Versículos bíblicos que mostram que Deus é contigo

Versículos bíblicos que mostram que Deus é contigo

Então o anjo do Senhor apareceu a Gideão e lhe disse: “O Senhor está com você, poderoso guerreiro”.(Juízes: 6.12) Introdução: Ter a certeza que Deus está conosco é a melhor notícia que poderíamos receber. Muito embora, por conta da nossa pouca fé, muitas vezes duvidemos disso. Entretanto, a Palavra de Deus contém muitos versículos que corroboram essa promessa. Sendo assim, mesmo que as circunstâncias queiram nos fazer duvidar, não existe nenhuma dúvida a esse respeito. Por conta disso, relacionamos alguns versículos que mostram, de uma forma muito clara, que Deus está com cada um de nós. Versículos que mostram que Deus é contigo no Antigo Testamento: Ninguém conseguirá resistir a você, todos os dias da sua vida. Assim como estive com Moisés, estarei com você, nunca o deixarei, nunca o abandonarei. (Josué: 1.5) Seja forte e corajoso, porque você conduzirá esse povo para herdar a terra que prometi sob juramento aos seus antepassados. (Josué: 1.6) Eu farei de você uma muralha de bronze fortificada diante deste povo, lutarão contra você, mas não o vencerão, pois estou com você para resgatá-lo e salvá-lo, declara o Senhor. (Jeremias: 15.20) Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa deles, pois o Senhor, o seu Deus, vai com vocês, nunca os deixará, nunca os abandonará. (Deuteronômio: 31.6) Por isso não tema, pois estou com você, não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei. Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa. (Isaías: 41.10) Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois, o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar. (Josué: 1.9) Versículos que mostram que Deus é contigo nos Evangelhos: Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (Mateus: 28.19) Ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos. (Mateus: 28.20) Versículos que mostram que Deus é contigo nas Cartas de Paulo: Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito. (Efésios: 3.16) Para que Cristo habite em seus corações mediante a fé e oro para que vocês, arraigados e alicerçados em amor. (Efésios: 3.17) Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? (1 Coríntios: 3.16) Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá, pois, o santuário de Deus, que são vocês, é sagrado. (1 Coríntios: 3.17) Pois estou convencido de que nem morte, nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente, nem o futuro, nem quaisquer poderes. (Romanos: 8.38) Nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Romanos: 8.39) Versículos sobre o tema nas Cartas Gerais: Conservem-se livres do amor ao Continue lendo

A salvação na teologia de Gênesis

A salvação na teologia de Gênesis

A graça A graça deve constituir o princípio deste tópico, e Gênesis revela que a graça, longe de ser mera resposta ao pecado, é fundamental para a própria criação. Isso transparece na decisão de conduzir “ muitos filhos à glória” envolvida na formação do homem à imagem de Deus e na preparação de um mundo no qual a filiação poderia ser levada à maturidade , e a imortalidade estaria ao alcance do homem (2:9; 3:22). A entrada do pecado introduz na cena outros aspectos da graça, nas medidas tomadas por Deus para preservar a humanidade em algum nível de decência e ordem, e levar certos homens a entrarem em aliança com Ele, por meio dos quais abençoaria finalmente o mundo (18:18). Como “ Salvador” (isto é, Preservador) “ de todos os homens” , Ele é apresentado em Gênesis restringindo a corrupção e a anarquia produzidas pelo pecado, por meio da disciplina do trabalho duro e da mortalidade (3:17, 22), do emprego construtivo dos recursos naturais (3:21), das sanções da lei (9:4-6) e da capacidade de reconhecer obrigações morais (c/. o uso que Abimeleque fez de expressões morais em 20:5,9), como também por meio da influência direta dos Seus servos (por exemplo, 50:20). Como Salvador “ especialmente dos fiéis” (ou “ dos que crêem” ), Ele revela Sua graça escolhendo-os, chamando-os, justificando-os, estabelecendo aliança com eles e ensinando-lhes os Seus caminhos. Estas atividades vêm resumidas nas duas últimas seções seguintes. Eleição Rm 9:6-13 mostra que Gênesis deixa indubitável a soberana escolha de-Deus, mediante as narrativas do nascimento de Isaque e de Jacó Particularmente Jacó foi assinalado em detrimento de Esaú “ ainda antes de haverem nascido, e sem que tivessem feito nem o bem nem o mal” . Longe de serem voluntários fortuitos, esses homens deviam sua existência à intervenção de Deus (pois, como Sara, Rebeca era estéril), e a escolha divina foi mantida contra uma longa história de vacilações e intrigas paternas. A mesma iniciativa divina levantou todos os libertadores, desde Sete, o “ designado” sucessor de Abel (4:25), passando por Noé (cujo papel foi profetizado por ocasião do seu nascimento, 5:29) e Abraão (chamado para longe do seu país e da sua parentela), até José, “ enviado” , contrariamente a todas as intenções humanas, “ para conservar… um remanescente” da família escolhida(45:7,8). Contudo, é importante notar, de passagem, que a escolha de Isaque e de Jacó, antes de nascerem, e a correspondente rejeição de Ismaele de Esaú, estavam explicitamente relacionadas com a função deles,não com a sua salvação ou perdição. Isto é especialmente claro no casode Ismael, rejeitado numa capacidade e aceito na outra. QuandoAbraão orou: “ Oxalá viva Ismael diante de ti” , a resposta de Deus foi“ Não” ao pedido implícito de que tomasse o lugar de Isaque, mas foi“ Sim” às palavras em seu sentido literal. … eu te ouvi: abençoá-loei…” (17:18-21). A eleição, em Gênesis, refere-se ao fato de o homemestar ou não na linha de sucessão que levava a Cristo, a “ semente” queseria Continue lendo

Versículos bíblicos de resistência ao diabo

Versículos bíblicos de resistência ao diabo

Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.(1 João: 4.4) Introdução: A Palavra de Deus nos determina que vigiemos, porque o inimigo tem fúria sobre nós. E todos sabemos que essa afirmação é verdadeira e não devemos desprezá-la. Porém, muitos de nós gostamos de viver perigosamente e acabamos por deixar determinados cuidados de lado. Então, nos expomos à fúria do inimigo e, muitas vezes, somos tragados como presas fáceis nesse mundo cruel. Nesse texto relacionamos alguns versículos que trata desse tema: Resistência ao diabo. A intenção é trazer um alerta e uma reflexão, pois sabemos dos perigos que corremos. Versículos de resistência ao diabo no Antigo Testamento: Pois o Senhor expulsou de diante de vós grandes e fortes nações e, quanto a vós, ninguém vos tem podido resistir, até o dia de hoje. (Josué: 23.9) Versículos de resistência ao diabo nos Evangelhos: Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. (Lucas: 10.19) E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. (Lucas: 9.1) Mas ele, virando-se, e olhando para os seus discípulos, repreendeu a Pedro, dizendo: Retira-te de diante de mim Satanás, porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens. (Marcos: 8.33) Versículos de resistência ao diabo nas Cartas de Paulo: No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. (Efésios: 6.10) Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. (Efésios: 6.10-11) Não deis lugar ao diabo. (Efésios: 4.27) Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas. (2 Coríntios: 10.4) Destruindo os conselhos e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo. (2 Coríntios: 10.5) Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo. (1 Timóteo: 3.7) Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. (Efésios: 6.13) Versículos sobre o tema nas Cartas Gerais: Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. (1 João: 3.8) Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. (1 Pedro: 5.8-9) Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós. (Tiago: 4.7) Versículos sobre o tema em Atos dos Apóstolos: Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, Continue lendo

O PERÍODO PERSA

O PERÍODO PERSA

O PERÍODO PERSA (538-331 a.C.) O reino do norte de Israel havia sido conquistado pelos assírios em 722 a.C. sob a liderança de Sargão. Seus habitantes foram então deportados para a Assíria (II Reis 17:6) e para outras terras conquistadas. Por sua vez, os povos de outras nações conquistadas foram então importados, para povoarem a área conhecida como Samária. A política dos assírios foi tentar destruir todo vestígio de linhagem nacional e, assim, unir todos os povos num só. Em 612 a.C., os babilônios, liderados por Nabopolassar, destruíram Nínive e conquistaram os assírios. O reino do sul, Judá, caiu nas mãos dos babilônios, sob Nabucodonozor, em 605 a.C., e alguns da família real e líderes abastados foram levados cativos para a Babilônia. Entre estes, estavam Daniel e os três jovens de Daniel 1. Uma curta rebelião em 597 a.C. foi suprimida, servindo de pretexto para outra deportação (incluindo Ezequiel). Uma revolta ainda posterior, conduzida por Zedequias, foi suprimida em 587 a.C., com a destruição completa do Templo e deportação de todos, exceto algumas poucas pessoas pobres, para evitar que o país se tornasse um deserto. O “cativeiro babilônico” não foi tanto um cativeiro como um exílio. O propósito das deportações não foi tanto destruir as linhagens nacionais (como foi a política assíria), mas punir aqueles que se opunham ao governo. Permitiu-se aos cativos uma parcela de liberdade, e eles podiam eleger seus próprios líderes em suas comunidades. Muitos desses exilados se tornaram líderes no governo babilônico (Dan. 1:20; 2:48,49; 3:30; etc.), e bem poderosos. Esses exilados estavam começando a encontrar seu ponto forte real nos campos da indústria e do comércio. A tendência que se iniciou na Babilônia tornou-se mais desenvolvida nas gerações posteriores, até que, durante os tempos do Novo Testamento, as comunidades judaicas eram primariamente urbanas e comerciais, em vez do meio agrícola e pastoral do Velho Testamento. Durante esse período o nome judeus entrou em uso. Ele denotava o povo da nação conquistada de Judá. Os outros termos usados no Velho Testamento para referência aos descendentes de Abraão e Isaque tornaram-se menos usados, e o termo judeus entrou em uso quase que exclusivamente. Estando tão longe de Jerusalém, e sem ter o Templo de Salomão e o Tabernáculo para cultuar, o povo exigiu dos sacerdotes um modo temporário de retenção do conhecimento de Jeová. Assim, surgiram os grupos de adoradores que se reuniam regularmente para ouvir a lei lida, uma palavra de exortação ou explicação, o cântico de salmos e a recitação das orações. Esses grupos formaram os primórdios da instituição que deveria posteriormente ser conhecida com o nome grego de “sinagoga” (“reunidos juntos”). A intenção, a princípio, era que a sinagoga fosse apenas uma coisa temporária, até que a volta a Jerusalém pudesse ser feita e o Templo, reconstruído. Contudo, a importância da sinagoga como força coesiva na unificação dos judeus numa comunidade foi gradualmente reconhecida e aceita universalmente pelos líderes religiosos. Ela não somente era o meio para ensino da lei e dos profetas, mas Continue lendo

Versículos bíblicos que falam da criação

Versículos bíblicos que falam da criação

No princípio Deus criou os céus e a terra.(Gênesis: 1.1) Introdução: Deus é o criador de todas as coisas e tudo que Ele criou é perfeito. Porém, a Sua criação foi manchada pelo pecado, sendo preciso que Ele enviasse o Seu Filho para redimir o homem da situação em que se encontrava. Assim, agora, toda humanidade tem a possibilidade de estabelecer uma relação adequada com o Senhor. Essa oportunidade está disponível a todos, porém, infelizmente, muitos deixarão de aproveitá-la. Versículos que falam da criação no Antigo Testamento: Assim Deus criou os grandes animais aquáticos e os demais seres vivos que povoam as águas, de acordo com as suas espécies, e todas as aves, de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom. (Gênesis: 1.21) Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou. (Gênesis: 1.27) Então, o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente. (Gênesis: 2.7) Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o Senhor abençoou o sétimo dia e o santificou. (Êxodos: 20.11) Pergunte, porém, aos animais e eles o ensinarão, ou às aves do céu, e elas lhe contarão. (Jó: 12.7) Fale com a terra, e ela o instruirá, deixe que os peixes do mar o informem. (Jó: 12.8) Mais versículos que falam da criação no Antigo Testamento: Quem de todos eles ignora que a mão do Senhor fez isso? (Jó: 12.9) Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da sua boca. (Salmos: 33.6) É o que diz Deus, o Senhor, aquele que criou o céu e o estendeu, que espalhou a terra e tudo o que dela procede, que dá fôlego aos seus moradores e vida aos que andam nela. (Isaías: 42.5) Só tu és o Senhor. Fizeste os céus, e os mais altos céus, e tudo que neles há, a terra e tudo o que nela existe, os mares e tudo o que neles existe. Tu destes vida a todos os seres, e os exércitos dos céus te adoram. (Neemias: 9.6) Fui eu que fiz a terra e nela criei a humanidade. Minhas próprias mãos estenderam os céus, eu dispus o seu exército de estrelas. (Isaías: 45.12) Pois assim diz o Senhor, que criou os céus, ele é Deus, que moldou a terra e a fez, ele a fundou, ele não a criou para estar vazia, mas a formou para ser habitada. Ele diz: “Eu sou o Senhor, e não há nenhum outro”. (Isaías: 45.18) Não temos todos o mesmo Pai? Não fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros? (Malaquias: 2.10) Eu formo a luz e crio as trevas, promovo a paz Continue lendo

Use a música para resgatar e tocar vidas

Use a música para resgatar e tocar vidas

Graça e Paz! Todas as vezes que faço os meus devocionais, procuro ouvir alguns louvores para sentir ainda mais a Presença do Espiríto Santo. Fico muito reflexivo pois a música tem um poder enorme de transformação de vidas. Através dela, o mundo atrai muitas pessoas… E através da música, muitas e muitas pessoas são alcançadas pra Jesus. Pensar nisso tudo, faz com que a gente queira fazer com que a música gospel prevaleça sobre a influência do mundo. O Rodolfo Abrantes, quando se converteu, falou sobre a importância da música. E ele, que antes trabalhava para uma banda secular, hoje se dedica a fazer o seu melhor para resgatar a vida de mais pessoas através da Palavra de Deus. Apesar disso, muitas pessoas ainda acabam fazendo o serviço de qualquer jeito… E para Deus nós precisamos dar o nosso melhor. Você está entregando o seu melhor para Deus? Está dedicando o seu melhor para o seu ministério? Seja sincero com você mesmo. Muitas pessoas estão fazendo o seu trabalho de qualquer jeito… Agora imagina, se o André Valadão, Fernandinho, Gabriela Rocha, Aline Barros, Rodolfo Abrantes, e outras pessoas abençoadas fossem fazer seu serviço musical de qualquer jeito? Não teríamos músicas tão lindas e inspiradas por Deus. As vezes, percebo que muitas pessoas querem atuar com música apenas por empolgação Ou que já atuam com música em suas igrejas, mas estão adormecidos para os estudos. E precisamos ter uma melhoría contínua aprendendendo e praticando cada vez mais. Não podemos permitir que nossos Levitas fiquem adormecidos, pois eles possuem um dom para resgatar vidas e dar frutos. Como sempre gosto de recomendar as coisas de Deus que encontro, e hoje quero compartilhar os Cursos na área músical da Universalidade da Bíblia Conteúdo de capacitação na música desenvolvido exclusivamente para nós cristãos. Com Cursos de Violão para igrejas, Teclado para igrejas, utilizando métodos para aprender tocar em 30 dias! Além do Formação em Música Sacra (gospel), onde é ensinado lições sobre como atuar como um líder de louvor na igreja, muitos outros conhecimento técnico da parte teórica musical, como por exemplo, técnicas musicais, de composição, de voz, softwares de música… Este curso ainda conta com um bônus que é uma seleção de 70 músicas gospel para cantar em um Karaokê em suas festas ou momentos de confraternização com os amigos. Esses cursos recomendados, não apenas são para quem sonha em começar no louvor, mas também para todos que já atuam ou simplesmente quem quer ver o ministério de música de sua igreja crescer cada vez mais. A música tem o poder de transformar vidas. Você é responsável por resgatar muitas vidas para Deus. Vamos fazer nossa obra aqui na Terra com amor e dedicação. Leve esse ministério mais a sério e se capacite irmão. Clique abaixo e saiba mais detalhes: Use a música com mais empenho para resgatar e tocar vidas

A transposição do abismo cultural

A transposição do abismo cultural

No livro Alice no País do Espelho, Humpty Dumpty disse para Alice: “— Existem 364 dias nos quais uma pessoa pode receber um presente de in-aniversário”. Alice concordou, e ele acrescentou: “E um dia só em que possa receber presente de aniversário, não é? Logo, glória para você! “— Não sei o que quer dizer com esse ‘glória’, objetou Alice. “Humpty Dumpty sorriu. “— Está claro que não sabe, nem o saberá enquanto eu não o disser. Glória quer dizer um argumento de escachar. “— Mas ‘glória’ jamais significou isso, que eu saiba, senhor! “— Quando eu uso uma palavra, replicou Humpty com superioridade, ela significa o que eu quero que signifique — e nada mais. “— Mas a questão é se o senhor pode dar significado diferente às palavras…” Alice estava preocupada porque Humpty Dumpty tinha redefinido a palavra glória. Sua preocupação provinha do fato de que, em geral, para comunicar-se, uma pessoa não redefine palavras, dando-lhes sentidos completamente diversos dos aceitos em geral. No entanto, quando alguém explica algo diferente que disse, os ouvintes podem entender. Se lemos a declaração de Humpty Dumpty de que um aniversário significa “glória para você”, sem uma explicação, ficamos confusos. Mas, pelo contexto, no qual ele explica a frase, seu sentido fica claro. As pessoas costumam fazer isso com a Bíblia. Isolam uma palavra, uma frase ou um parágrafo e pensam que significa o que acham que significa. Não levar em consideração o contexto consiste num dos problemas mais graves na interpretação bíblica. Se desconsiderarmos o “meio envolvente” de um versículo bíblico, poderemos acabar interpretando-o de forma completamente errada. Precisamos levar em conta as frases e os parágrafos que antecedem e sucedem o versículo em questão e, ainda, considerar o contexto cultural em que aquela passagem e até mesmo o livro inteiro foram escritos. A importância desse procedimento decorre das diferenças culturais que existem entre nossa cultura ocidental e a cultura dos tempos bíblicos. “Para entender a Bíblia adequadamente, precisamos esvaziar nossas mentes de todas as ideias, opiniões e métodos modernos e procurar transportar-nos para a época e o ambiente em que viviam os apóstolos e os profetas que. a escreveram.” Quanto mais tentamos transportar-nos para o contexto histórico dos autores bíblicos e nos desvincular de nossas próprias culturas, mais cresce a probabilidade de interpretarmos as Escrituras com maior precisão. Quando os reformadores (Martinho Lutero, Philip Melanchton, João Calvino, Ulricn Zuínglio e outros) acentuaram a necessidade do retomo às Escrituras, eles ressaltaram a interpretação histórica, gramatical. Com “histórica”, estavam-se referindo ao contexto em que os livros da Bíblia foram escritos e às circunstâncias em jogo. Com “gramatical”, referiam-se à apuração do sentido dos textos bíblicos mediante estudo das palavras e das frases em seu sentido normal e claro. Pode-se somar outro aspecto da interpretação a esses dois, a saber, o retórico. A interpretação retórica sugere estudar como as características literárias de um trecho bíblico influem em sua interpretação. Conjugando as três, podemos falar de uma interpretação histórica, gramatical e retórica. Este capítulo Continue lendo

