Teologia

Teologia teólogo

Parábola do filho pródigo

Parábola do filho pródigo

Essa parábola faz parte da trilogia de parábolas sobre a redenção registrada no Evangelho de Lucas no capítulo 15. O texto relata o convívio do Pai e de seus dois filhos.O filho mais novo não queria viver mais sob a proteção de seu pai e pediu parte de sua herança, pois não queria mais viver com sua família.O filho mais velho também não valorizava esse convívio, pois para ele era obrigação fazer as coisas e não aproveitava esse relacionamento.Os dois filhos não valorizavam Leia mais…

Achados do período do Primeiro Templo

Achados do período do Primeiro Templo

Apesar destas considerações sobre a escassez de restos de materiais, em ocasiões excepcionais ao mandamento tais evidências são descobertas. Uma exceção à lei contra imagens esculpidas foi um óstraco proveniente de Ramote Raquel, da Idade do Ferro, que trazia pintado a figura de um indivíduo sentado num trono. O arqueólogo israelita Gabriel Barkay propôs que este poderia ser um quadro de Ezequias, rei de Judá. Outrossim, enquanto que os documentos em papiro são perecíveis, os selos Leia mais…

Como a organização militar e a estrutura social influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a organização militar e a estrutura social influem na interpretação das passagens bíblicas

Organização militar  1. Por que Habacuque diz que os babilônios, “ … amontoando terra, as [cidades] tomam” (Hc 1.10)? Isso não quer dizer que eles juntavam entulho. A referência é à construção de rampas de terra junto a muralhas. Como muitas cidades eram edificadas no alto dos montes, a única forma de o inimigo atacá-las era amontoando terra e destroços para diminuir a diferença de nível. 2. Por que Paulo afirmou, em 2 Coríntios 2.14, que Deus “em Cristo sempre Leia mais…

A maldição de Canaã à escravidão e como ela é vista aos olhos de Deus.

A maldição de Canaã à escravidão e como ela é vista aos olhos de Deus.

A razão por que Noé amaldiçoou seu filho Cam foi que ele zombou de seu pai, a quem também desonrara, ao vê-lo nu, no estupor de uma forte bebedeira. Cam deveria ter cuidado de seu genitor com todo respeito, ainda que, bêbado (aparentemente nunca antes havia provado uma gota de álcool), se fizesse de tolo. Devemos notar com o máximo cuidado que apenas um dos filhos de Cam, especificamente Canaã, foi escolhido para sofrer as consequências do pecado da maldição lançada contra o pai. Gênesis Leia mais…

Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a vida doméstica e a geografia influem na interpretação das passagens bíblicas

Vida doméstica 1. Qual é o significado de Oséias 7.8: “Efraim […] é um pão que não foi virado”? Às vezes, um pão assa mais de um lado que de outro se não for virado. Parece que Oséias empregou essa ilustração para dizer que Efraim carecia de equilíbrio, dando mais atenção a determinadas coisas e deixando de atentar para outras. 2. Não foi falta de educação João encostar-se em Jesus na última ceia (Jo 13.23)? Não, eles se sentavam em sofás, não em cadeiras, na hora Leia mais…

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Intelectualismo – Pós Apostólico.

Em 180 um filósofo e teólogo cristão nascido provavelmente na Sicília, no século II chamado Panteno funda uma escola “gnóstico cristão” em Alexandria e ensinava o cristianismo como a verdadeira filosofia, pois desejava entrar no universo dos pensamentos pagãos para mostrar a superioridade da fé católica (universal). Por meio de suas explanações meticulosas e inspiradas, ele levou muitos pagãos para o cristianismo e consigo levou muitos cristãos para o paraíso teológico, pois Leia mais…

É ainda proibido aos cristãos comer sangue?

É ainda proibido aos cristãos comer sangue?

Depois do Dilúvio, o Senhor renovou sua aliança com Noé e deu-lhe linhas mestras para orientar a sociedade pós-diluviana (Gn 9.1-16). O versículo 4 contém esta importante proibição: “Não coma carne com sangue, que é vida [nepeš]”. A “santidade” especial do sangue conduz a um mandamento que determina a pena capital para qualquer pessoa que cometer homicídio. Posteriormente, em Levítico 17.10, 11, especifica-se com maiores minúcias as razões por que se deve evitar o sangue como alimento: Leia mais…

