Panorama Bíblico

Panorama Bíblico

Ao lermos a Bíblia nos deparamos com milhares de termos e expressões de época que torna o texto por vezes indecifrável, isto se deve ao fato de que a Bíblia foi escrita a dezenas de séculos atrás, em uma sociedade de hábitos peculiares, ou seja, próprios da época e dos costumes desse tempo. Entre o homem moderno e os escritos bíblicos existem diversos abismos: culturais, geográficos, sociais, tecnológicos, religiosos, econômicos, etc. Ignorar que o conhecimento dos contextos dos tempos bíblicos (a este contexto chamamos de Panorama) é uma necessidade faz com que muitas pessoas obtenham a pior interpretação possível de suas leituras bíblicas. Mesmo vivendo na mesma época é bem provável que pessoas de diferentes regiões do mundo não se entendam mesmo falando a mesma língua, pois as expressões que usam são diferentes; neste caso existem bem menos abismos entre estas duas pessoas do que entre um escritor bíblico e nós. Um missionário quando vai a campo já sabe antecipadamente que sofrerá um choque cultural e terá um tempo de adaptação na nova cultura em que vive, terá de compreendê-la para fazer com que aquelas pessoas compreendam o evangelho. Imagine você conversando  com um cidadão inglês, você diz a ele que vai “tomar o ônibus”, então ele responde “como  pode? Em um ônibus caber muito líquido”, ele entendeu que você iria beber (tomar) um ônibus; então ele lhe pergunta “você quer dizer que vai ter um ônibus” e você responde “não  eu não vou comprar um”. A confusão aconteceu porque o brasileiro diz que vai tomar um ônibus já o americano diz “I will have a bus“, ou seja, eu vou ter um ônibus.  Aqui está o porquê desta Disciplina, ela lhe dará conhecimento sobre os contextos sociais, econômicos, culturais, tecnológicos, religiosos, etc. que você necessitará ter para compreender muitas coisas ao ler a Bíblia. Se às vezes é difícil conversar com um  vizinho que veio de outra região do mesmo país por que você não conhece a sua sociedade, imagine então que para compreender muitas coisas escritas há dezenas de séculos atrás é realmente necessário um estudo das sociedades dos tempos bíblicos. Para se realizar este estudo é necessário ter a mente aberta para poder compreender a mente de outras pessoas que viveram na antiguidade, muita pesquisa, assim como também é necessário saber de antemão que nunca se obterá um sucesso absoluto neste tipo de pesquisa. Esta disciplina, de certo modo lhe introduzirá em meio a tais sociedades, após cumprir esta disciplina você poderá ler a Bíblia quase como uma pessoa da época, e isto é de suma importância, pois você deve primeiramente compreender o que o texto  bíblico dizia ao homem na época, para depois poder compreenderam o que ele diz para o homem contemporâneo. Como exemplo veja um estudo sobre a sétima igreja de Apocalipse que é Laodicéia e para que as pessoas compreendam o conteúdo desta sétima carta tivemos que fazer um estudo dos contextos da região na época para que todos possam dessa maneira compreender Continue lendo

Versículos bíblicos sobre família

Versículos bíblicos sobre família

Deus criou a primeira família, pois essa é sua vontade, esse é o padrão estabelecido. (A família é uma instituição divina, ela é a base da vida social). Em torno dessa instituição, no sentido mais amplo, rodeiam formas de organização coletiva e social, direitos e deveres, referências para os nossos relacionamentos. De todo o relato da criação detalhado no livro de Gênesis algo é mencionado por Deus que não é Bom. “Não é bom que o homem viva só.” Este texto da criação em Gênesis nos mostra o primeiro objetivo de Deus ao criar a família e fica evidente que a célula mater da sociedade foi criada a partir da necessidade humana de ter companhia. O propósito divino era estabelecer uma instituição que pudesse propiciar ao ser humano abrigo e relacionamento (mas porque as coisas estão diferentes dentro das famílias, porque em muitos lares as famílias não são mais ambientes de abrigo e relacionamento, porque será que muitas pessoas crescem sem essas referências?) Atualmente temos visto e vivido um tempo de escassez na área dos relacionamentos, estamos ficando cada vez mais superficiais, frios e distantes uns dos outros. Nosso intuito é abordar alguns versículos bíblicos que falam sobre a família. Gênesis 1:28 Deus os abençoou e lhes disse: ‘Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra. Gênesis 2:24 Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne. Êxodo 20:12 Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá. Salmos 127:3-5 Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá. Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem que tem a sua aljava cheia deles! Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal. Provérbios 11:29 Quem causa problemas à sua família herdará somente vento; o insensato será servo do sábio. Provérbios 15:27 O avarento põe sua família em apuros, mas quem repudia o suborno viverá. Eclesiastes 9:9 Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol. Marcos 10:6-9 Mas no princípio da criação Deus ‘os fez homem e mulher’. ‘Por esta razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’. Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe. Efésios 5:33 Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a você mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. Efésios 6:1-2 Filhos, obedeçam a Continue lendo

A arqueologia descobriu o lugar da Arca?

A arqueologia descobriu o lugar da Arca?

Desde o cativeiro babilônico, há 2.500 anos, a localização exata da arca tem permanecido desconhecida. Embora persistam rumores de que a Arca da Aliança foi encontrada aqui ou ali, nenhuma evidência arqueológica foi apresentada para substanciar quaisquer dessas reivindicações. Contudo, hoje podemos fazer uma ideia de onde a arca ficava dentro do antigo Santo dos Santos. É possível deduzirmos o local do edifício do Templo e seu Santo dos Santos, então é possível localizarmos onde a arca foi colocada dentro desta estrutura. De acordo com fontes antigas, como Josefo e o tratado da Mishná, chamado Middot, a arca repousava numa plataforma de rocha firme. Na tradição judaica, esta plataforma era chamada de ‘Even HaShetiyah (“a Pedra Fundamental”), e em árabe es-Sakhra (“a Pedra”). Segundo pesquisas feitas por Leen Ritmeyer, ex-arquiteto principal das escavações realizadas no monte do Templo e hoje diretor da Ritmeyer Archaeological Design na Inglaterra, a enorme pedra dentro do atual Domo da Rocha muçulmano tem de ser a plataforma de rocha firme dentro do Santo dos Santos. Ritmeyer explica como chegou a esta conclusão: Custou-me 20 anos para entender. Estava convicto de que o Templo devia ter estado aqui em algum lugar. Comecei examinando as dimensões da rocha e as medidas do interior do Templo. Sabemos que as medidas do interior do Templo eram de 20 côvados de largura. O [Lugar] Santo tinha 40 côvados de comprimento e o Santo dos Santos era 20 por 20 côvados. Se usarmos a medida das dimensões de 500 côvados da Mishná, o Santo dos Santos terá cerca de10,4 metros. Comparando isso com o tamanho da rocha, a rocha é maior do que o Santo dos Santos. Contudo, a Mishná [Yoma 5.2] diz que esta pedra é chamada de ‘Even Ha-Shetiyah, “a Pedra Fundamental”. Por que a chamariam de Pedra Fundamental? Porque se o Santo dos Santos fosse menor do que a rocha, então a rocha teria servido como fundação para, pelo menos, um dos Templos. Com essa informação em mente, comecei a examinar mais de perto arocha à procura de uma fundação.” O exame que Ritmeyer fez da rocha começou primeiro eliminando os sinais exploratórios que os cruzados deixaram na rocha, a qual em 1099 d.C. fora conquistada dos muçulmanos e convertida numa igreja cristã chamada Templum Domini (“Templo do Senhor”). Cortes existentes nos lados norte, sul e oeste da rocha foram atribuídos por ele às ações desses expedicionários. Os cruzados tinham a opinião de que a pedra desfigurara o Templo do Senhor e por isso a moldaram na forma que julgavam ser um tamanho mais aceitável. Em seguida construíram um altar no cimo da rocha. Em 1187, quando o califa Saladin recapturou para os muçulmanos o Domo da Rocha, encontraram a rocha coberta de lajes de mármore. Ao removerem as lajes, descobriram que a rocha havia sido mutilada. Esta mutilação incluía o alargamento de uma caverna e a abertura de alguns túneis profundos cavados sob a rocha, o que pode indicar que os cruzados estavam tentando localizar o esconderijo Continue lendo

Versículos bíblicos sobre amor

Versículos bíblicos sobre amor

O amor não simplesmente um sentimento que devemos amar quando sentirmos algo por alguém. A bíblia menciona o Amor como Dom, Mandamento e como uma parte do fruto do Espírito. O amor é fundamental no cristianismo. O próprio Deus revelou o significado de Amor na pessoa de Seu Filho Jesus Cristo. Ele é a exata expressão e significado de amor. O amor vem de Deus e assim como nos amou devemos amar o próximo de modo incondicional, pois ele é a característica mais elevada da vida cristã e deve nortear todos os relacionamentos da sua vida. Esse amor direciona a uma vida de consagração e confiança em Deus, isso inclui a compaixão pelos inimigos e o desejo de ajudar os necessitados. 1 Coríntios 13:4-7 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Colossenses 3:14 E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. 1 João 4:8 Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 1 Coríntios 13:13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. 1 João 4:7 Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 1 Pedro 4:8 Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados. Provérbios 10:12 O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados. 1 João 4:19-20 Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? Mateus 22:37-39 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Marcos 12:30-31  Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. Mateus 5:44 Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; 1 João 5:3 Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; Continue lendo

A conduta de Jacó e Raquel em Gênesis 31

A conduta de Jacó e Raquel em Gênesis 31

Na verdade, a evidência de que Deus abençoou a “mentira de Raquel” é improvável. Certamente, Raquel não viveu muito tempo depois desse episódio em Gileade, pois morreu ao dar à luz seu segundo filho, Benjamim (Gn 35.16-19). Isso significa que ela tivera mais uns poucos anos de vida depois de haver roubado (inutilmente, sem um propósito definido) os ídolos da casa de seu pai — os quais com certeza acabaram enterrados debaixo do carvalho, perto de Siquém, juntamente com os da própria casa de Jacó (v. 4). No que concerne à “conduta de Jacó”, Deus continuou a abençoá-lo, a despeito de seu procedimento ardiloso, porque o Senhor viu nele os traços de um verdadeiro homem de fé. Foi só pela misericórdia divina que Jacó pôde vencer a ira oriunda dos enganos que seu sogro Labão praticou contra ele, ao atirar-lhe a filha mais velha, em vez de dar-lhe Raquel, a quem ele amava, como esposa (provavelmente ao embebedá lo de tal modo que Jacó foi para a cama sem conseguir distinguir uma mulher da outra). Depois de quatorze anos, Labão ainda conservava seu genro sem lhe pagar um centavo, mas celebrou um acordo sobre salários, mediante o qual esperava explorar Jacó e mantê-lo para sempre na pobreza. Ele só permaneceria com Labão durante os seis ou sete anos seguintes. Por isso, disse a seu sogro, no encontro em Gileade: “Foi assim nos vinte anos em que fiquei em sua casa.  Trabalhei para você catorze anos em troca de suas duas filhas e seis anos por seus rebanhos, e dez vezes você alterou o meu salário. Se o Deus de meu pai, o Deus de Abraão, o Temor de Isaque, não estivesse comigo, certamente você me despediria de mãos vazias” (Gn 31.41, 42). Jacó não estava simplesmente expressando seu ponto de vista. Gênesis 31.12 registra a declaração do anjo de Deus: “… tenho visto tudo o que Labão lhe fez”. Torna-se claro quando lemos os versículos seguintes que o método usado por Jacó — galhos de duas cores, descascados — a fim de induzir o nascimento de ovelhas malhadas, foi um artifício planejado e utilizado por Deus a fim de prover justiça nas negociações dos dois homens. É verdade, pois, que nesse caso o espertalhão, Labão, saiu perdendo, pelas manobras de Jacó que, por fim, aprendeu a superar o sogro. Só assim poderia acumular riquezas e mudar-se para sua terra natal, a terra de seus pais, saindo de Padã-Arã para reinstalar-se na Palestina. A queixa de Labão de que Jacó agira mal ao deixar de contar-lhe que planejava ir-se embora, negando-lhe a oportunidade de oferecer ao genro e às filhas um banquete de despedida, dificilmente expressava suas verdadeiras pretensões. Ele alegou em voz alta que sempre tivera a melhor das intenções para com todos e que lhes teria propiciado uma despedida condigna, real, mas nenhum indício existe de que Labão agiria dessa forma. Ao contrário, o filho de Isaque tinha boas razões para ter medo do sogro e manter sua partida Continue lendo

Versículos para Obreiros

Versículos para Obreiros

Os obreiros são servos voluntários na obra de Deus, que prestam um serviço eclesiástico na casa do Senhor com amor, dedicação e gratidão a Deus. No AT (Antigo Testamento), o serviço no Tabernáculo e posterior no Templo do Senhor estava reservado somente a tribo de Levi, na Igreja de Jesus todos estão aptos ao serviço eclesiástico.O obreiro antes de tudo é um servo que ajuda no andamento do culto, servindo da melhor forma para que a palavra de Deus seja pregada e a igreja cuidada com zelo.Para ser um obreiro na casa de Deus, é primordial maturidade espiritual e vocação para lidar com as pessoas, e ter um espírito manso, que aceita o conselho e a correção. Nós devemos servir a Deus, pois antes de tudo Ele nos serviu primeiro! 2 Timóteo 2:15 Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade. 1 Timóteo 3:2-4 É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, moderado, sensato, respeitável, hospitaleiro e apto para ensinar; não deve ser apegado ao vinho nem violento, mas sim amável, pacífico e não apegado ao dinheiro. Ele deve governar bem sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Tito 1:6-9 É preciso que o presbítero seja irrepreensível, marido de uma só mulher e tenha filhos crentes que não sejam acusados de libertinagem ou de insubmissão. Por ser encarregado da obra de Deus, é necessário que o bispo seja irrepreensível: não orgulhoso, não briguento, não apegado ao vinho, não violento, nem ávido por lucro desonesto. Ao contrário, é preciso que ele seja hospitaleiro, amigo do bem, sensato, justo, consagrado, tenha domínio próprio e apegue-se firmemente à mensagem fiel, da maneira pela qual foi ensinada, para que seja capaz de encorajar outros pela sã doutrina e de refutar os que se opõem a ela. 1 Pedro 5:1-2 Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês e o faço na qualidade de presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo como alguém que participará da glória a ser revelada: pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. Atos dos Apóstolos 20:28 Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os designou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue. 1 Timóteo 5:17 Os presbíteros que lideram bem a igreja são dignos de dupla honra, especialmente aqueles cujo trabalho é a pregação e o ensino, 1 Pedro 4:10 Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas. Hebreus 13:17 Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja Continue lendo

Rostos na Multidão por Max Lucado

Rostos na Multidão por Max Lucado

I Dois tipos de pessoas foram tocados pela cruz: os tocados deliberadamente e os tocados por acaso. Entre estes últimos, são contadas histórias impressionantes. A de Malco, por exemplo. Um servo do sumo sacerdote, ele estava trabalhando no Jardim. Todavia, essa busca de rotina teria sido a sua última se não tivesse sido rápido em desviar-se. As tochas iluminaram apenas o suficiente para que visse o brilhar da espada e Malco inclinou-se para trás o bastante para salvar seu pescoço, mas não a sua orelha. Pedro foi censurado e Malco recebeu um toque que o curou. Assim o incidente passou à história. História, isto é, para todos, menos Malco. Se não fosse pela mancha de sangue em seu manto, ele poderia ter acordado na manhã seguinte falando sobre um sonho maluco que tivera. Alguns acreditam que Malco fez parte mais tarde dos crentes de Jerusalém. Não sabemos ao certo. Mas temos certeza de uma coisa: a partir daquela noite, sempre que Malco ouvia as pessoas falarem do carpinteiro que ressuscitou dentre os mortos, ele não zombava. De jeito algum; ele tocava no lobo da orelha e sabia que isso era bem possível. II Aconteceu depressa demais. Num minuto Barrabás estava na cela da morte, com os pés batendo na parede, e no seguinte foi solto; piscando os olhos por causa do sol brilhante. “Você está livre.” Barrabás coçou a barba. “O quê?” “Você está livre. Eles ficaram com o Nazareno em seu lugar.” Barrabás tem sido muitas vezes comparado com a humanidade e isso é certo. De muitas maneiras ele nos representa: um prisioneiro libertado porque alguém que jamais vira tomou o seu lugar. Penso porém que Barrabás era provavelmente mais esperto que nós em um aspecto. Quanto sabemos, ele aceitou sua repentina liberdade pelo que era, um presente não merecido. Alguém lhe atirou um salva-vidas e ele agarrou-o, sem perguntas. Não é possível imaginá-lo usando alguns de nossos truques. Nós recebemos nosso presente gratuito e tentamos ganhá-lo, diagnosticá-lo, ou pagar por ele, em vez de dizer simplesmente “obrigado” e aceitá-lo. Por mais irônico que pareça, uma das coisas mais difíceis é ser salvo pela graça. Há alguma coisa em nós que reage negativamente ao dom gracioso de Deus. Temos uma compulsão estranha que nos leva a criar leis, sistemas, regulamentos, para nos tornar “dignos” de nosso dom. Por que agimos assim? A única razão em que posso pensar é o orgulho. Aceitar a graça significa aceitar a sua necessidade e a maioria das pessoas não gosta disso. Aceitar a graça também significa que o indivíduo compreende o seu desespero e quase ninguém aprecia isso também. Barrabás, porém, foi mais sabido. Perdido para sempre na cela da morte, ele não recuou ao ver-se libertado. Ele talvez não compreendesse a misericórdia e certamente não a merecia, mas não a recusou. Devemos procurar entender que nossa dificuldade não é muito diferente da de Barrabás. Nós também somos prisioneiros sem possibilidade de apelação. Mas porque alguns preferem continuar presos quando a porta da Continue lendo

Versículos bíblicos sobre mulheres

Versículos bíblicos sobre mulheres

Versículos para mulheres que podemos encontrar na Palavra. Estes versículos, além de fazerem refletir sobre as verdades bíblicas sobre as mulheres, também podem ser usados para montar uma ministração, uma aula ou estudar sobre o assunto. 1 Timóteo 3:11 Da mesma sorte as mulheres sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo. Provérbios 31:30 Enganosa é a graça, e vaidade, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada. Efésios 5:33 Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido. 1 Coríntios 11:15 Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu. Provérbios 31:10-31 Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de rubins. O coração do seu marido está nela confiado, e a ela nenhuma fazenda faltará. Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida. Busca lã e linho e trabalha de boa vontade com as suas mãos. É como o navio mercante: de longe traz o seu pão. Ainda de noite, se levanta e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas. Examina uma herdade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos. Cinge os lombos de força e fortalece os braços. Prova e vê que é boa sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite. Estende as mãos ao fuso, e as palmas das suas mãos pegam na roca. Abre a mão ao aflito; e ao necessitado estende as mãos. Não temerá, por causa da neve, porque toda a sua casa anda forrada de roupa dobrada. Faz para si tapeçaria; de linho fino e de púrpura é a sua veste. Conhece-se o seu marido nas portas, quando se assenta com os anciãos da terra. Faz panos de linho fino, e vende-os, e dá cintas aos mercadores. A força e a glória são as suas vestes, e ri-se do dia futuro. Abre a boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua. Olha pelo governo de sua casa e não come o pão da preguiça. Levantam-se seus filhos, e chamam-na bem-aventurada; como também seu marido, que a louva, dizendo: Muitas filhas agiram virtuosamente, mas tu a todas és superior. Enganosa é a graça, e vaidade, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e louvem-na nas portas as suas obras. Salmos 128:3 A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa. Gênesis 2:22 E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão. Provérbios 5:18-20 Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, como cerva amorosa e gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído Continue lendo

Significados das palavras semelhantes e opostas

Significados das palavras semelhantes e opostas

Perceber a diferença entre uma palavra e seus sinônimos pode ajudar a reduzir o número de significados possíveis. É importante não atribuir à determinada palavra o sentido de seus sinônimos, mas sim procurar descobrir como as palavras apresentam variações de sentido. As vezes essas variações não são claras, pois os sinônimos podem ter sentido praticamente idêntico. Em Romanos 14.13, contudo, Paulo fala de “tropeço ’ ’ e “escândalo” . Escândalo (skandalon, em grego) significa um tipo de ofensa grave, algo que prejudique seriamente outra pessoa. Já tropeço (proskomma) significa uma ofensa leve, algo que incomoda outra pessoa. Evidentemente, Paulo estava dizendo que não queria prejudicar outro crente, nem séria, nem ligeiramente. Em Colossenses 2.22, preceitos sugere as leis que devem ser obedecidas e doutrinas, as verdades nas quais se deve crer. Perceber como uma palavra difere de seu sinônimo ou antônimo pode ajudar a esclarecer seu significado. Em Romanos 8.4-9, a palavra “carne” diz respeito ao corpo físico (em contraste com o espírito humano) ou à natureza pecaminosa (em contraste com o Espírito Santo)? A resposta está na comparação entre “carne” e “espírito” . Os versículos 6, 9 e 11 dão a entender que “espírito” significa o Espírito Santo, não o espírito humano. Portanto, nos versículos de 4 a 9, o sentido de “carne” provavelmente é o de natureza pecaminosa. Em 6.23, “morte” quer dizer morte espiritual, não morte natural, pois contrasta com vida eterna. O exame do contexto é extremamente importante por três razões. Em primeiro lugar, as palavras, as locuções e as frases podem assumir sentidos múltiplos, como já vimos, e o estudo de seu emprego em determinado contexto pode auxiliar-nos a descobrir qual dentre vários significados é o mais provável. Em segundo lugar, os pensamentos normalmente são expressos por uma sequência de palavras ou de frases, ou seja, por elementos associados, não isolados. “O sentido de qualquer termo específico quase sempre é determinado pelos elementos que o precedem e sucedem.”  Em terceiro lugar, desconsiderar o contexto normalmente acarreta interpretações falsas. Os missionários gostam de usar Salmos 2.8 — “pede-me, e eu te darei as nações por herança, e as extremidades da terra por tua possessão” — para ilustrar sua expectativa de conversões nos campos das missões. Entretanto, o versículo anterior deixa claro que se trata de Deus Pai falando a Deus Filho. A interpretação bíblica deve levar em consideração vários tipos de contexto. Em primeiro lugar, há o contexto inicial, Os contextos de passagens paralelas e Outro contexto a ser considerado é a Bíblia como um todo. Fonte: A interpretação Bíblica – Meios de descobrir a verdade da Bíblia.Roy B. Zuck Tradução de Cesar de E A. Bueno Vieira edições vida nova. Pags:  122- 123 Aprenda mais sobre as ferramentas importantes na interpretação e elucidação das Escrituras. CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM  HERMENÊUTICA E EXEGESE! Que você possa aprimorar essas duas técnicas, e aplicá-las na busca do conhecimento da Palavra, como diz em João 5.39, “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são Continue lendo

Versículos bíblicos sobre jovens

Versículos bíblicos sobre jovens

Sabemos que a bíblia sagrada foi escrita para edificar uma vida feliz para o homem, e se os jovens souberem como cultivar colheram felicidade. Todo jovem cristão ou não pode usufruir dessa felicidade, e ter sucesso financeiro, espiritual e emocional e cultivar saúde em suas relações sociais. É essencial que os jovens saibam detalhes sobre as promessas Divinas que lhes darão ânimo, motivação e sabedoria em suas escolhas. “Lembre-se do seu Criador nos dias da sua juventude, antes que venham os dias difíceis e se aproximem os anos em que você dirá: “Não tenho satisfação neles”. Eclesiastes 12:1 “Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam”. Isaías 40:30-31 “Melhor é um jovem pobre e sábio, do que um rei idoso e tolo, que já não aceita repre­ensão”. Eclesiastes 4:13 “E, depois disso, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os velhos terão sonhos, os jovens terão visões. Até sobre os servos e as servas derramarei do meu Espírito naqueles dias”. Joel 2:28-29 Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, com aqueles que, de coração puro, invocam o Senhor. 2 Timóteo 2:22 “Pois tu és a minha esperança, ó Soberano Senhor, em ti está a minha confiança desde a juventude”. Salmos 71:5 “A beleza dos jovens está na sua força; a glória dos idosos, nos seus cabelos brancos”. Provérbios 20:29 “Filhinhos, eu escrevi a vocês porque conhecem o Pai. Pais, eu escrevi a vocês porque conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu escrevi a vocês, porque são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece, e vocês venceram o Maligno”. 1 João 2:14 Desde a minha juventude, ó Deus, tens me ensinado, e até hoje eu anuncio as tuas maravilhas. Salmos 71:17 “Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra”. Salmos 119:9 Não te lembres dos pecados e transgressões da minha juventude; conforme a tua misericórdia, lembra-te de mim, pois tu, Senhor, és bom. Salmos 25:7 “Alegre-se, jovem, na sua mocidade! Seja feliz no seu coração nos dias da sua juventude! Siga por onde seu coração mandar, até onde a sua vista alcançar; mas saiba que por todas essas coisas Deus o trará a julgamento”. Eclesiastes 11:9 “Depois compare a nossa aparência com a dos jovens que comem a comida do rei, e trate os seus servos de acordo com o que você concluir”. Daniel 1:13 “Mas eu disse: Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem. O Senhor, porém, me disse: “Não diga que é muito jovem. A todos a quem eu o enviar, você irá e dirá tudo o que eu ordenar a você. Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo”, Continue lendo

O local do Templo no monte do Templo

O local do Templo no monte do Templo

Uma plataforma de 25 acres que hoje domina o monte do Templo não passou por nenhuma perturbação substancial desde a última destruição do Templo, e os arqueólogos concordam que Templos antigos outrora ocuparam um lugar nesta plataforma. Mas a pergunta é: Onde? Pela razão de estar proibida a investigação arqueológica nesta área, só deduções podem ser feitas com base em escavações próximas à região e relatórios de escavações ocorridas no monte no século passado. No decorrer dos anos, várias teorias foram compostas. Asher Kaufman, físico da Universidade Hebraica de Jerusalém, oferece uma teoria que goza de popularidade. Baseado em sua leitura de um tratado da Mishná chamado Middot (“medidas”) e mediante computações físicas, ele posiciona o Templo no canto noroeste da plataforma atual, cerca de 100 metros do Domo da Rocha dos muçulmanos. Sua teoria da localização do Templo está baseada no alinhamento da Porta Oriental com a entrada para o Templo propriamente dito, uma suposta porção do Muro Oriental do Templo (descoberta em 1970 por Ze’ev Yeivin) e cortes para fundação que parecem se alinhar com o local atual de uma cúpula muçulmana conhecida como “Domo dos Tabletes ou Espíritos”. Problemas com esta posição são a presença de um antigo fosso seco (aterrado pelos romanos em 68 d.C.), imediatamente ao norte, e o antigo vale Beth Zet nordeste. Estas características geográficas teriam limitado a construção do Templo a este ponto do norte. Além disso, não há evidência alguma de que a Porta Oriental do Templo estivesse em alinhamento direto com a entrada do Templo, nem a atual Porta de Ouro é a localização correta da antiga Porta Oriental. Outra teoria na direção oposta é a do arquiteto Tuvia Sagiv, de Tel Aviv. De acordo com características arquitetônicas e exames com raios infravermelhos, ele argumenta que o Templo foi construído onde hoje se situa a mesquita muçulmana de Al-Aqsa, com seu Santo dos Santos no lugar da fonte de al-Kas. Entretanto, entre os arqueólogos israelitas, a conformidade de opiniões sobre a localização do Templo favorece o local tradicional, imediatamente a oeste e no centro da plataforma no lugar atual do Domo da Rocha. Evidências arqueológicas para esta localização foram primeiramente apresentadas por Benjamim Mazar, diretor das escavações do monte do Templo, com a ajuda de Leen Ritmeyer, que por 18 anos trabalhou nas escavações como arquiteto principal. Ritmeyer, que hoje dirige sua própria companhia de projetos arqueológicos na Inglaterra, foi o primeiro a deduzir: Josefo nos conta que Herodes duplicou a área do monte do Templo. No tratado da Mishná chamado Middot, somos informados de que o monte do Templo tinha 500 côvados quadrados. Investiguei certo degrau no canto noroeste da plataforma muçulmana de nossos dias e, usando algumas fotografias antigas, descobri que se tratava das ruínas de um muro mais antigo. Olhando nas plantas, logo percebi que este degrau situava-se paralelamente ao Muro Oriental do monte do Templo a uma distância de 262 metros. Se você dividir essa distância por 500, obterá o bem estabelecido côvado [real] de pouco Continue lendo

Versículos bíblicos sobre Fé

Versículos bíblicos sobre Fé

Selecionamos um sequencia de Versículos da Bíblia sobre Fé, Fé e Força, Fé e Coragem, Fé e Confiança em Deus entre outros tópicos para abençoar sua vida. Fé é uma palavra que significa “confiança”, “crença”, “credibilidade”. A fé é um sentimento de total de crença em algo ou alguém, ainda que não haja nenhum tipo de evidência que comprove a veracidade da proposição em causa. “Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos.” (2 Coríntios 5:7) Versículos de Fé e Força “Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até se a este monte disserdes: Ergue-te, e precipita-te no mar, assim será feito.”(Mateus 21:21) “E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.”(Mateus 17:20) “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.”(Hebreus 11:1) “Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.”(Romanos 4:5) “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.”(Efésios 2:8,9) “Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo.”(Romanos 10:17) Versículos de Fé e Coragem “Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.”(1 Pedro 5:9) “Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno.”(Efésios 6:16) “Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.”(Mateus 15:28) “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.”(Hebreus 11:6) Versículos de Fé e Confiança em Deus “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.”(João 3:36) “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”(Gálatas 2:20) “pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.”(Tiago 1:3) “Porque nós pelo Espírito da fé aguardamos a esperança da justiça.”(Gálatas 5:5) “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.”(2 Timóteo 4:7) “Por esta razão, irmãos, ficamos consolados acerca de vós, em toda a nossa aflição e necessidade, pela vossa fé.”(1 Tessalonicenses 3:7) Versículos Bíblicos sobre Fé “Para Continue lendo

Quantas esposas teve Esaú, e quem foram elas?

Quantas esposas teve Esaú, e quem foram elas?

Gênesis 26.34 diz-nos que estando com quarenta anos de idade, Esaú casou-se com duas mulheres hititas — Judite, filha de Beeri, e Basemate, filha de Elom. Visto que Gênesis 36 não menciona o nome da primeira, podemos concluir que ela não lhe deu filhos; não se sabe se morreu jovem ou se era estéril. No entanto, era a esposa número um. A esposa número dois era, conforme mencionado acima, Basemate. Mas Gênesis 36 refere-se a ela como sendo Ada, o que pode significar que esse seria outro nome da mesma mulher. (São numerosos no AT os casos de homens e mulheres que têm dois nomes, tanto entre israelitas quanto no meio dos gentios.) Visto que mais tarde Esaú casou-se com a filha de seu tio Ismael, que tinha também o nome de Basemate (parece que esse era um nome comum na região edomita, naqueles dias; Salomão deu esse nome a uma de suas filhas [1Rs 4.15]), foi necessário que se chamasse a segunda esposa por outro nome, Ada. Ela deu a Esaú um filho, Elifaz (36.4). A esposa número três era Oolibama, filha de Zibeão, um hivita. Ficamos sem saber quando eles se casaram e em que circunstâncias. Só sabemos que o pai dela era Aná, filho de Zibeão. [ Portanto, Zibeão era avô dela, em vez de pai — como poderíamos entender de Gênesis 26.34. O hebraico não tem uma palavra específica para avós, nem para netos; simplesmente usa as mesmas palavras para “pai” ou “mãe” (com o significado de avós) e “filho” ou “filha” (com o significado de netos).] É provável que Esaú tenha se casado com Oolibama antes de desposar Basemate, a filha de Ismael. Ele foi pai de três filhos: Jeús, Jalão e Corá — nessa ordem. A esposa número quatro foi Basemate, filha de Ismael, que deu a Esaú apenas um filho, Reuel (Re ‘û’ēl, provavelmente se pronunciava “Raguel”) — o mesmo nome de Jetro, o sogro de Moisés [cf. Êx 2.18; Nm 10.29]). Devemos dizer que essa mulher, Basemate, também tinha outro nome: Maalate (cf. Gn 28.9). Mas, aparentemente, ela (ou Esaú) preferia Basemate (que tem conotação de fragrância, na forma masculina bōśem, ou “bálsamo”), pois é assim que ela é chamada sempre em Gênesis 36. Essa é, pois, a lista completa das esposas de Esaú, e dos filhos que elas lhe deram. A ele também se dá em Gênesis 36 o nome de “pai de Edom” (v. 9, 43), mas, nesse caso, “pai de” é equivalente a “fundador de” — assim como Jacó foi o fundador da nação de Israel. Talvez seja apropriado observar aqui que a recorrência de nomes favoritos, ou da moda, reflete-se por todo o capítulo 36 de Gênesis como uma das características da cultura horita-hivita, dentro da qual Esaú procurou esposas na região edomita. Há, pelo menos, cinco exemplos disso, inclusive as duas esposas chamadas Basemate que mencionamos. O primeiro exemplo é Aná, filho de Zibeão, mencionado acima como o pai de Oolibama. O Texto massorético traz bat (“filha Continue lendo