Versículos bíblicos de força espiritual

Versículos bíblicos de força espiritual

Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”.(Atos: 1.8) Introdução: Em nossa caminhada, muitas vezes, precisamos de uma força especial, de uma força que nem conhecemos. Os momentos são difíceis, as lutas imensas, mas com Deus ao nosso lado, conseguiremos lutar e vencer. E com a força que Ele nos dá, podemos enfrentar qualquer dificuldade. Para isso é necessário que tenhamos um relacionamento real com Ele. Sendo assim, relacionamos alguns versículos que tratam desse tema “força espiritual”, para nossa reflexão. Versículos de força espiritual no Antigo Testamento: Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor. (Salmos: 27.14) O Senhor é a minha força e o meu escudo, nele o meu coração confia, e dele recebo ajuda. Meu coração exulta de alegria, e com o meu cântico lhe darei graças. (Salmos: 28.7) Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois, o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar. (Josué: 1.9) Com o teu auxílio posso atacar uma tropa, com o meu Deus posso transpor muralhas. (Salmos: 18.29) Este é o Deus cujo caminho é perfeito, a palavra do Senhor é comprovadamente genuína. Ele é um escudo para todos os que nele se refugiam. (Salmos: 18.30) Ele é o Deus que me reveste de força e torna perfeito o meu caminho. (Salmos: 18.32) Versículos de força espiritual nos Evangelhos: Venham a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. (Mateus: 11.28) Versículos de força espiritual nas Cartas de Paulo: Tudo posso naquele que me fortalece. (Filipenses: 4.13) Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. (Romanos: 8.28) Minha mensagem e minha pregação não consistiram de palavras persuasivas de sabedoria, mas consistiram de demonstração do poder do Espírito. (1 Coríntios: 2.4) Para que a fé que vocês têm não se baseasse na sabedoria humana, mas no poder de Deus. (1 Coríntios: 2.5) Não que possamos reivindicar qualquer coisa com base em nossos próprios méritos, mas a nossa capacidade vem de Deus. (2 Coríntios: 3.5) Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio. (2 Timóteo: 1.7) Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, (Efésios: 3.16) Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. (Efésios: 6.10) Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus. (Filipenses: 1.6) Versículos sobre o tema em Atos dos Apóstolos: Vendo a coragem de Pedro e de João, e percebendo que eram homens comuns e sem instrução, ficaram admirados e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. (Atos: 4.13)

A salvação na Antiga Aliança

A salvação na Antiga Aliança

Desde o Gênesis até o Apocalipse, Deus deixa bem claro que ninguém se salva por obras próprias, mas apenas pela fé nas promessas divinas. Só no  Éden a salvação foi apresentada com base na obediência, com a advertência acompanhada da pena de morte para a transgressão da ordem de Deus: “Mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá” (Gn 2.17). Em Gênesis 3, essa determinação foi quebrada tanto por Adão quanto por Eva, por causa da tentação e do engano de Satanás; e o Senhor lhes confirmou a sentença de morte, ao afirmar: “Você é pó, e ao pó voltará” (Gn 3.19). A partir desse dia, nenhum ser humano salvou-se pela obediência — exceto a raça dos redimidos, os quais são resgatados pela fé na expiação de Cristo, cujo ato de obediência pagou o preço de nossa salvação. É verdade que em ambos os Testamentos existe uma grande ênfase na obediência. Em Êxodo 19.5, assim prometeu Deus a Israel: “Agora, se me obedecerem fielmente e guardarem a minha aliança, vocês serão o meu tesouro pessoal dentre todas as nações”. Entretanto, de modo algum essa passagem sugere um caminho alternativo para o céu, além da trilha da fé; ao contrário, essa promessa foi dada a um grupo de crentes que já se havia arrependido do pecado e entregue seu coração ao Senhor pela fé. A obediência era apenas uma evidência necessária do fruto da fé. Não é a maçã que faz da árvore de que surgiu uma macieira; é esta que faz seu fruto ser uma maçã. Disse Jesus: “Vocês os reconhecerão por seus frutos” (Mt 7.16); em outras palavras, as uvas vêm da vinha, não dos espinheiros; os figos das figueiras, e não dos pés de urtiga. A obediência é a consequência natural e necessária da fé, mas nunca é apresentada como substituta desta em parte alguma das Escrituras. Devemos observar que, logo de início, Adão e Eva ensinaram a seus filhos a necessidade de fazer holocaustos perante o Senhor pelos pecados que tivessem cometido. Assim foi que Abel apresentou um sacrifício aceitável em seu altar — um ato de fé que tipicamente representou por prenuncio a expiação que seria feita mais tarde no Calvário. Hebreus 11.4 esclarece: “Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim […]. Embora esteja morto, por meio da fé ainda fala”. Gênesis 15.6 registra que, quando Abraão creu em Deus, o Senhor lhe imputou a fé por justiça. Romanos 4.13 diz-nos que “Não foi mediante a Lei que Abraão e a sua descendência receberam a promessa de que ele seria herdeiro do mundo, mas mediante a justiça que vem da fé”. Quanto à geração de Moisés, a quem a promessa de Êxodo 19.5 fora feita, de modo algum poderia haver qualquer mal-entendido concernente ao princípio da salvação mediante a fé e nada mais. Do capítulo que contém os Dez Mandamentos vem-nos a primeira de várias referências ao Continue lendo

Versículos bíblicos de ânimo

Versículos bíblicos de ânimo

E assim com confiança ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei O que me possa fazer o homem.(Hebreus: 13.6) Introdução: Muitas vezes nos sentimos completamente sós, cheios de problemas e sem nenhuma perspectiva. Nesses momentos, é muito comum acharmos que Deus nos abandonou. Porém, no fundo, sabemos que isso jamais acontecerá, simplesmente porque Ele é fiel. E podemos atestar a sua fidelidade nas diversas promessas que a Sua Palavra contém. Sendo assim, relacionamos alguns versículos que tratam desse assunto, “ânimo”, para mostrar que não estamos sozinhos. Versículos de ânimo no Antigo Testamento: E você, filho do homem, não tenha medo dessa gente nem das suas palavras. Não tenha medo, ainda que o cerquem espinheiros, e você viva entre escorpiões. Não tenha medo do que disserem, nem fique apavorado ao vê-los, embora sejam uma nação rebelde. (Ezequiel: 2.6) Todavia, lembro-me também do que pode dar-me esperança: (Lamentações: 3.21) Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. (Lamentações: 3.22) Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo, diz o Senhor. (Jeremias: 1.8) Não foram as minhas mãos que fizeram todas essas coisas, e por isso vieram a existir? Pergunta o Senhor. A este eu estimo: ao humilde e contrito de espírito, que treme diante da minha palavra. (Isaías: 66.2) Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que nele esperam. (Isaías: 64.4) O Senhor o guiará constantemente, satisfará os seus desejos numa terra ressequida pelo sol e fortalecerá os seus ossos. Você será como um jardim bem regado, como uma fonte cujas águas nunca faltam. (Isaías: 58.11) Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se pode abalar, mas permanece para sempre. (Salmos: 125.1) Como os montes cercam Jerusalém, assim o Senhor protege o seu povo, desde agora e para sempre. (Salmos: 125.2) Mais versículos de ânimo no Antigo Testamento: Na sua aflição clamaram ao Senhor, e ele os livrou da tribulação em que se encontravam (Salmos: 107.6) E os conduziu por caminho seguro a uma cidade habitada. (Salmos: 107.7) Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam. (Salmos: 9.10) Quando você atravessar as águas eu estarei com você e, quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. Quando você andar através do fogo, você não se queimará, as chamas não o deixarão em brasas. (Isaías: 43.2) Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, que o segura pela mão direita e lhe diz: Não tema, eu o ajudarei. (Isaías: 41.13) Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar. (Josué: 1.9) “Ouça, ó Israel. Hoje vocês vão lutar contra os inimigos. Não desanimem nem tenham medo, não fiquem apavorados, nem aterrorizados por causa deles. (Deuteronômio: 20.3) Continue lendo

Chegou a hora de Você se Livrar da Pornografia

Chegou a hora de Você se Livrar da Pornografia

Você Deseja vencer a pornografia e parar de se masturbar? Você lembra o quanto era feliz antes de ficar viciado na pornografia? Pois bem, a pornografia nos aprisiona, com correntes, onde sozinhos não conseguimos sair dessa prisão. Ela nos traz medo, culpa e vergonha e tira nos a santidade que Deus espera da gente. Por isso, quero te encorajar a sair dessa prisão que tantas vezes você tentou sair sozinho e não conseguiu. Queremos te ajudar ter de volta a liberdade tão sonhada por você! Venha conosco que juntos somos mais fortes para você ter a sua liberdade em Cristo Jesus. Conheça o CURSO LIBERTOS DE UMA PRISÃO INVISÍVEL » Mais Detalhes Aqui « Público Alvo do Curso: Pessoas que tem o vício em pornografia.Pais que desejam orientar seus filhos.Pastores/líderes que recebem pedido de ajuda.Esposas/maridos cujo cônjuge precisa de ajuda.Todas as pessoas que queiram ajudar alguém que tem o vício em pornografia Ao Terminar o Curso Você Poderá: Retomar a sua santidade com Deus.Retomar um verdadeiro relacionamento com Deus e com seu cônjuge.Ficar Livre da PornografiaRetomar A Sua VidaAumentar Sua Auto EstimaUma Vida Totalmente Saudável.Aconselhar Pessoas com Problemas de Pornografia Clique no Botão abaixo para todos os detalhes do Curso:

Os patriarcas

Os patriarcas

Lendas vivas ou vidas lendárias? A arqueologia tem lançado luz considerável sobre a história dos Patriarcas em Gênesis: Abraão, Isaque e Jacó. Não que quaisquer registros destes homens possam ter sido jamais encontrados fora da Bíblia, mas o véu que anteriormente escondia seus tempos foi levantado. Como resultado, sabemos agora mais sobre o tipo de pessoas que eles eram, de onde eles vieram, como viviam, o que criam, onde e como eles devem ser encaixados na história das grandes nações dos tempos antigos além dos posteriores israelitas em si mesmos. —G. Ernest Wright A única história conhecida pelos israelitas durante sua escravidão no Egito era aquela transmitida para eles por seus ancestrais — os patriarcas (“pais que governam”). Era uma história de aliança e promessa entre Deus e seus pais, que dava ao povo de Israel esperança mesmo no meio da opressão. Por esta razão, quando Deus agiu para libertar o seu povo dos egípcios, Ele escolheu identificar-se com os patriarcas — como “O Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó” (Êx 3.6,15,16; 4.5; Lc 20.37,38). Através disso, eles deveriam ter a certeza de sua libertação, pois Deus havia feito uma aliança com os patriarcas, que Ele havia jurado cumprir (Êx 6.3-8). De fato, a prática da circuncisão, que ainda é realizada nos meninos judeus hoje, testifica para a comunidade judaica uma contínua identificação com os patriarcas bíblicos que viveram 4.000 anos atrás. Os patriarcas continuam sendo o pilar central da autodefinição judaica, e a aliança patriarcal continua sendo a base histórica para o direito de Israel à sua terra antiga. Menosprezando os patriarcas Pode parecer um estranho ato de negar a si mesmos quando muitos críticos eruditos judeus se juntam aos seus colegas gentios na crença de que os relatos bíblicos dos patriarcas não são históricos. Posso lembrar bem da primeira vez que tomei conhecimento disso. Eu havia completado meus estudos no Dallas Theological Seminary e era um estudante graduado na Universidade Hebraica de Jerusalém. No Dallas Seminary, as narrativas patriarcais eram ensinadas como história verdadeira, e presumi que fosse do mesmo jeito nesta respeitável instituição acadêmica israelita. Todavia, em meu primeiro dia num curso sobre a história antiga de Israel, o professor, que era um dos mais renomados arqueólogos israelitas, declarou com absoluta convicção: “Abraão nunca existiu, mas seus primos, sim!” O professor continuou explicando que as histórias bíblicas sobre Abraão, Isaque e Jacó eram simplesmente contos do campo que haviam sido passados através dos séculos e que tinham virado lendas (ele usou a palavra saga). Ele disse que os patriarcas foram apenas uma projeção retroativa criada pelos judeus nacionalistas em meados do primeiro milênio (600-400 a.C.). Estes nacionalistas estavam procurando criar um passado glorioso, ainda que não histórico. Para apoiar seu ponto de vista, ele declarou que a evidência arqueológica não sustentava a existência do período patriarcal. Arqueologia à parte, lembro me de destacar, com minha timidez jovem, que tal visão para os israelitas, cujos reclames territoriais repousavam em parte sobre a Continue lendo