Breve estudo sobre o contexto de Agostinho

Breve estudo sobre o contexto de Agostinho

Nesse breve estudo falaremos sobre o contexto do Santo Agostinho (Aurélio Agostinho 354-430 d.C.), as situações que ocorreram em sua época e seu posicionamento, mas antes mencionaremos alguns fatos que antecederem esse período. O primeiro assunto que desejo abordar é sobre a apostasia, pois foi considerada no desenvolvimento da igreja um dos três graves erros cometidos após o batismo e requeriam tratamento especial. Os Três graves erros são: imoralidade sexual, assassinato e a negação Leia mais…

Espiritualidade nos escritos Joaninos

Espiritualidade nos escritos Joaninos

Antes de entrarmos no assunto sobre a espiritualidade nos escritos joaninos veremos primeiramente uma sucinta introdução sobre espiritualidade. Introdução: O que é espiritualidade É difícil ter uma definição específica para o tema espiritualidade, por causa da variedade de sentidos com que é aplicada e por causa das controvérsias dos estudiosos especializados sobre esse tema. Espiritualidade é algo pessoal, a maneira de ver as coisas e vive-las, é uma experiência diária, uma Leia mais…

Como a Agricultura, Arquitetura e Vestimentas influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a Agricultura, Arquitetura e Vestimentas influem na interpretação das passagens bíblicas

Agricultura 1. Que há de tão estranho no fato de Samuel pedir chuva ao Senhor na época da colheita do trigo, em 1 Samuel 12.17? A colheita do trigo acontecia em maio ou junho, assim que começavam os seis meses de estio, que iam de abril até o final de outubro. Se chovesse na estação da seca, ficaria evidente a operação do Senhor. 2. Por que Salmos 1.4 compara os ímpios à palha? Para mostrar que o ímpio não tem segurança. Quando os fazendeiros joeiram o trigo, o vento leva a palha, Leia mais…

Existem evidências geológicas que comprovam  ter havido um Dilúvio universal?

Existem evidências geológicas que comprovam ter havido um Dilúvio universal?

O registro bíblico de Gênesis 7 e 8 descreve não uma inundação local, circunscrita ao vale da Mesopotâmia (como alguns estudiosos têm sugerido), mas o nível das águas cobriu os picos das montanhas mais altas. Gênesis 7.19 declara: “As águas dominavam cada vez mais a terra, e foram cobertas todas as altas montanhas debaixo do céu” [literalmente, “que estavam debaixo de todo o céu”; grifo do autor). A seguir, o versículo 20 informa que o nível da água ergueu-se quinze côvados acima Leia mais…

Josué realmente conquistou Jericó?

Josué realmente conquistou Jericó?

De acordo com a Bíblia, depois de 40 anos de caminhada no deserto do Sinai, Moisés trouxe os israelitas ao rio Jordão. Naquela fronteira separando o povo escolhido de seu lugar escolhido, Moisés subiu e permaneceu no monte Nebo, enquanto Josué, como seu sucessor, guiou o povo através do Jordão até o país de Canaã. Na história escriturística, esta entrada na Terra Prometida é realizada por uma série de conquistas militares nas quais os israelitas capturaram fortificações cananitas. Leia mais…

Como a Economia e as Leis influem na interpretação das passagens bíblicas

Como a Economia e as Leis influem na interpretação das passagens bíblicas

Economia 1. Em Jó 22.6, por que Elifaz acusou Jó de exigir penhores de seus irmãos sem motivo? Na época do Antigo Testamento, essa atitude era considerada um crime desprezível. Se uma pessoa devesse dinheiro a outra e não pudesse pagar, a devedora dava sua capa à credora como penhor ou garantia do pagamento futuro. Contudo, ao cair da noite, a credora devia devolver-lhe a capa, pois provavelmente ela apascentaria ovelhas no campo ao relento e precisaria ter com o que se cobrir. Tomar um Leia mais…

Entendendo a frase “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, os homens e […] animais. Arrependo-me de have-lôs feito”

Entendendo a frase “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, os homens e […] animais. Arrependo-me de have-lôs feito”

É verdade, sem sombra de dúvida, que Deus em sua onisciência sabe todas as coisas por antecipação, e nada que acontece o apanha de surpresa. No entanto, é erro inferir disso que o Senhor não pode ter emoções nem deve reagir de acordo com a depravação voluntária de suas criaturas. As Escrituras jamais o apresentam como um Ser impassível, incapaz de demonstrar tristeza ou ira, mas, bem ao contrário, o Senhor é um Deus que se preocupa, demonstra interesse e ama até os filhos de Adão Leia mais…