Panorama Bíblico da epístola de Tiago

I – Introdução

A primeira menção nominal à epístola de Tiago aparece no início do terceiro século. Entre os primeiros textos cristãos não-canônicos, o Pastor de Hermas é o que mais apresenta paralelos com Tiago, encontra-se vários temas característicos de Tiago; estímulos à oração com fé. Entre o quarto e quinto século a influência de Jerônimo foi importante na aceitação final pela igreja da epístola de Tiago. Em um documento que devia possuir uma certa importância, Jerônimo identificou o autor como o “irmão” do Senhor. Por volta desta época, Agostinho acrescentou a força de sua autoridade e nenhuma outra dúvida foi levantada até o período da Reforma. Assim Tiago passou a ser reconhecida como canônica em todos os segmentos da igreja primitiva. Mas é importante enfatizar que Tiago não foi rejeitada, mas negligenciada. Como se explica tal negligência? Pode ter sido a incerteza da origem apostólica do livro, uma vez que o autor se identifica apenas pelo nome de Tiago. Outro fator pode ter sido o caráter tradicional do ensino de Tiago, contendo pouca doutrina, portanto pouco combustível para os ardentes debates teológicos na igreja primitiva Talvez, a natureza e o destino da epístola. A epístola tem forte orientação judaica, e provavelmente foi escrita para os judeus.

II – Autoria

O autor da carta simplesmente se identifica como “TIAGO” Quem é este indivíduo ? Sabemos que no Novo Testamento há pelo menos três pessoas com esse nome no Novo Testamento: Tiago, filho de Zebedeu; Tiago, filho de Alfeu; e Tiago, irmão de nosso Senhor Jesus Cristo. Embora as escrituras não sejam precisas sobre esta questão, a maioria dos eruditos concorda em identificar o autor desta epístola com Tiago, irmão de Jesus. Tiago filho de Zebedeu foi morto por Herodes (Atos 12:2). Tiago filho de Alfeu só vem mencionado na lista dos apóstolos e talvez Mar. 15:40 se refere a ele. Resta o Tiago; irmão do Senhor, homem que ocupava uma posição de grande autoridade na igreja em Jerusalém, presidindo as assembléia e pronunciando palavras de autoridades. O tom de autoridade desta epístola condiz bem com a posição de primazia atribuída a ele. (Atos 15: 6 – 29; 21: 18) Ficamos, então, com Tiago, o irmão do Senhor, como o mais provável autor desta epístola.

III – Autor

Forte antagonista do Senhor, durante seu ministério terreno. João 7:5 Tiago veio a se converter após a ressurreição de Cristo, (I Cor.15:7) em um encontro especial, com Cristo já ressuscitado. Tornou-se Bispo da igreja em Jerusalém (Atos 15:13) e foi reconhecido como superior até mesmo pelos apóstolos. Atos 12:17. Tinha grande preocupação com os Judeus (Tiago 1:1) e dava apoio a evangelização dos gentios. Atos 15:19 O Apóstolo Paulo aconselhava-se com Tiago. Atos 21:18 Diz-se que orava intensamente. Foi assassinado pelos Judeus no ano 62 A.D.

IV – Data

Sendo Tiago, o irmão do Senhor, quem escreveu a carta, conforme argumentos, ela deve ser datada em algum tempo antes de 62 AD. Ano em que Tiago foi martirizado. Algumas autoridades apresentam argumentos na defesa de uma data entre os anos de 45 a 53 AD, pelo fato da epístola omitir alguns fatos ocorridos na época como o Concílio de Jerusalém e a resolução que lá fora tomada.

COMENTÁRIOS

I – PROPÓSITO

Os cristãos Judeus atravessaram um período de provas e tentações terríveis, e Tiago escreve para anima-los e para conforta-los. – Sucediam-se grandes desordens nas assembleias cristãs, judaicas e ele escreve para instruir as mesmas. – Havia a tendência de divorciarem a fé das obras.

II – CONTEÚDO

Há pouca doutrina. nesta epístola, mas muito de prática e de moral. Tiago, soube ser muito prático, vivia o que pregava. Este é o livro do viver santo. Seu verso chave é 2:26, na verdade, um tratado muito prático, sobre a fé, sua natureza e obras.

III – ANALISE

a – Saudação

Notemos sua humildade não fazendo referência a sua relação com Jesus. Quando se refere a Jesus, o faz com reverência (Família)

b – A Fé e Provações

  • Tiago 1: 2 – 21 Tentações no grego (pairasmos) significa provações com um propósito e efeito benéfico, divinamente permitida ou enviada. (Para aperfeiçoar o cristão). Devemos ter em conta que as Tentações (Provações) é uma gloriosa oportunidade para por à prova a nossa fé. 2 – 4 Pedir a Deus a sabedoria afim de enfrentar as tentações, 5 – 11 Observar o verso 12 (Bem aventurado) Tentações com efeito maléfico não vem de Deus. 13 – 18 Sob a provação sede paciente. 19 – 21 2 Timóteo 3 12 – as provações são constantes. Romanos 8:18 não se compara com a glória futura.

c – Fé e Obras

  • Tiago 1: 22 – 26 Este tema é ponto principal desta epístola e contém declarações que tem dado lugar a infindáveis debates na igreja. Foi este tema que levou Lutero a proferir sua famosa critica, quando chamou esta carta de palha. Tiago 2: 24 Vede então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pelas… Romanos 3: 28 Concluímos pois que o homem é justificado pela Fé sem as obras da lei. Para interpretarmos corretamente estes dois versos, devemos observar o propósito de cada autor.

d – A Fé e as Palavras

  • Tiago 3: 1 – 12 Tiago já demonstrou sua preocupação com os pecados da língua. Em 1: 19, ele encorajou seus leitores a serem tardios para falar. Aqui, ele revela que uma das provas de sermos justificados é nas nossas – palavras – essas dirão quem somos. Vejamos os efeitos nocivos de uma língua sem controle: Lucas 6:45 – O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. Filipenses 2:14 – Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Apocalipse 22:15 – Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira. Mateus 12:36 – Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo.

e – A Fé e a Sabedoria

Tiago 3: 13 – 18 Há uma distinção entre conhecimento e sabedoria. O sábio é aquele que tem fé, é submisso a Deus e ensinado por Ele. É possível alguém conhecer muita coisa e ter pouca sabedoria. Há entretanto uma sabedoria falsa, simulada, que produz invejas e rivalidades. Tal espécie de sabedoria não é divina, e pode ser: Tiago 3: 15 Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.

Terrena, sabedoria do mundo I Coríntios 1: 20-21

Animal, sabedoria natural sem relação espiritual

Demoníaca, sabedoria de proveniência satânica.

A sabedoria verdadeira é de origem lá do alto verso 15, sua natureza não é terrena, sensual ou demoníaca; antes é sobrenatural, sua excelência é setupla: – Pura, Pacifica, Meiga, Conciliadora, Misericórdia, Bons frutos, Simples, Sincera.

f- Fé e Oração

Tiago 4: 1 – 17; 5: 7 – 20 Este parágrafo final da epístola contém uma de suas notas características. Desde o principio Tiago vem insistindo na necessidade de orar e no valor da oração. Tiago cultivava o habito de orar. Uma tradição a seu respeito diz terem-se calejado os seus joelhos, ficando como os de camelo, devido as constantes orações. Por conseguinte, seu conselho aos que sofrem é que orem pois dai vem o auxílio e conforto.

  • A falta de oração 4:2 … Nada tendes porque não pedis. Nunca dizem se o Senhor quiser. Ver 13 – 15 Não prosperam e nada perduram. Jeremias 10: 21
  • Orações não respondidas. 4:3 Pedis, e não recebeis, por que pedis mal… Pedem para seu deleite próprio Isaías 59:2 Por causa do pecado Hebreus 2:2 Por causa da desobediência Tiago 1:5-7 Por causa das dúvidas II Cor. 12:9 Contra a vontade de Deus Mateus 21;22 Sem fé Jonas 4:3 Sem sentido


Quer se tornar um Professor e Líder da Escola Bíblica altamente Capacitado e Comprometido com o Ensino Bíblico!?

Formação de Professores e Líderes para Escola Bíblica Dominical (EBD)

O Curso tem como objetivos:

Formar professores para a Escola Bíblica Dominical; ofertar formação teológica para os futuros professores;

Junto ao instrucional do curso foram trabalhados textos, livros, vídeos, imagens, músicas e dinâmicas para a dinamização das aulas. Oferecer noções didático-pedagogicas para os cursistas e compreender o processo de ensino/aprendizagem na Educação Cristã.

Para quem é indicado

O curso é destinado para membros, professor de escola bíblica, líderes, obreiros, evangelistas e pastores e a quem deseja obter conhecimentos sobre o funcionamento do serviço da escola bíblica.

O que é Escola Bíblica Dominical (EBD)?

É o método de ensino da Bíblia, semanalmente, visando levar o aluno a:

1- Aceitar Jesus como Único Senhor e Salvador

2- Crescer na fé e no conhecimento bíblico

3- Por em prática os ensinos bíblicos

O QUE A EBD NÃO É:

Um grupo de estudiosos e literatos da Bíblia

Uma forma de passar o tempo, no domingo pela manhã

Uma organização paralela á Igreja, com seus próprios objetivos

Um clube para piqueniques, passeios, esportes, etcs.

.: AGREGUE CONHECIMENTO E COMENTE ABAIXO .: