Definições de hermenêutica

Que exatamente vem a ser hermenêutica? E em que difere de exegese e exposição? A palavra “hermenêutica” deriva do verbo grego hermêneuo e do substantivo hermêneia. Esses termos estão relacionados a Hermes — o deus-mensageiro de pés alados da mitologia grega. Cabia a ele transformar o que estava além do entendimento humano em algo que a inteligência humana pudesse assimilar. Afirma-se que foi ele quem descobriu a linguagem verbal e a escrita, tendo sido o deus da literatura e da eloquência, dentre outras coisas. Ele era o mensageiro ou intérprete dos deuses e principalmente do pai, Zeus. Assim, o verbo hermêneuo passou a significar o ato de levar alguém a compreender algo em seu próprio idioma (logo, “explicar”) ou em outra língua (logo, “traduzir”). Em nossa língua, o verbo “interpretar” às vezes é empregado com o sentido de “explicação”; outras, com o sentido de “tradução”. Nas 19 vezes em que os termos hermêneuo e hermêneia aparecem no Novo Testamento, o sentido quase sempre é de tradução.

O verbo diermêneuo é empregado em Lucas 24.27: “E, começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras”. Quando Jesus falou com Simão, disse: ”… tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)” (Jo 1.42). A locução verbal “quer dizer” é tradução do grego hermêneuo. Em certo sentido, uma tradução é uma explicação; é explicar numa língua o que foi expresso em outra. Portanto, interpretar inclui esclarecer e tomar inteligível o que era obscuro ou desconhecido. A hermenêutica, como já foi dito, é a ciência e a arte de interpretar a Bíblia. Outra definição de hermenêutica seria: ciência (princípios) e arte (tarefa) de apurar o sentido do texto bíblico. Como escreveu Terry:

Assim, a hermenêutica é tanto ciência coino arte. Na qualidade de ciência, enuncia princípios, investiga as leis do pensamento e da linguagem e classifica seus fatos e resultados. Como arte, ensina como esses princípios devem ser aplicados e comprova a validade deles, mostrando o valor prático que têm na elucidação das passagens mais difíceis. Portanto, a arte da hermenêutica desenvolve e constitui um método exegético válido. [1]

[1] . Milton S. T e r r y, Biblical hermemutics, 2, ed., 1883; reimp., Grand Rapids, Zondervan, s.d., p. 20.

Em que consistem, então, a exegese e a exposição? A exegese pode ser definida como a verificação do sentido do texto bíblico dentro de seus contextos histórico e literário. A exposição é a transmissão do significado do texto e de sua aplicabilidade ao ouvinte moderno. A exegese é a interpretação propriamente dita da Bíblia, ao passo que a hermenêutica consiste nos princípios pelos quais se verifica o sentido. A homilética é a ciência (princípios) e arte (tarefa) de transmitir o significado e a importância do texto bíblico sob forma de pregação. A pedagogia é a ciência (princípios) e arte (tarefa) de transmitir o significado e a aplicação do texto bíblico sob forma de ensino. A exegese consiste no estudo individual, e a exposição, na apresentação em público. A exegese é feita na sala de estudo, ao passo que a exposição é feita detrás de um púlpito, da mesa do professor ou da plataforma. A grande preocupação da exegese é a compreensão de uma passagem bíblica, enquanto na exposição o interesse básico é a transmissão do sentido do texto.

Um bom expositor é antes de mais nada um bom exegeta. A exegese precede a exposição, assim como se assa um bolo antes de servi-lo. O processo exegético se dá na oficina, no depósito. Trata-se de um processo individual, de um trabalho diligente por meio do qual o estudioso da Bíblia examina os contextos, os significados e as formas das palavras; analisa a estrutura e os elementos das frases; busca descobrir como o texto original foi escrito (crítica textual); etc. Contudo, ele não transmite todos esses detalhes ao pregar ou ensinar a Bíblia. Quando está criando, um pintor sofre com os pormenores de sua obra, mas, no final, ele deseja que as pessoas vejam não as minúcias, mas o todo e a relação entre as partes.

Definições de hermenêutica e de termos correlatos

HERMENÊUTICA  – Ciência (princípios) e arte (tarefa) de apurar o sentido do texto bíblico.

EXEGESE  – Verificação do sentido do texto bíblico dentro de seus contextos histórico e literário.

EXPOSIÇÃO  – Transmissão do significado do texto e de sua aplicabilidade ao ouvinte moderno.

HOMILÉTICA –  Ciência (princípios) e arte (tarefa) de transmitir o significado e a importância do texto bíblico sob forma de pregação.

PEDAGOGIA  – Ciência (princípios) e arte (tarefa) de transmitir o significado e a aplicação do texto bíblico sob forma de ensino.

A exegese é, portanto, um meio que visa a um fim; é um passo rumo à exposição. A exegese tem um caráter mais técnico e é essencial à exposição, exegeta busca compreender o sentido exato da passagem bíblica que está estudando. Todavia, atrás do púlpito ou na sala de aula, o expositor procura transmitir seu conteúdo, depois de ter elaborado sua exposição a partir de uma base exegética. Uma está para a outra como o alicerce para o edifício. “Para ser válida, a exposição deve ser firmemente baseada na exegese: o significado do texto para os ouvintes de hoje deve estar relacionado com o seu significado para os ouvintes aos quais foi originalmente dirigido”.[2]

[2] . F. F. Bruce, Interpretação da Bíblia, in Walter A. ELWELL, ed., Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã, São Paulo, Vida Nova, 1990, p. 338, v. 11.

A hermenêutica é como um livro de culinária. A exegese é o preparo e o cozimento do bolo; a exposição, o ato de servi-lo. Tanto num jogo de futebol quanto num jogo de cartas é necessário conhecer as regras e obedecer-lhes. Se os jogadores de futebol estão no campo, com a bola, mas não conhecem as regras do jogo, não podem fazer nada. Pode-se ter também um baralho completo em mãos e não se saber o que fazer com as cartas. São as regras que permitem aos jogadores darem andamento ao jogo. Da mesma forma, a hermenêutica fornece as regras ou as diretrizes, os princípios e a teoria que regem a maneira correta de compreender a Bíblia. Entretanto, a interpretação bíblica não é como um programa de computador. Não podemos acionar certos princípios e esperar que a interpretação certa nos seja fornecida automaticamente.

Fonte: A interpretação Bíblica – Meios de descobrir a verdade da Bíblia.
Roy B. Zuck

Tradução de Cesar de E A. Bueno Vieira
edições vida nova.

pags 20-24

 


Aprenda mais sobre as ferramentas importantes na interpretação e elucidação das Escrituras.

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM  HERMENÊUTICA E EXEGESE!

Que você possa aprimorar essas duas técnicas, e aplicá-las na busca do conhecimento da Palavra, como diz em João 5.39, “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;”

 

.: AGREGUE CONHECIMENTO E COMENTE ABAIXO .: