoridades exercem a justiça. (Provérbios: 8.15) Também por meu intermédio governam os nobres, todos os juízes da terra. (Provérbios: 8.16) Como é feliz a nação que tem o Senhor como Deus, o povo que ele escolheu para lhe pertencer! (Salmos: 33.12) Versículos sobre política nos Evangelhos: Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda Continue lendo

O Obelisco Negro de Salmaneser III — Retrato de um rei israelita

O Obelisco Negro de Salmaneser III — Retrato de um rei israelita

Uma das mais excitantes descobertas já feitas em arqueologia bíblica foi uma enorme pedra negra extraída de um buraco cavado na antiga cidade assíria de Calah (moderna Ninrode) em 1845. Esta pedra, porém, quase não foi desenterrada. O arqueólogo inglês Henry Layard havia sido aconselhado por seus trabalhadores a desistir e fechar o buraco. Era inverno, o chão estava extremamente frio e duro, e o difícil trabalho de cavar valas para descobrir artefatos havia provado ser inútil. Layard não queria desistir, mas se comprometeu a pedir a seus homens que trabalhassem por somente mais um dia. Eles não tiveram que esperar tanto! Quase imediatamente depois que os homens reassumiram o trabalho eles bateram numa enorme pedra, que agora sabemos ser um dos mais importantes documentos assírios relacionados ao Antigo Testamento. A pedra era um bloco de calcário polido com quatro lados (obelisco) medindo 2 metros. Em cada lado do obelisco estavam esculpidos cinco registros de esculturas em relevo demonstrando várias cenas de tributos sendo trazidos à corte assíria. Além disso, acima e abaixo dos painéis em todos os lados havia quase 200 linhas de texto cuneiforme. Logo que o texto cuneiforme foi traduzido descobriu-se que ele catalogava 31 campanhas militares do monarca assírio Salmaneser III. As esculturas em relevo detalhadas de tributo e pagadores de tributos mostravam belamente muitos estilos diferentes de roupa, artigos caros e até animais exóticos para o zoológico assírio. Todavia, a grande surpresa foi que as linhas acima de um registro que mostrava uma figura de joelhos diante do rei da Assíria foi traduzida: Tributo de Jeú, filho de Onri. Prata, ouro, vasos de prata, taças de ouro, cálices de ouro, caixas com ouro, recipientes, cetros para a mão do rei [e] dardos, [Salmaneser] recebeu dele. Aqui, pela primeira vez em qualquer artefato arqueológico, estava um retrato de um dos reis de Israel! De acordo com a Bíblia (2 Rs 9-10; 2 Cr 22.7-9), Jeú, um comandante no exército do rei Jorão, foi “escolhido pelo Senhor” para suceder o trono israelita. Instruído pelo profeta Eliseu para matar Jorão, ele tornou-se o governante de Israel de 841-814 a.C. Ele serviu como instrumento final de Deus contra a casa do ímpio rei Acabe (incluindo a infame rainha Jezabel), e erradicou da terra o culto idólatra a Baal. No relato bíblico, porém, não há menção do rei Jeú pagando tributo à Assíria como descrito no obelisco. A Bíblia fala realmente que Jeú, quase ao final de seus 28 anos de reinado, foi relapso na responsabilidade real de manter a lei de Deus (2 Rs 10.31) e, ao invés disso, seguiu novamente o culto henoteísta instituído por Jeroboão (veja 1 Rs 12.28-29). Por causa disso, o Senhor removeu a proteção de Israel e inimigos estrangeiros começaram a invadir e conquistar partes da terra (2 Rs 10.32-33). A fraqueza de Israel neste ponto pode ter influenciado Jeú a buscar a proteção da Assíria. Uma vez que a hegemonia assíria foi imposta, Israel teria sido sujeito a pagar tributo (cf. 2 Rs Continue lendo