Descobrir o emprego das palavras

Descobrir o emprego das palavras

Como já dissemos, normalmente a etimologia de um termo não ajuda a esclarecer seu significado. Portanto, precisamos descobrir como o autor costuma empregá-la. Essa prática é chamada de usus loquendi (lit., o uso feito por quem fala). Expressando de outra forma, qual era o sentido mais comum da palavra quando o autor a utilizou? A maneira em que ele a empregou dentro de seu contexto quase sempre ajuda a esclarecer o sentido. Isso tem importância especial porque uma palavra abrange sentidos diferentes dependendo de como é empregada. Por exemplo, o termo casa apresenta sentidos diferentes nas três frase seguintes: “ele foi para casa”, “ela casa amanhã” , “o número tem duas casas decimais” e “ela pregou o botão mas não fez as casas”. O verbo correr pode aplicar-se a muitas coisas que envolvem movimento ou ação. Nós dizemos que corremos apressadamente, que um rio corre ao longo da estrada, que um arrepio corre por nossa espinha, que uma circular correu entre os presentes, que as lágrimas correram por nosso rosto, que o tempo corre, etc. Pode-se correr o olhar por um documento, correr um trabalho na impressora, correr o risco de perder o emprego, entre outras coisas. Cada utilização transmite uma ideia um pouco diferente. A palavra mesa também possui variedade de usos. Como disse Terry, pode significar uma peça de mobília, o lugar em que a refeição é servida, o presidente e os secretários de uma assembleia (“a mesa da câmara”), alimentação (“casa de mesa farta”) ou um altar para comunhão.  Pense nos diversos empregos do verbo quebrar. No Novo Testamento, a palavra chamado aparece pelo menos de duas maneiras. Nos evangelhos sinópticos, o “chamado” divino significa o convite de Deus; já Paulo fala em “chamado de Deus” querendo dizer o gesto de Deus de conceder-lhe um título e uma comissão (“chamado para ser apóstolo”, Rm 1.1), a obra de salvação divina (8.28, 30) ou ainda o enfático convite de Deus para os cristãos (“ … nos chamou com santa vocação…” , 2 Tm 1.9). A palavra grega pneuma (“espírito”) deriva de pneõ (“respirar”), mas na Bíblia raramente o sentido é esse. Significa também vento, atitude, emoções, natureza espiritual, íntimo (em contraposição ao corpo físico), seres imateriais como anjos e demônios e o Espírito Santo. Um estudo da palavra sarx (“carne”) mostra que ela também possui variedade de sentidos, entre os quais a condição humana (Rm 3.20), o corpo humano (2 Co 12.7), os músculos do corpo humano (Lc 24.39) e a natureza ou tendência pecaminosa do homem (Rm 8.6, 7,13; E f 2.3). Como veremos mais adiante, o contexto normalmente, mas nem sempre, ajuda a esclarecer o significado de uma palavra. É importante analisar as diversas situações em que o termo é utilizado. Primeiramente, analise como o mesmo autor emprega a palavra em questão num mesmo livro. Se o contexto não esclarecer o sentido da palavra, procure saber como o autor utilizou-a em outros trechos do livro. A palavra profetas, em Efésios 2.20, está falando dos profetas do Continue lendo